Como poupar dinheiro em tempos de crise

finanças

Poupar dinheiro é possível?

03 nov 2021 | 2 min de leitura

Compreenda o fenómeno do aumento da taxa de poupança em momentos de crise e descubra como pode poupar dinheiro todos os meses.

Podemos ser tentados a responder de imediato a esta questão com um rotundo não. Não é possível poupar dinheiro por inúmeros motivos. Mas será que isto é mesmo assim? Será que é impossível colocar dinheiro de parte? É sobre isso que falaremos já de seguida.

 

O que acontece à poupança do seu dinheiro em momentos de crise?

Já reparou que em momentos de crise ou de incerteza a poupança aumenta? Se é impossível poupar, como podemos justificar este comportamento? A explicação é simples: em momentos de incerteza tendemos a retrair ou adiar algumas decisões de consumo ou de investimento, procurando ganhar maior clareza face ao futuro que se avizinha. É também nestas alturas que procuramos ter maior criatividade na gestão do nosso dinheiro. E com isto a taxa de poupança das famílias aumenta de forma imediata.

 

Ganhar consciência quanto às nossas despesas mensais

Referimos acima que somos mais criativos na gestão do nosso dinheiro quando confrontados com a incerteza. E isto acontece porque ganhamos uma maior consciência quanto às nossas despesas mensais. Ficamos mais atentos à razoabilidade de determinada despesa e acabamos por questionar se devemos ou não continuar com estas despesas.

 

Ao sabermos como controlar as despesas mensais acabamos por criar estratégias para as mitigar ou reduzir. E nestas alturas as pequenas poupanças podem fazer a diferença. Por exemplo, se é cliente do Mundo 123 poderá beneficiar de algumas vantagens como sendo, entre outros:

 

  1. Reembolso de uma percentagem dos pagamentos que faz no dia a dia
  2. Poupança de 3% do IMI e na Via Verde
  3. Desconto nos combustíveis da Repsol
  4. Vantagens nas parcerias Santander

 

 

Como pode poupar dinheiro?

Sendo seres de hábitos podemos usar uma estratégia infalível para poupar dinheiro todos os meses e sem se dar conta. Esta estratégia passa por criar um efeito de escassez na nossa conta bancária em 3 passos:

  1. Escolher uma aplicação financeira para constituir um fundo de emergência
  2. Definir um montante de poupança mensal
  3. Criar um programa de entregas programadas automáticas para esta aplicação.

Irá reparar que com esta estratégia vai conseguir poupar todos os meses. No primeiro mês poderá notar a diferença no seu orçamento mensal mas acabará por se ajustar e por se esquecer que está a poupar. Passado uns meses já terá o seu fundo de emergência constituído, contribuindo assim para uma maior segurança financeira da sua família.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Podemos ser tentados a responder de imediato a esta questão com um rotundo não. Não é possível poupar dinheiro por inúmeros motivos. Mas será que isto é mesmo assim? Será que é impossível colocar dinheiro de parte? É sobre isso que falaremos já de seguida.

 

O que acontece à poupança do seu dinheiro em momentos de crise?

Já reparou que em momentos de crise ou de incerteza a poupança aumenta? Se é impossível poupar, como podemos justificar este comportamento? A explicação é simples: em momentos de incerteza tendemos a retrair ou adiar algumas decisões de consumo ou de investimento, procurando ganhar maior clareza face ao futuro que se avizinha. É também nestas alturas que procuramos ter maior criatividade na gestão do nosso dinheiro. E com isto a taxa de poupança das famílias aumenta de forma imediata.

 

Ganhar consciência quanto às nossas despesas mensais

Referimos acima que somos mais criativos na gestão do nosso dinheiro quando confrontados com a incerteza. E isto acontece porque ganhamos uma maior consciência quanto às nossas despesas mensais. Ficamos mais atentos à razoabilidade de determinada despesa e acabamos por questionar se devemos ou não continuar com estas despesas.

 

Ao sabermos como controlar as despesas mensais acabamos por criar estratégias para as mitigar ou reduzir. E nestas alturas as pequenas poupanças podem fazer a diferença. Por exemplo, se é cliente do Mundo 123 poderá beneficiar de algumas vantagens como sendo, entre outros:

 

  1. Reembolso de uma percentagem dos pagamentos que faz no dia a dia
  2. Poupança de 3% do IMI e na Via Verde
  3. Desconto nos combustíveis da Repsol
  4. Vantagens nas parcerias Santander

 

 

Como pode poupar dinheiro?

Sendo seres de hábitos podemos usar uma estratégia infalível para poupar dinheiro todos os meses e sem se dar conta. Esta estratégia passa por criar um efeito de escassez na nossa conta bancária em 3 passos:

  1. Escolher uma aplicação financeira para constituir um fundo de emergência
  2. Definir um montante de poupança mensal
  3. Criar um programa de entregas programadas automáticas para esta aplicação.

Irá reparar que com esta estratégia vai conseguir poupar todos os meses. No primeiro mês poderá notar a diferença no seu orçamento mensal mas acabará por se ajustar e por se esquecer que está a poupar. Passado uns meses já terá o seu fundo de emergência constituído, contribuindo assim para uma maior segurança financeira da sua família.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).