Caso deseje constituir uma poupança e rentabilizar o seu dinheiro, pode fazer sentido conhecer os seguros financeiros, as suas características e potencialidades. Neste artigo, vamos apresentar-lhe os vários tipos de seguros financeiros e enquadrá-los numa estratégia de investimento.

Seguros financeiros pensados para a sua poupança

Os seguros financeiros são constituídos como contratos de seguro de vida e dividem-se genericamente em dois tipos:

 

Seguros de Capitalização

Tipicamente com capital e rendimento garantido pela companhia de seguros, podendo beneficiar também de participação nos lucros da seguradora.

 

Seguros Ligados a Fundos de Investimento (Unit Linked)

Produtos que aliam as características da gestão de um fundo de investimento com os benefícios de um seguro (nomeadamente fiscais e coberturas). São aplicações financeiras com risco, nomeadamente a possibilidade de perda de parte do capital investido e possibilidade de ter rendibilidade nula ou negativa.

Qual o retorno dos seguros financeiros?

O investimento em seguros financeiros pode ter capital e rendimento garantido (seguros de capitalização) ou pode depender da valorização de um conjunto de ativos, como mercado monetário, obrigações financeiras, ativos e outros (seguros unit linked). Assim, existem seguros financeiros para todos os perfis de investimento e de risco.

Quais as vantagens de investir em seguros financeiros?

Os seguros financeiros são alternativas potencialmente interessantes na estratégia de aforro por um conjunto de vantagens:

  • Existência de benefícios fiscais muito atrativos;
  • Coberturas como, por exemplo, morte por acidente e acidente de circulação;
  • Possibilidade de livre nomeação de beneficiários;
  • Possibilidade de constituição e reforços periódicos com baixos montantes;
  • Diversificação de investimento;
  • Acesso a uma equipa de gestão profissional e a ativos/mercados que de outro modo poderiam estar vedados a investidores particulares.

Quais os benefícios fiscais dos seguros financeiros?

Para a generalidade das aplicações financeiras a tributação sobre as mais-valias é de 28% (desde que não opte pelo englobamento). No caso dos seguros financeiros, esta tributação depende do prazo de investimento e para 2020 será:

  • Para resgates feitos após 5 anos e 1 dia, a retenção de IRS sobre os rendimentos é de apenas 22,4%, caso 35% das entregas tenha sido feita durante a primeira metade do prazo.
  • Após 8 anos e 1 dia, será de apenas 11,2%.
  • No caso de residentes na Região Autónoma dos Açores, é aplicada às taxas referidas uma redução de 20% (para 17,92% e 8,96%, respetivamente).

Como pode resgatar os seus seguros financeiros?

Os seguros financeiros são aplicações financeiras pensadas para o aforro de médio / longo prazo, daí que disponham de uma tributação mais favorável para horizontes superiores a 5 anos e 1 dia.

No entanto, pode resgatar estes seguros a qualquer momento, total ou parcialmente. Pode acontecer ter de suportar uma comissão de resgate, mas para prazos superiores a 12 meses esta penalização tipicamente não existe.

Como enquadrar os seguros financeiros na sua carteira?

Os seguros financeiros são alternativas potencialmente interessantes na estratégia de investimento de qualquer pessoa. Aliam as características e vantagens dos fundos de investimento com as vantagens dos seguros de vida.

Assim e em igualdade de circunstâncias, poderá considerar os seguros financeiros na sua carteira de investimento e na sua estratégia de diversificação. Tenha em atenção o horizonte temporal de investimento para beneficiar ao máximo da redução da tributação. Em todo o caso, é fundamental que conheça a informação pré-contratual dos produtos e que, em caso de dúvida, visite o seu balcão.

 

 

Publicado a 02 out 2020

Outras categorias