16 abr 2021 | 6 min de leitura

 

Mais de um ano depois do primeiro confinamento, 25% dos portugueses revela sintomas de Ansiedade, Depressão e Stress Pós-Traumático, segundo dados do relatório de saúde mental em Portugal de janeiro do Instituto Ricardo Jorge (janeiro).

 

Neste artigo apresentamos-lhe algumas das formas de evitar estes sintomas, cuidando da sua saúde mental e do seu bem-estar.

 

1. Analise a informação

 

Mantenha-se a par das indicações das autoridades locais e informe-se em notícias de órgãos de comunicação credíveis.

 

É importante analisar bem a informação que lhe chega através de amigos ou das redes sociais. Numa altura de crise e medo, há quem tire proveito da desinformação para lançar o pânico e a confusão.

 

Estar bem informado é uma boa forma de combater a ansiedade e afastar preocupações.

 

2. Mantenha a rotina

 

Para quem está a trabalhar a partir de casa, nem sempre é fácil separar o tempo do trabalho e o da família.

 

Marque no calendário a hora a que acorda, o início do trabalho, a pausa para almoçar e o final do trabalho. Manter as rotinas ajuda a equilibrar as tarefas do dia a dia e a aproveitar mais cada momento.

 

Lembre-se de guardar tempo para si e para as coisas de que gosta. Já pensou em tirar 10 minutos para meditar pela manhã? Ou relaxar ao fim do dia enquanto vê uma série?

 

3. Peça ajuda

 

Os amigos e a família estão à distância, pelo menos, de um telefonema ou de uma videochamada. Muitas vezes, falar com eles sobre as nossas preocupações é uma forma de diminuir a ansiedade.

 

Se não puder falar com alguém conhecido ou se sentir que precisa de outro tipo de ajuda, conte com apoio profissional. Há vários serviços disponíveis para prestar apoio na área da saúde mental:

 

Pode telefonar para a linha SNS 24 e marcar a opção 4 para pedir aconselhamento psicológico:

 

808 24 24 24

Disponível 24h, todos os dias

 

Se tem um Seguro de Saúde Aegon Santander pode aproveitar o serviço de vídeo-consultas de psicologia, a um preço convencionado.

 

Para marcar a consulta ligue 217 818 286.

Disponível nos dias úteis, das 9h às 19h

 

A Aegon Santander criou esta linha de apoio prestada por profissionais de psicologia, para ajudar os clientes a lidar com as mudanças impostas pela pandemia, com o isolamento e com o afastamento social.

 

4. Experimente algo novo

 

“Como fazer pão?” foi uma das perguntas que os portugueses mais fizeram ao Google, em 2020.

 

Se já passou a fase das receitas, pode sempre ocupar os seus tempos livres a fazer um puzzle em família, a aprender uma nova arte ou a visitar um museu em qualquer parte do mundo.

 

E por que não dar uma nova vida à sua casa? Planeie novos espaços, pinte as paredes e renove o que for preciso para sentir que está num ambiente diferente.

 

5. Promova atividades físicas

 

Sabia que é recomendado aos adultos que façam, pelo menos, 150 minutos de exercício físico moderado por semana?

 

Estar limitado pelo espaço ou pelas regras de distanciamento social não é motivo para desistir de ter um estilo de vida saudável. Pode sempre subir e descer escadas, dançar durante 30 minutos por dia, procurar vídeos com dicas de exercício rápido, ou descarregar uma aplicação que lhe lembre de sair do sofá.

 

A atividade física contribui positivamente para a saúde e, ao mesmo tempo, melhora o humor e combate a depressão e a ansiedade.

 

6. Esteja perto da cultura

 

Alguns ainda de portas fechadas, várias instituições passaram a transmitir espetáculos online.

 

Aproveite para assistir aos concertos da Gulbenkian ou expandir horizontes com os documentários da RTP Play.

 

Para os mais pequenos, a Salinha Online do D. Maria II já tem mais de 20 histórias disponíveis.

 

Para além do corpo, não se esqueça de exercitar a mente para combater o stress e a ansiedade.

 

Não hesite em procurar ajuda. Todos precisamos dela, em vários momentos da vida, por exemplo, se perdemos alguém próximo, quando estamos infelizes no trabalho ou apenas quando nos sentimos em baixo e precisamos de conversar.

O que é a saúde mental e como afeta tudo à nossa volta

Quando não estamos bem, é difícil passar tempo até com aqueles que nos são mais próximos. Podemos sentir vontade de nos isolarmos da família, sobretudo agora que o espaço de lazer e descanso passou a ser partilhado com a vida profissional.

 

Também é mais desafiante lidar com as pequenas situações do dia a dia que nos empurram para lá da linha de conforto. O teletrabalho pode ser difícil e tem um impacto direto na produtividade e na concentração.

 

Pensar no futuro também faz parte de uma mente sã e a verdade é que saúde mental não é apenas não estar doente, mas um estado de bem-estar físico, emocional e psicológico.

 

Mas não só. Para a Organização Mundial de Saúde, a saúde mental inclui mesmo a capacidade de sermos produtivos e capazes de participar na vida da comunidade, além de realizarmos o nosso potencial.

 

Este bem-estar pode ser afetado por fatores sociais, psicológicos e também biológicos.

 

Por isso, é fácil perceber que, apesar de estarmos todos a viver uma pandemia, alguns de nós têm mais dificuldade em lidar com a mudança de hábitos e rotinas. As estatísticas do Instituto Ricardo Jorge apontam que os jovens adultos e as mulheres estão nos grupos com mais sintomas de ansiedade e depressão moderada a grave.

 

Todos precisamos de ajuda, em vários momentos da nossa vida. Se sentir que não está a conseguir lidar bem com a pandemia não hesite em procurar ajuda: contacte a linha SNS 24 (808 24 24 24) para pedir aconselhamento psicológico.

Saiba reconhecer os sinais de alerta

Todos sentimos a ansiedade, o stress e as preocupações de forma diferente. Mas há sinais a que podemos estar atentos, em nós e no comportamento de quem nos rodeia.

 

Tem tido insónias? A dificuldade em adormecer ou acordar várias vezes durante a noite podem ser sinal de que algo não está bem. Para além disso, o poder regenerador de uma boa noite de sono é meio caminho andado para lidar com os momentos de maior stress.

 

E por falar em stress, sente-se mais agitado ou vê as pessoas mais próximas terem mudanças repentinas de humor? O stress pode surgir quando somos confrontados com uma situação nova ou inesperada.

 

Quando esse stress escala, podemos ser invadidos por pensamentos preocupantes sobre cenários que não existem, como o medo de vermos a família adoecer. O corpo dá sinais: o coração pode bater mais rápido e a respiração acelera. Isto são sintomas da ansiedade.

 

Também pode sentir perda de apetite, falta de energia e dificuldade em concentrar-se. Pode reconhecer noutra pessoa um estado de tristeza prolongado, desinteresse, apatia e tendência para o isolamento. Nesse caso, procure ajuda profissional: pode estar perante sinais de depressão.

 

A comunicação também pode ser mais difícil. Por que não pega no telefone e liga a um amigo com quem não fala há algum tempo? Vai surpreendê-lo, de certeza.