Loan Moratorium

Detailed information on requests for deferment of loan instalments, in the context of COVID-19.

The mortgage loan moratorium will be extended until 31 March 2021. This change is automatic; you do not need to do anything.

 

If you would like to keep the initial term of 30 September, you can do so until 20 September via NetBanco (menu Loans > Opposition to moratorium extension).

Which moratorium should I choose?

ter liquidez com o Santander

What is a loan moratorium?

It is the temporary postponement of the payment of loan instalments.

 

If, for instance, the moratorium should last 6 months and the loan was scheduled to end in June 2030, it will end instead in December 2030. During those 6 months, you will not have to pay the instalment in full or you will only pay interest.

Contabilidade fiscalidade

Differences between the Government moratorium and the Santander moratorium

 

Loans covered

 

 Santander

Government

  • Mortgage loans and other mortgage loans
  • Personal loan for education and for various purposes, up to €75,000
  • Car loan up to €75,000
  • Mortgage loans and other mortgage loans
  • Personal loan for education

 

Find out more about the covered loans

 

Documents

 

 Santander

 Estado

  • No documents will be required.
  • Certificates attesting to the current status vis-à-vis the Social Security and Tax Authorities
  • In the event of a debt exceeding €5,000, a certificate of settlement proceedings or a settlement request

 

Find out more about the necessary documents

 

Signing amendment to the loan agreement

    

 Santander

Government

  • Holders and guarantors must sign the amendment (addendum) to the agreement, either via NetBanco (digital signature) or over the counter (in person).
  • It is not necessary to sign the amendment to the agreement.

  

How do I sign the amendment to the loan agreement via NetBanco?

Will my loan’s interest rate change with the moratorium?

Existem duas soluções de moratória: a do Estado e a dos bancos.

 

O Estado aprovou uma moratória pública, estabelecida pelo Decreto-lei n.º 10-J/2020, de 26 de março (conforme alterado pela Lei n.º 8/2020, de 10 de abril, pelo Decreto-lei n.º 26/2020, de 16 de junho, e pela Lei n.º 27.º-A/2020, de 24 de julho), com medidas excecionais de suspensão temporária de cumprimento de obrigações de contratos de crédito hipotecário e crédito para estudar, para os clientes particulares elegíveis.

 

A Associação Portuguesa de Bancos (APB) aprovou moratórias privadas, em conformidade com o protocolo de 15 de abril de 2020 (conforme alterado), que também incluem crédito hipotecário (e locação financeira de imóveis destinados à habitação) e crédito para estudar (e para formação académica e profissional).

 

O Santander criou a sua moratória antes de existir a do Estado e adaptou-a à legislação publicada entretanto e às condições definidas pela APB.

 

 

  Moratória do Estado Moratória Santander
Tipos de Moratória Moratória de natureza pública, estabelecida pelo Decreto-Lei n.º 10-J/2020, de 26 de março (conforme alterado pela Lei n.º 8/2020, de 10 de abril, pelo Decreto-Lei n.º 26/2020 de 16 de junho e pela e pela Lei n.º 27.º-A/2020, de 24 de julho), contendo medidas excecionais de suspensão temporária de cumprimento de obrigações de contratos de crédito hipotecário (bem como locação financeira de imóveis destinados à habitação) e de crédito para educação (incluindo para formação académica e profissional), aplicável aos clientes particulares que preencham os requisitos de elegibilidade. Moratória de natureza privada, em conformidade com o protocolo de 15 de abril de 2020 (conforme alterado), celebrado entre o banco e a Associação Portuguesa de Bancos (APB), contendo medidas excecionais de suspensão temporária de cumprimento de obrigações, que também inclui crédito hipotecário (bem como locação financeira de imóveis destinados à habitação) e crédito para educação (incluindo para formação académica e profissional), nestes casos para os clientes que, relativamente à sua situação perante a Autoridade Tributária e Aduaneira e a Segurança Social (caso aplicável) não evidenciem (i) ter a sua situação regularizada ou (ii) estar numa das situações previstas na Lei como elegíveis para o acesso à Moratória e, para a generalidade dos clientes, outro crédito não hipotecário (nomeadamente crédito pessoal) até 75 000 euros, através de um processo de adesão simplificado.
Medidas abrangidas pela Moratória
  • Linhas de crédito contratadas: não revogação, total ou parcial, até 31 de março de 2021.
  • Créditos com pagamento de capital no final do contrato, que se vençam até 31 de março de 2021: prorrogação por um período de 12 meses, a contar da data de vencimento contratualizada.

  • Créditos com reembolso parcelar de capital ou de outras prestações pecuniárias: (i) carência de capital ou (ii) carência de capital, juros, comissões e demais encargos, com capitalização de juros, até 31 de março de 2021, havendo uma extensão da data de vencimento contratualizada, por um período idêntico ao de permanência na Moratória.
  • Créditos com pagamento de capital no final do contrato, que se vençam até 31 de março de 2021: prorrogação por um período igual ao prazo de vigência da Moratória, a contar da data de vencimento contratualizada.

  • Créditos com reembolso parcelar de capital ou de outras prestações pecuniárias: (i) carência de capital ou (ii) carência de juros, com capitalização de juros, até ao final da Moratória, sendo o prazo do contrato estendido por um período idêntico ao de permanência na Moratória.
Operações de crédito abrangidas

Crédito hipotecário:

  • Crédito para aquisição ou obras em habitação própria permanente.
  • Crédito para aquisição ou obras em habitação própria secundária.
  • Crédito para outras finalidades com garantia hipotecária.
  • Locação financeira de imóveis destinados à habitação.

Crédito não hipotecário:

  • Crédito para educação (incluindo para formação académica e profissional).

Exclusões:

  • Crédito ou financiamento para aquisição de valores mobiliários ou aquisição de posições noutros instrumentos financeiros, quer sejam garantidos ou não por esses instrumentos;
  • Crédito concedido a beneficiários de regimes, subvenções ou benefícios, designadamente fiscais, para fixação de sede em Portugal, incluindo para atividade de investimento.

 

A Moratória está disponível para créditos contratados até (e incluindo) 26 de março de 2020.

Crédito hipotecário: apenas para os clientes particulares que, relativamente à sua situação perante a Autoridade Tributária e Aduaneira e a Segurança Social (caso aplicável) não evidenciem (i) ter a sua situação regularizada ou (ii) estar numa das situações previstas na Lei como elegíveis para o acesso à Moratória.

 

Crédito não hipotecário:

  • Crédito para educação (incluindo para formação académica e profissional): apenas para os clientes particulares que, relativamente à sua situação perante a Autoridade Tributária e Aduaneira e a Segurança Social (caso aplicável) não evidenciem (i) ter a sua situação regularizada ou (ii) estar numa das situações previstas na Lei como elegíveis para o acesso à Moratória.
  • Outro crédito não hipotecário (nomeadamente crédito pessoal) até 75 000 euros.

Exclusões:

  • Crédito ou financiamento para aquisição de valores mobiliários ou aquisição de posições noutros instrumentos financeiros, quer sejam garantidos ou não por esses instrumentos;
  • Crédito concedido a beneficiários de regimes, subvenções ou benefícios, designadamente fiscais, para fixação de sede em Portugal, incluindo para atividade de investimento;
  • Cartões de crédito.

 

A Moratória está disponível para créditos contratados até (e incluindo) 26 de março de 2020.

Potenciais beneficiários e requisitos de elegibilidade Clientes que:
  • Sejam residentes ou não residentes em Portugal;
  • Em 18 de março de 2020, não estavam em mora ou com prestações em incumprimento há mais de 90 dias junto do banco ou, estando em mora ou incumprimento, não cumpram o critério de materialidade (previsto no Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2019 e no Regulamento (UE) 2018/1845 do Banco Central Europeu, de 21 de novembro de 2018), e não se encontrem em situação de insolvência, ou suspensão ou cessão de pagamentos, ou estejam a ser objeto de execução judicial por qualquer instituição junto da qual tenha um contrato de crédito.
  • Relativamente à situação perante a Autoridade Tributária e Aduaneira e a Segurança Social (caso aplicável): (i) tenham a situação regularizada na aceção, respetivamente, do Código de Procedimento e de Processo Tributário e do Código dos Regimes Contributivos do Sistema Previdencial de Segurança Social, não relevando até ao dia 30 de abril de 2020, para este efeito, as dívidas constituídas no mês de março de 2020; ou (ii) tenham uma situação irregular cuja dívida seja um montante inferior a 5 000 euros; ou (iii) tenham em curso um processo negocial de regularização do incumprimento; ou (iv) realizem pedido de regularização da situação até 30 de setembro de 2020;
  • Estejam numa das seguintes situações específicas relativas ao cliente ou a algum membro do seu agregado familiar:
    - Situação de isolamento profilático;
    - Situação de doença
    - Assistência a filhos ou netos;
    - Trabalhadores de empresas que tenham colocado os seus trabalhadores em redução do período normal de trabalho ou suspensão do contrato de trabalho, em virtude de crise empresarial;
    - Situação de desemprego registado no Instituto de Emprego e Formação Profissional;
    - Elegíveis para o apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente;
    - Trabalhadores em estabelecimento ou atividade que tenha sido objeto de encerramento determinado durante o período do estado de emergência ou durante a situação de calamidade, por imposição legal ou administrativa; ou
    - Situação de quebra temporária de rendimentos de pelo menos 20% do rendimento global do seu agregado familiar em consequência da pandemia da doença COVID-19.
Clientes que:
  • Sejam residentes ou não residentes em Portugal.
  • Em 18 de março de 2020, não estavam em mora ou com prestações em incumprimento há mais de 90 dias junto do banco ou, estando em mora ou incumprimento, não cumpram o critério de materialidade (previsto no Aviso do Banco de Portugal n.º 2/2019 e no Regulamento (UE) 2018/1845 do Banco Central Europeu, de 21 de novembro de 2018), e não se encontrem em situação de insolvência, ou suspensão ou cessão de pagamentos, ou estejam a ser objeto de execução judicial por qualquer instituição junto da qual tenha um contrato de crédito.
  • Estejam numa das seguintes situações específicas relativas ao cliente ou a algum membro do seu agregado familiar:
    - Situação de isolamento profilático;
    - Situação de doença;
    - Assistência a filhos ou netos;
    - Trabalhadores de empresas que tenham colocado os seus trabalhadores em redução do período normal de trabalho ou suspensão do contrato de trabalho, em virtude de crise empresarial;
    - Situação de desemprego registado no Instituto de Emprego e Formação Profissional;
    - Elegíveis para o apoio extraordinário à redução da atividade económica de trabalhador independente;
    - Trabalhadores em estabelecimento ou atividade que tenha sido objeto de encerramento determinado durante o período do estado de emergência ou durante a situação de calamidade, por imposição legal ou administrativa; ou
    - Situação de quebra temporária de rendimentos de pelo menos 20% do rendimento global do seu agregado familiar em consequência da pandemia da doença COVID-19.
Processo de adesão à Moratória

Forma de apresentação da declaração de adesão:

 

O pedido deverá ser remetido ao banco em suporte duradouro, preferencialmente de forma eletrónica através do formulário disponibilizado para o efeito no NetBanco, ou realizado por telefone (+351 210 526 660). 

 

É necessário que o cliente:

  • Selecione os tipos de crédito a serem abrangidos pela Moratória, bem como a opção de suspensão a que pretende aderir;
  • Assuma a responsabilidade de declarar que a sua situação se enquadra nos requisitos de elegibilidade

 

Documentação a apresentar:

 

  • Relativamente à situação perante a Autoridade Tributária e Aduaneira e a Segurança Social (caso aplicável): documentos comprovativos de (i) situação regularizada (ou declaração de que tal circunstância não é aplicável) ou de (ii) situação irregular cuja dívida seja um montante inferior a 5 000 euros; ou da (iii) existência de processo negocial em curso de regularização do incumprimento; ou de (iv) pedido de regularização da situação realizado até 30 de setembro de 2020.

 

Quem deve apresentar o pedido de adesão:

  • O pedido deve ser apresentado pelo titular do crédito.
  • Em caso de pluralidade de devedores, o pedido pode ser apresentado apenas por um dos titulares, desde que seja o titular que preencha os requisitos de elegibilidade.

 

Prazo e forma de comunicação ao cliente da aplicação, ou não aplicação, da Moratória:

  • O banco comunica no prazo de 3 dias úteis caso considere que o cliente não preenche os requisitos de elegibilidade. Caso o cliente preencha os eequisitos de elegibilidade, o banco aplica as condições da Moratória solicitada pelo cliente no prazo de 5 dias úteis.
  • O banco comunica a aceitação ou não aceitação do pedido por e-mail.

 

Formalização de aditamento contratual ao contrato de crédito:

  • Não é necessário formalizar qualquer aditamento contratual para implementar a Moratória. Para este efeito, é suficiente o envio da declaração de adesão onde se refira que cumpre as condições de acesso, acompanhada de documento comprovativo da regularidade da situação tributária e contributiva. Após o envio desta informação e da verificação pelo banco dos seus requisitos de acesso, o banco aplicará a Moratória, com efeitos à data em que foi apresentada a declaração de adesão.

Forma de apresentação da declaração de adesão:

 

O pedido deverá ser remetido de forma eletrónica através do formulário disponibilizado para o efeito no NetBanco, ou realizado por telefone (+351 210 526 660).

 

É necessário que o cliente:

  • Selecione os tipos de crédito a serem abrangidos pela Moratória Santander, bem como a opção de suspensão a que pretende aderir;
  • Assuma a responsabilidade de declarar que a sua situação se enquadra nos requisitos de elegibilidade

 

Documentação a apresentar:

  • Não é necessário a apresentação de documentos comprovativos.

 

Quem deve apresentar o pedido de adesão:

  • O pedido deve ser apresentado pelo titular do crédito.
  • Em caso de pluralidade de devedores, o pedido pode ser apresentado apenas por um dos titulares, desde que preencha os requisitos de elegibilidade, confirme que tem a autorização dos demais titulares e (caso aplicável) dos garantes, autorizando o banco a contactá-los para obtenção de esclarecimentos, pedidos de documentação e autorizações, bem como para a celebração das alterações contratuais que sejam devidas.

    Em caso de regimes especiais de concessão de crédito (como situações de bonificação, regimes especiais ou programas como IFRRU), a efetivação da Moratória poderá ainda carecer de autorização por parte de entidades terceiras.

 

 

Prazo e forma de comunicação ao cliente da aplicação, ou não aplicação, da Moratória:

  • O banco comunica a aceitação ou não aceitação do pedido por e-mail.

 

Formalização de aditamento contratual ao contrato de crédito:

  • É necessário formalizar um aditamento contratual ao contrato de crédito, com todos os intervenientes (devedores e, caso aplicável, garantes).
Duração de cada Moratória

Início: Data do pedido de adesão (sem prejuízo da necessidade de validação do pedido pelo banco).

 

Termo:

A Moratória vigora até 31 de março de 2021 ou 30 de setembro de 2020 (caso o cliente comunique ao banco, até 20 de setembro de 2020, de que não pretende beneficiar de prorrogação legal até 31 de março de 2021).

 

O cliente pode, em qualquer momento de vigência da Moratória, solicitar que sejam retomados os reembolsos de capital e/ou de juros do contrato de crédito, sem prejuízo (caso aplicável) da prorrogação do prazo do contrato de crédito, por via da Moratória.

Início: Data do pedido de adesão (sem prejuízo da necessidade de validação do pedido pelo banco e da formalização de aditamento contratual).

 

Termo:

Crédito hipotecário: 31 de março de 2020.

 

Crédito não hipotecário: Moratória por 12 meses, não ultrapassando 30 de junho de 2021. 

 

O cliente pode, em qualquer momento de vigência da Moratória, solicitar que sejam retomados os reembolsos de capital e/ou de juros do contrato de crédito, sem prejuízo (caso aplicável) da prorrogação do prazo do contrato de crédito, por via da Moratória. Para este efeito, é necessário formalizar um aditamento contratual ao contrato de crédito. 

Impactos da aplicação da Moratória no valor das prestações e no prazo de reembolso
  • Créditos com pagamento de capital no final do contrato que se vençam até 31 de março de 2021: Prorrogação da data de pagamento de capital por um período de 12 meses, a contar da data de vencimento contratualizada.

 

  • Contratos com reembolso parcelar de capital ou de outras prestações pecuniárias:

 

Carência de capital:

 

Até 31 de março de 2021, o cliente só paga juros, comissões e demais encargos. A partir de 1 de abril de 2021, o cliente pagará prestações de capital e juros, considerando o capital em dívida na data de adesão à Moratória, havendo uma extensão da data de vencimento contratualizada, por um período idêntico ao de permanência na Moratória.

 

 

Carência de capital e juros:

 

Até 31 de março de 2021, o cliente não paga juros nem amortiza capital. Os juros serão capitalizados em cada data de pagamento de juros, e no final do período da Moratória, são adicionados ao capital em dívida do contrato de crédito. No caso de contratos de crédito com pagamento mensal de prestações, o banco abdica da capitalização mensal dos juros, efetuando apenas a capitalização no final do período da Moratória.

 

As prestações são recalculadas com base no capital em dívida que inclui a capitalização de juros, havendo uma extensão do contrato atual pelo período de permanência na Moratória.

 

 

O pagamento dos demais encargos devidos ao banco no contrato de crédito será suspenso durante o período da Moratória, sendo o plano contratual de pagamento desses encargos estendido automaticamente pelo período de permanência na Moratória.

  • Créditos com pagamento de capital no final do contrato que se vençam até 31 de março de 2021: Prorrogação da data de pagamento de capital por um período igual ao prazo de vigência da moratória, a contar da data de vencimento contratualizada.

 

  • Contratos com reembolso parcelar de capital ou de outras prestações pecuniárias:

 

Carência de capital:

 

Durante o período da Moratória, o cliente só paga juros, comissões e demais encargos. Quando termina o período da Moratória, o cliente pagará prestações de capital e juros, considerando o capital em dívida no momento do pedido da Moratória, havendo uma extensão da data de vencimento contratualizada, por um período idêntico ao de permanência na Moratória.

 

Carência de capital e juros:

 

Durante o período da Moratória, o cliente não paga juros nem amortiza capital. Os juros serão capitalizados trimestralmente, e no final do período da Moratória, são adicionados ao capital em dívida do contrato de crédito. 

 

As prestações são recalculadas com base no capital em dívida que inclui a capitalização de juros, havendo uma extensão do contrato atual pelo período de permanência na Moratória.

 

Os demais encargos, contratualmente previstos (ex. comissões bancárias) poderão continuar a ser cobrados pelo banco, nos exatos termos previstos no contrato de crédito.

Impacto nas garantias prestadas na operação de crédito

Durante o período da Moratória mantêm-se válidas e eficazes as garantias concedidas pelo cliente ou por terceiros, as quais se prorrogam por igual período.

 

A Moratória implica a prorrogação automática das garantias (nomeadamente fianças e/ou avales) associadas às operações de crédito, sem necessidade de quaisquer adendas contratuais ou de quaisquer outras formalidades.

 

Os garantes serão informados pelo banco do impacto da Moratória nas garantias.

É necessário formalizar as alterações contratuais correspondentes, com intervenção dos garantes.
Prazo de adesão a cada Moratória Até 30 de setembro de 2020. Até 30 de setembro de 2020.

 

Moratorium’s conditions

Destinatário

Who can apply?

Any of the loan holders may apply, provided that they or a member of their household meet(s) the necessary conditions.

 

Condições de acesso

What conditions do I have to meet?

  • You need to have loans with Santander, either contracted or assigned until 26 March 2020.
  • One of the household members (not necessarily the loan holder) must fall under one of the following cases:
    • Temporary income reduction of at least 20% caused by the pandemic.
    • Prophylactic isolation or disease.
    • Assistance to children or grandchildren.
    • Lay-off: reduction of the normal working period or suspension of the employment agreement due to the pandemic.
    • Unemployment, registered with the Portuguese Employment and Vocational Training Institute [Instituto do Emprego e Formação Profissional].
    • Self-employed person with reduced economic activity, eligible to receive special Social Security support.
    • Employee in an activity or establishment that was forced to close during the state of emergency.
  • Having the loans paid on time, i.e., having the instalments debited from their account on the scheduled dates
    or
    Having no instalments overdue for more than 3 months.
  • Not being in a state of insolvency, suspension or cessation of payments.
  • Not being involved in any legal proceedings for the payment of debt with another bank.
  • For the Government moratorium: no debt exceeding €5,000 to the Tax Authorities or the Social Security.
    or
    In case of debt exceeding €5,000, having settlement proceedings or a settlement request filed by 30 September 2020.
  • Residing in Portugal or abroad.

 

I have more than one loan in progress – is it possible to defer the payment of all of them?

What if payments are overdue for more than 3 months?

I have a loan with Santander that was contracted by another institution (e.g. computer shop); can I apply for the Santander moratorium?

My loans were contracted with the former Banif or the former Banco Popular; can I apply for a Santander moratorium?

Applying for a moratorium

À medida

How can I apply?

Login to NetBanco:

  • Select the “Loans” tab in the dropdown menu and then “COVID-19 – Apply for the Moratorium”, to access your loans.
  • For each loan, select either apply for the Government Moratorium or the Santander Moratorium.
  • If you apply for the Government Moratorium, add the requested documents.
    Find out which documents you must submit
  • You will receive an email confirming that your application has been received and that: 
    •  it was either accepted or rejected, in case you applied for the Santander moratorium
    • it is being reviewed in case you applied for the Government moratorium..
 

If you do not use NetBanco, speak to your account manager or contact the Moratorium Helpline+351 217 807 125, available on business days, from 8am to 8pm.

 

Find out how to obtain login credentials to NetBanco

 

Payment methods

  • Not paying the instalment in full (neither principal nor interest)
  • Paying only interest.

No caso da moratória do Santander, após o pedido ser aceite, vamos contactá-lo para assinar a alteração (aditamento contratual) ao seu empréstimo:

A assinatura da alteração ao contrato de crédito pode ser feita ao balcão?
A taxa de juro do meu empréstimo vai alterar-se com a moratória?

Condições de acesso

Which documents are necessary?

For the Santander moratorium, you do not need to submit any documents.

For the Government moratorium, the loan holder submitting the application will need to submit:

  • atheir certificate of no debt or debt of up to €5,000 to the Tax Authorities (it must be requested via Portal das Finanças)
  • their certificate of no debt or debt of up to €5,000 to the Social Security (it must be requested via Segurança Social Direta)
    or
  • in case the debt exceeds €5,000 to the Social Security or to the Tax Authorities:
    • a certificate of settlement proceedings (requested at the Social Security or Tax Authorities’ offices)
      or
    • a settlement request submitted by 30 September 2020 (copy of the request sent to the Social Security or the Tax Authorities)

Advogados e solicitadores podem entregar o comprovativo de situação regularizada junto da Caixa de Previdência de Advogados e Solicitadores, que substitui o da Segurança Social.

Prazo de pagamento

Until when can I apply?

Until 30 September 2020.

Prazo alargado

When will the moratorium end?

Government

  • 31 March 2021.


Santander

  • Mortgage loans and other mortgage loans: 31 March 2021.
  • Personal loan: 12-month validity or until the cut-off date of 30 June 2021.

O prazo de fim das moratórias para crédito habitação foi alargado para 31 de março de 2021.

Se quiser manter a data inicial de 30 de setembro, entre no NetBanco (menu Empréstimos > Oposição extensão moratória) e cancele, até 20 de setembro, a extensão do prazo..


Se aderiu à moratória do Estado:

  • não precisa de fazer nada para ter a extensão do prazo até 31 de março de 2021, é automático.

Se aderiu à moratória do Santander:

  • se ainda não assinou a alteração ao seu empréstimo (aditamento contratual), o prazo da moratória será alargado, de forma automática, até 31 de março de 2021.
  • se já assinou a alteração ao seu empréstimo (aditamento contratual), com a moratória a acabar a 30 de setembro de 2020, vamos entrar em contacto consigo para saber se pretende alargar o prazo até 31 de março de 2021.
Taxa de juro

If I apply for the moratorium, will I pay more for my loan?

Yes, in interest.

 

Example for the Government moratorium, between August 2020 and March 2021 (8 months), of a mortgage loan ending in 15 years, with an outstanding amount of €100,000 and a constant interest rate of 1.677%:

 

  Before the moratorium After the moratorium, where interest was paid After the moratorium, where neither principal nor interest was paid
Instalment €628.74 €628.74 €635.77
Interest until the end of the loan €13,173.80€ €14,291.80 €14,439.05



Will my loan’s interest rate change with the moratorium?

Se só está a pagar juros durante a moratória: quando terminar a moratória, as prestações que vai pagar são recalculadas com base no capital que estava em dívida quando pediu a moratória e no novo prazo do empréstimo (prazo inicial + meses da moratória).

 

Se não está a pagar nem capital, nem juros: os juros não cobrados acrescem ao capital em dívida. Quando a moratória terminar, as prestações que vai pagar são recalculadas com base no novo capital em dívida e no novo prazo do empréstimo (prazo inicial + meses da moratória).

After the moratorium request

Mobilização antecipada

How long will it take to get an answer?

As soon as we receive the application, due to technical reasons, the full payment of the instalments (principal + interest) will be suspended, even if you have chosen to continue paying the interest. It may take a few days until we are able to charge the instalment corresponding to interest.
 
When does the moratorium commence?
On the date of the application (if accepted).

Mais detalhes sobre os prazos de resposta da moratória do Estado

  • Se o seu pedido for recusado, o resultado é comunicado até 3 dias úteis.
  • Se forem necessários novos documentos, iremos pedi-los por e-mail.
  • Para adicionar novos documentos, tem de aguardar pela resposta ao pedido, o que demora, pelo menos, 3 dias úteis. O período de análise passa a contar a partir da data de envio dos novos documentos.
  • Se o pedido for aceite, a confirmação é comunicada até 5 dias úteis.
Prazo

Can I resume paying the instalments before the end of the moratorium?

Yes.


You must notify Santander or wait until this option is available at NetBanco, in October.
However, even if you resume payments earlier than planned, it will be possible that the new term will continue to include the months of the moratorium.

 

For instance, if you applied for the moratorium in August 2020 and scheduled to resume payments after March 2021, but you prefer to start paying as early as December 2020, then the term of the loan will nonetheless be extended for another eight months.