O novo normal após a pandemia

bem-estar

O que é afinal este novo normal? Como torná-lo melhor?

07 set 2021 | 6 min de leitura

O que é afinal o novo normal? E poderá ser um normal melhor? Aproveite a oportunidade para usar o que aprendeu na pandemia a seu favor.

Meses de pandemia deixaram uma marca e uma enorme vontade de viver o chamado novo normal. Mas, afinal, o que é este novo normal e como pode ser ainda melhor do que a vida antes da COVID-19?

 

Confinamentos, restrições, distanciamento, cancelamentos, adiamentos, mudanças de hábitos. Os últimos meses trouxeram grandes alterações, nem sempre boas, é verdade. Mas agora que a vida vai regressando à normalidade possível, como encarar esta nova etapa, sendo certo que há coisas que dificilmente voltarão a ser como eram?

 

O novo normal pode ser, afinal, um normal melhor do que aquele que existia até março de 2020. Basta perceber o que lhe fez bem durante estes meses e tentar replicar isso na sua vida diária.

 

Acha difícil? Veja alguns exemplos.

 

Casa & Família

Passar mais tempo em casa e com a família próxima fez com que fosse dada mais atenção a estes dois pontos tão importantes na nossa vida. Foi tempo de tornar a casa mais acolhedora, mais organizada e, em alguns casos, até de mudar, procurando um local maior ou mais perto da natureza. Muitos deixaram a cidade e optaram por passar a viver no campo.

 

Para outros foi a altura de usufruir mais da cozinha, de cultivar uma pequena horta na varanda ou de transformar o terraço numa esplanada cheia de charme.

 

Agora que o novo normal está a chegar, mantenha estes bons hábitos: cozinhar em família, jantar na varanda, fazer serões sem televisão e sem consolas de jogos, ter os armários organizados, partilhar tarefas e usufruir do tempo em que está com os seus.

 

A pandemia pode ter mantido muitas famílias fisicamente afastadas, já que era difícil viajar e existia a preocupação de proteger os mais vulneráveis. No entanto, esse afastamento fez com que se valorizasse mais um encontro ou reencontro. O aniversário festejado via “zoom”, os jantares partilhados através de um ecrã e os telefonemas frequentes aproximaram pessoas que, até aí, pareciam estar muito ocupadas com o seu dia a dia.

 

Costuma dizer-se que é nas alturas mais difíceis que percebemos quem são os amigos. Talvez a pandemia tenha trazido boas surpresas. Fortaleça essas relações no novo normal. Marque finalmente “aquele café” há muito adiado, não procure desculpas para faltar àquele jantar e vá visitar aquele amigo que mora mais longe.

 

Saúde física e mental

Sim, a pandemia pode ter trazido alguns hábitos pouco saudáveis (muito sofá, mais pão e bolos do que é habitual, lembra-se?), mas levou também a algumas mudanças boas.

 

Devido ao confinamento, muitas pessoas deixaram de fumar, outras começaram a fazer exercício como desculpa para sair de casa ou porque descobriram que podem treinar em casa com mais motivação do que no ginásio.

 

A boa notícia é que pode manter e reforçar esses hábitos no novo normal. E certamente que, a partir de agora, vai pensar duas vezes antes de tocar em portas ou corrimões em locais públicos. Lavar mais vezes as mãos, tossir para o cotovelo e manter alguma distância nas filas são hábitos saudáveis (já pensou quantas gripes pode evitar assim?) que não tem de abandonar.

 

A saúde mental tem sido um tema bastante discutido nos últimos meses e isso é bom. Todos percebemos como é importante cuidar dela e que é normal e até benéfico procurar ajuda quando algo não está bem.

 

Se uma atleta de topo desiste de um torneio de ténis ou de uma prova nos Jogos Olímpicos, qual é o problema de recuar se há algo na sua vida que ameaça a sua saúde mental? Sejam situações de pressão, relações ou hábitos. Se algo não lhe faz bem, afaste-se. Ponha a sua saúde mental em primeiro lugar e vai ver que o novo normal será, pelo menos, mais leve.

 

Trabalho

O teletrabalho funcionou? Então, talvez seja altura de negociar e passar a ter esse regime durante alguns dias por mês.

 

Percebeu que grande parte das deslocações e reuniões de trabalho eram perfeitamente desnecessárias? Excelente. Não retome esse hábito e opte por videochamadas (ou até e-mails) para resolver esses assuntos. Verá que faz uma melhor gestão do seu tempo e que a produtividade vai aumentar.

 

A pandemia trouxe, para muitos, uma perceção mais forte sobre a importância do equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal. Se conseguiu esse equilíbrio, ou se já sabe como consegui-lo, mantenha esse rumo.

 

Se durante a pandemia teve uma boa ideia para um negócio, ou se percebeu que não gosta do seu emprego, talvez o novo normal seja a altura certa para começar a fazer o que sempre quis. Com cautela, obviamente, mas sem perder de vista esse objetivo.

 

Comportamento

Que impacto teve a pandemia na sua vida e na sua forma de ver o mundo?

 

Uma das coisas que terá percebido é que todos temos uma enorme capacidade de adaptação. Das aulas em casa às compras online, foram muitos os hábitos que se alteraram. E, de uma forma ou de outra, todos acabamos por perceber que somos capazes de fazer as coisas de forma diferente. A chamada “zona de conforto” é, afinal, um limite autoimposto e, por isso, o novo normal pode servir para aumentar esses limites.

 

Numa época difícil foram muitas as manifestações de solidariedade em diversas escalas. Se a pandemia despertou esse seu lado, ou se sente que deve envolver-se mais na sua comunidade, aproveite o novo normal para participar em ações de voluntariado ou para estar com mais atenção às necessidades de quem está por perto.

 

Aproveitou o confinamento para assistir a webinars ou para tirar cursos online? Percebeu que quer continuar a aprender e a evoluir? Não perca esse hábito e inclua esse objetivo no novo normal.

 

Ambiente

Com menos carros na estrada, menos aviões no ar e menos seres humanos em circulação, o ar tornou-se mais limpo e, em muitos locais, a natureza recuperou terreno perdido.

 

A pandemia pode ter trazido uma maior consciência ambiental e isso é algo que é importante manter no novo normal. Usar mais a bicicleta e menos o carro, reciclar e reutilizar mais, comprar menos, abrir a janela em vez de usar o ar condicionado… A lista do que pode fazer pelo ambiente é infindável. Os recursos naturais não. Por isso, procure que o novo normal seja mais verde e verá como pode fazer a diferença.

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Meses de pandemia deixaram uma marca e uma enorme vontade de viver o chamado novo normal. Mas, afinal, o que é este novo normal e como pode ser ainda melhor do que a vida antes da COVID-19?

 

Confinamentos, restrições, distanciamento, cancelamentos, adiamentos, mudanças de hábitos. Os últimos meses trouxeram grandes alterações, nem sempre boas, é verdade. Mas agora que a vida vai regressando à normalidade possível, como encarar esta nova etapa, sendo certo que há coisas que dificilmente voltarão a ser como eram?

 

O novo normal pode ser, afinal, um normal melhor do que aquele que existia até março de 2020. Basta perceber o que lhe fez bem durante estes meses e tentar replicar isso na sua vida diária.

 

Acha difícil? Veja alguns exemplos.

 

Casa & Família

Passar mais tempo em casa e com a família próxima fez com que fosse dada mais atenção a estes dois pontos tão importantes na nossa vida. Foi tempo de tornar a casa mais acolhedora, mais organizada e, em alguns casos, até de mudar, procurando um local maior ou mais perto da natureza. Muitos deixaram a cidade e optaram por passar a viver no campo.

 

Para outros foi a altura de usufruir mais da cozinha, de cultivar uma pequena horta na varanda ou de transformar o terraço numa esplanada cheia de charme.

 

Agora que o novo normal está a chegar, mantenha estes bons hábitos: cozinhar em família, jantar na varanda, fazer serões sem televisão e sem consolas de jogos, ter os armários organizados, partilhar tarefas e usufruir do tempo em que está com os seus.

 

A pandemia pode ter mantido muitas famílias fisicamente afastadas, já que era difícil viajar e existia a preocupação de proteger os mais vulneráveis. No entanto, esse afastamento fez com que se valorizasse mais um encontro ou reencontro. O aniversário festejado via “zoom”, os jantares partilhados através de um ecrã e os telefonemas frequentes aproximaram pessoas que, até aí, pareciam estar muito ocupadas com o seu dia a dia.

 

Costuma dizer-se que é nas alturas mais difíceis que percebemos quem são os amigos. Talvez a pandemia tenha trazido boas surpresas. Fortaleça essas relações no novo normal. Marque finalmente “aquele café” há muito adiado, não procure desculpas para faltar àquele jantar e vá visitar aquele amigo que mora mais longe.

 

Saúde física e mental

Sim, a pandemia pode ter trazido alguns hábitos pouco saudáveis (muito sofá, mais pão e bolos do que é habitual, lembra-se?), mas levou também a algumas mudanças boas.

 

Devido ao confinamento, muitas pessoas deixaram de fumar, outras começaram a fazer exercício como desculpa para sair de casa ou porque descobriram que podem treinar em casa com mais motivação do que no ginásio.

 

A boa notícia é que pode manter e reforçar esses hábitos no novo normal. E certamente que, a partir de agora, vai pensar duas vezes antes de tocar em portas ou corrimões em locais públicos. Lavar mais vezes as mãos, tossir para o cotovelo e manter alguma distância nas filas são hábitos saudáveis (já pensou quantas gripes pode evitar assim?) que não tem de abandonar.

 

A saúde mental tem sido um tema bastante discutido nos últimos meses e isso é bom. Todos percebemos como é importante cuidar dela e que é normal e até benéfico procurar ajuda quando algo não está bem.

 

Se uma atleta de topo desiste de um torneio de ténis ou de uma prova nos Jogos Olímpicos, qual é o problema de recuar se há algo na sua vida que ameaça a sua saúde mental? Sejam situações de pressão, relações ou hábitos. Se algo não lhe faz bem, afaste-se. Ponha a sua saúde mental em primeiro lugar e vai ver que o novo normal será, pelo menos, mais leve.

 

Trabalho

O teletrabalho funcionou? Então, talvez seja altura de negociar e passar a ter esse regime durante alguns dias por mês.

 

Percebeu que grande parte das deslocações e reuniões de trabalho eram perfeitamente desnecessárias? Excelente. Não retome esse hábito e opte por videochamadas (ou até e-mails) para resolver esses assuntos. Verá que faz uma melhor gestão do seu tempo e que a produtividade vai aumentar.

 

A pandemia trouxe, para muitos, uma perceção mais forte sobre a importância do equilíbrio entre a vida profissional e a vida pessoal. Se conseguiu esse equilíbrio, ou se já sabe como consegui-lo, mantenha esse rumo.

 

Se durante a pandemia teve uma boa ideia para um negócio, ou se percebeu que não gosta do seu emprego, talvez o novo normal seja a altura certa para começar a fazer o que sempre quis. Com cautela, obviamente, mas sem perder de vista esse objetivo.

 

Comportamento

Que impacto teve a pandemia na sua vida e na sua forma de ver o mundo?

 

Uma das coisas que terá percebido é que todos temos uma enorme capacidade de adaptação. Das aulas em casa às compras online, foram muitos os hábitos que se alteraram. E, de uma forma ou de outra, todos acabamos por perceber que somos capazes de fazer as coisas de forma diferente. A chamada “zona de conforto” é, afinal, um limite autoimposto e, por isso, o novo normal pode servir para aumentar esses limites.

 

Numa época difícil foram muitas as manifestações de solidariedade em diversas escalas. Se a pandemia despertou esse seu lado, ou se sente que deve envolver-se mais na sua comunidade, aproveite o novo normal para participar em ações de voluntariado ou para estar com mais atenção às necessidades de quem está por perto.

 

Aproveitou o confinamento para assistir a webinars ou para tirar cursos online? Percebeu que quer continuar a aprender e a evoluir? Não perca esse hábito e inclua esse objetivo no novo normal.

 

Ambiente

Com menos carros na estrada, menos aviões no ar e menos seres humanos em circulação, o ar tornou-se mais limpo e, em muitos locais, a natureza recuperou terreno perdido.

 

A pandemia pode ter trazido uma maior consciência ambiental e isso é algo que é importante manter no novo normal. Usar mais a bicicleta e menos o carro, reciclar e reutilizar mais, comprar menos, abrir a janela em vez de usar o ar condicionado… A lista do que pode fazer pelo ambiente é infindável. Os recursos naturais não. Por isso, procure que o novo normal seja mais verde e verá como pode fazer a diferença.

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Obrigado pelo seu feedback!