Nos últimos anos, tem aumentado o conhecimento em torno dos mercados financeiros. Ficamos mais despertos para as potencialidades e para os perigos dos investimentos. Neste artigo, vamos falar-lhe de um tipo de produto financeiro que tem servido a muitos investidores para rentabilizar as suas aplicações. Saiba o que é um fundo de investimento.

Afinal, o que é um fundo de investimento?

Um fundo de investimento é um produto/aplicação financeira que agrega os interesses de vários investidores num tema específico. É gerido por uma equipa de profissionais, cuja função é encontrar as melhores alternativas de investimento tendo em conta o objetivo ou a missão do fundo (definida no prospeto, que deve conhecer antes de investir).

Um fator muito importante a ter em conta é que o fundo de investimento é um património com autonomia jurídica ou património autónomo. Ou seja, são os investidores que são os detentores dos ativos do fundo e não o banco ou a sociedade gestora de fundos de investimento. Cada investidor é titular de quotas-partes iguais (denominadas de unidades de participação) com as mesmas características e sem um valor nominal.

Como funciona um fundo de investimento?

Ao subscrever um fundo de investimento (denomina-se a compra de unidades de participação do fundo) está a confiar o seu dinheiro a uma equipa de gestores especialistas.

O facto de ser um instrumento de investimento coletivo permite ao fundo ter a capacidade financeira para comprar muitos ativos ao mesmo tempo. Por exemplo, não é incomum que um fundo de investimento em ações europeias detenha ações de 50 ou 60 empresas ao mesmo tempo.

A evolução do preço dos ativos que compõem o fundo é o fator que fará oscilar o valor do seu investimento. Pode acontecer que todas as cotações do ativo subam, que todas desçam ou que, mais provável, que umas subam e outras desçam.

A combinação do valor dos ativos que compõem o fundo irá fazer variar o valor de cada unidade de participação. Este valor é determinado pela seguinte fórmula:

Valor Total do Património do Fundo / Número de Unidades de Participação do Fundo

Tipos de fundos de investimento

Os vários fundos de investimento são, tipicamente, agrupados em dois grandes grupos:

 

Fundos de Investimento Mobiliário (FIM)

Investem em ativos como depósitos, bilhetes do tesouro e papel comercial, obrigações, ações, entre outros.

 

Fundos de Investimento Imobiliário (FII)

Investem em ativos como imóveis, terrenos, arrendamentos, direitos de superfície, entre outros.

Quais as vantagens de investir em fundos de investimento?

O investimento através de fundos de investimento tem um conjunto de vantagens que tornam estas aplicações um produto bastante popular. Destacamos algumas:

 

Diversificação

Ao comprar unidades de participação dos fundos de investimento, está a comprar partes ínfimas de um património composto por inúmeros ativos (no exemplo acima, está a diversificar o seu risco por 50 ou 60 empresas). Assim, evita o risco associado a um ativo específico (em finanças chama-se eliminar o risco específico).

 

Montantes de investimento

É possível investir em fundos de investimento com montantes muito reduzidos. Se para diversificar o seu risco ao investir diretamente precisaria de alguns milhares de euros, ao investir através de fundos de investimento consegue uma boa diversificação com investimentos muito mais reduzidos.

Poderá, em alguns casos, ainda realizar planos de entregas programadas de baixos montantes, o que contribui para a constituição das suas poupanças de forma faseada e confortável.

 

Gestão profissional

São poucas as pessoas que têm o tempo, o conhecimento ou a disponibilidade para acompanhar os mercados financeiros de perto. Assim, ao entregar a gestão do seu dinheiro a uma sociedade gestora, o que faz é confiar numa equipa de especialistas que fará o trabalho por si e de acordo com regras definidas à partida. Essas regras estão previstas na política de investimento de cada fundo.

 

Liquidez

É possível converter os fundos de investimento em dinheiro num curto período de tempo.O poder negocial da sociedade gestora possibilita a redução de alguns custos quando comparado com o investidor particular.

Quais os riscos de investir em fundos de investimento

Quem investe em fundos de investimento está a assumir diversos tipos de risco. Na realidade, assume os riscos de todos os ativos que compõe o fundo, sendo certo que ao participar num fundo composto por dezenas (às vezes centenas) de ativos distintos está a diversificar o seu risco. Dependendo do tipo de fundo, poderemos falar de alguns riscos:

  • Risco de mercado;
  • Risco de taxa de juro;
  • Risco de crédito;
  • Risco operacional;
  • Risco fiscal;
  • Risco cambial.

Como começar a investir nestes produtos?

Existem diferentes tipos de fundos de investimento. A diferença tipicamente prende-se com o nível de risco que assumem e o tipo de ativos em que investem. Há fundos que investem num único tipo de ativos (por exemplo, os fundos de obrigações) e há outros fundos que diversificam o risco por vários ativos.

 

 

Assim, para começar a investir em fundos de investimento sugerimos que:

  • Conheça os seus objetivos;
  • Perceba qual o capital disponível para investir;
  • Conheça em detalhe as várias alternativas ao seu dispor.

Poderá não ser fácil ao início, mas leia sempre atentamente a informação pré-contratual, e com o apoio do seu gestor de conta, vá iniciando o seu esforço de investimento, definindo uma estratégia de investimento que vá ao encontro dos seus objetivos. Comece devagar. Aprenda. Invista no que conhece e com o tempo irá tornar todo o processo mais fácil.

 

 

Publicado a 11 set 2020

Outras categorias