Quem tem filhos sabe a dificuldade que é incutir-lhes uma boa relação com o dinheiro. Muitas vezes, os pais são vistos como o multibanco dos filhos e torna-se difícil ensinar-lhes a importância do dinheiro e do consumo. Neste artigo, vamos apresentar-lhe 5 estratégias e ideias que permitam incutir hábitos de poupança nos seus filhos, para que estes aprendam a poupar dinheiro desde cedo.

5 ideias para incutir hábitos de poupança nos seus filhos

 

A importância de dizer que não

É verdade. É muito difícil dizer que não às crianças e só parece piorar quando entram na adolescência. Muitas vezes, anuímos aos seus desejos simplesmente porque estamos cansados ou porque queremos compensar os filhos por alguma falta de tempo.

 

Apesar destas dificuldades, é fundamental que as crianças comecem a ouvir o “não” em casa. É uma das grandes palavras de educação que ajudam a moldar a vontade das crianças. Não é fácil. Custa bastante. Mas é fundamental.

 

Distinguir o essencial do acessório

Outra ideia de grande relevo passa por ajudar os filhos a distinguir o que é essencial daquilo que é acessório. Num mundo muito voltado para o consumimos, a importância das marcas e da imagem social, é natural que se confunda aquilo que nós queremos com aquilo de que precisamos.

 

O esforço educativo dos pais passará, em parte, por orientar os seus filhos na procura daquilo que é essencial. Na valorização das coisas mais importantes. Na definição de critérios de decisão que os ajudem a crescer.

 

Ofereça um mealheiro

Os mealheiros sempre foram instrumentos muito populares para ajudar as pessoas a poupar dinheiro. Com a recente crise financeira, começaram a ser mais utilizados como formas de poupança que permitam ir acumulando capital sem esforço.

 

O mealheiro pode ajudar as crianças a perceber o valor do dinheiro e a incutir-lhes hábitos de poupança para atingirem os seus objetivos.

 

Envolva os filhos no esforço de poupança em casa

A reciclagem entrou nas casas portuguesas, fruto do esforço formativo nas escolas. De um momento para o outro, as famílias começaram a reciclar, incentivadas pelos mais novos. Aliás, percebeu-se que os filhos têm um papel fundamental na motivação dos pais.

 

Assim, por que não envolver os filhos no esforço de corte de custos em casa? Por exemplo, quando chegar uma conta de eletricidade ou de água, poderá falar com o seu filho, dar-lhe estratégias para reduzir o valor da conta e criar algum incentivo para a redução (por exemplo, uma ida a jantar fora ou outra coisa simbólica em família).

 

Constitua uma aplicação financeira

É importante ajudar as crianças a perceber a lógica da poupança/investimento. Mas e se for possível ajudá-las a perceber as potencialidades dos investimentos? As aplicações financeiras fazem esse serviço de forma bastante assertiva.

 

Pode subscrever uma aplicação (sendo investimentos para o longo prazo, poderá antes subscrever produtos pensados para o longo prazo, como os seguros financeiros, por exemplo) e mostrar ao seu filho a evolução do valor da conta com o tempo.

 

Será, assim, possível mostrar que poupar dinheiro faz sentido e que somos compensados por esse esforço. Se dúvidas subsistirem, poderá visitar o seu balcão ou consultar toda a informação no site do banco.

 

 

Publicado a 11 set 2020

Outras categorias