Não saber quanto tem de poupar

Podemos ainda acreditar que vamos ter uma reforma que nos permita viver confortavelmente e durante muitos anos. Esta crença faz com que muitas pessoas não façam contas, o que implica que não irão ter a consciência de que precisam de poupar para esta altura. De notar que este erro está muito associado a outros erros que falaremos de seguida. Para o contornar tem a possibilidade de usar o simulador de reforma do Santander que irá dar algumas luzes e caminhos a seguir.
 

Resgatar o seu PPR antes do prazo

Muitas pessoas subscrevem um PPR simplesmente para usufruir de benefícios fiscais. É certo que estão a poupar em qualquer dos casos, independentemente do intuito. No entanto, isto faz com que optem por resgatar os seus PPR logo que possível. Aliás, muitas pessoas chegam ao dia da reforma e resgatam a totalidade do PPR, deixando o dinheiro “parado” nas suas contas à ordem. Claro que ter o dinheiro disponível é meio caminho para o utilizar, já para não falar do rendimento que deixamos de ganhar.
 

Não rever a sua carteira de seguros

Um passo importante quando pensamos na segurança financeira da nossa família consiste em ter uma carteira de seguros que seja adequada aos nossos objetivos e necessidades. Quando nos aproximamos da reforma poderá fazer sentido ter alguns seguros, como sejam os seguros de vida, os seguros de acidentes pessoais ou seguros de saúde. Alguns fazem sentido, outros podemos eliminar. Mas temos de fazer uma reflexão sobre os seguros que queremos e escolher apenas os que precisamos.

Não ter poupanças

Sim, não é fácil poupar dinheiro. E quando poupamos não é fácil manter o dinheiro poupado pois as tentações e as necessidades são muitas. No entanto, como vimos no erro número 1, é importante dispormos de poupanças para mantermos o mesmo nível de vida, num cenário em que muitas vezes iremos ver as nossas despesas aumentar. Assim, tenha em mente que vai ter de acumular algum património para pagar as despesas de saúde e outras emergências que poderão surgir (como por exemplo, despesas com os filhos ou os netos).

Aplicar mal o seu dinheiro

Um último erro que não pode cometer é aplicar mal o seu dinheiro. Já não é fácil poupar dinheiro todos os meses e imagine o que seria se este seu esforço fosse todo eliminado pela aplicação errada do seu dinheiro. Falamos aqui da escolha das melhores aplicações financeiras e da definição do nível de risco mais adequado ao seu perfil e à sua fase da vida. Talvez faça sentido marcar uma reunião com o seu gestor de conta para perceber as soluções de poupança ao seu dispor.

 


Publicado a 12 fev 2021