Como acionar o seguro em caso de emergência médica

bem-estar

Com um seguro de emergência médica está preparado para qualquer eventualidade

20 ago 2021 | 3 min de leitura

Uma das vantagens dos seguros é a proteção em situações inesperadas. Saiba como acionar o seguro em caso de emergência médica.

Ter um seguro de saúde de emergências médicas é uma solução mais rápida e cómoda para aceder a cuidados de saúde. Conheça as vantagens e saiba o que fazer para acionar o seu seguro.

 

Se tem um seguro de saúde, já conhece todas as vantagens deste sistema que permite o acesso rápido a consultas, exames, tratamentos e cirurgias. Não ter de esperar meses por uma consulta ou poder ser atendido mais rapidamente quando um dos seus filhos adoece são, sem dúvida, vantagens, sobretudo numa altura em que os serviços públicos sofrem maiores constrangimentos.

 

Qual é a utilidade de um seguro de saúde em emergências médicas? Veja se compensa.


Vantagens dos seguros de saúde para emergências médicas

Se no dia a dia ter um seguro de saúde reduz as suas preocupações, em situações de emergência tem ainda mais utilidade. Falamos, claro, de pequenas emergências e não de doenças graves ou acidentes, casos em que deve recorrer ao 112, para que tenha a assistência necessária e atempada.

 

Mas, felizmente, nem todas as emergências exigem a intervenção do INEM.


Imagine que está com uma febre alta, ou que aquela infeção não passa, apesar de estar há vários dias a tomar um antibiótico. Neste caso, ter um médico ao domicílio pode ser uma solução a ter em conta. Ou pode optar por ir a uma urgência num hospital privado, beneficiando assim de um atendimento mais rápido, que permite perceber o que se passa e se é necessário outro tipo de tratamento.

 

Um dos seus filhos voltou da escola doente, não consegue comer e não tem a certeza se é mais uma virose ou se pode ser uma intoxicação alimentar, o que fazer? Esperar que passe não é solução, mas fazer com que espere horas numa urgência hospitalar também não lhe parece boa ideia.

 

Com um seguro de saúde para emergências médicas pode levá-lo a um hospital privado, pagando menos e recebendo cuidados mais rápidos. Assim, e em vez de passar a noite na urgência, em pouco tempo estará de regresso a casa e com o tratamento adequado.



Como funcionam os seguros de saúde para emergências médicas?

Para ter acesso a este tipo de cuidado deverá contratar este tipo de cobertura. Se ainda não tem, informe-se junto da seguradora das condições para a poder adicionar já que, como vimos, é bastante útil.

 

Depois, e em caso de emergência médica, basta escolher um hospital. Se o seu seguro de saúde tiver um sistema de rede convencionada, pagará menos do que qualquer utente que não tenha seguro. Se funcionar num sistema de reembolso, terá de enviar a fatura para poder depois receber uma parte do que gastou.

 

Isto é, ao ter um seguro de saúde para emergências médicas poupa sempre dinheiro. Já para não falar do tempo e das preocupações.


O que fazer em caso de acidente ou doença?

Se precisar de acionar o seu seguro de saúde numa emergência médica, deverá cumprir certos deveres:

 

  • Informar a seguradora sobre as circunstâncias e consequências do acidente ou doença;
  • Cumprir as indicações do médico assistente;
  • Sujeitar-se, se for necessário, a ser examinado por um médico indicado pela seguradora;
  • Apresentar os comprovativos das despesas com os cuidados de saúde prescritos e necessários;
  • Sempre que possível, solicitar uma autorização prévia do segurador para internamento hospitalar.

 

Como funciona seguro para emergências médicas em viagem?

Nem todos os seguros de saúde são válidos no estrangeiro, pelo que o primeiro passo é saber se está abrangido por essa cobertura. Caso esteja, poderá receber, no país onde estiver, os mesmos cuidados que receberia em Portugal.

 

Existem casos em que a seguradora tem protocolos com hospitais e clínicas fora do país, pelo que pode recorrer a esses serviços.

 

Assim, antes de viajar, informe-se sobre as condições do seu seguro de saúde e pondere adicionar esta cobertura, caso não a tenha.


Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria

Ter um seguro de saúde de emergências médicas é uma solução mais rápida e cómoda para aceder a cuidados de saúde. Conheça as vantagens e saiba o que fazer para acionar o seu seguro.

 

Se tem um seguro de saúde, já conhece todas as vantagens deste sistema que permite o acesso rápido a consultas, exames, tratamentos e cirurgias. Não ter de esperar meses por uma consulta ou poder ser atendido mais rapidamente quando um dos seus filhos adoece são, sem dúvida, vantagens, sobretudo numa altura em que os serviços públicos sofrem maiores constrangimentos.

 

Qual é a utilidade de um seguro de saúde em emergências médicas? Veja se compensa.


Vantagens dos seguros de saúde para emergências médicas

Se no dia a dia ter um seguro de saúde reduz as suas preocupações, em situações de emergência tem ainda mais utilidade. Falamos, claro, de pequenas emergências e não de doenças graves ou acidentes, casos em que deve recorrer ao 112, para que tenha a assistência necessária e atempada.

 

Mas, felizmente, nem todas as emergências exigem a intervenção do INEM.


Imagine que está com uma febre alta, ou que aquela infeção não passa, apesar de estar há vários dias a tomar um antibiótico. Neste caso, ter um médico ao domicílio pode ser uma solução a ter em conta. Ou pode optar por ir a uma urgência num hospital privado, beneficiando assim de um atendimento mais rápido, que permite perceber o que se passa e se é necessário outro tipo de tratamento.

 

Um dos seus filhos voltou da escola doente, não consegue comer e não tem a certeza se é mais uma virose ou se pode ser uma intoxicação alimentar, o que fazer? Esperar que passe não é solução, mas fazer com que espere horas numa urgência hospitalar também não lhe parece boa ideia.

 

Com um seguro de saúde para emergências médicas pode levá-lo a um hospital privado, pagando menos e recebendo cuidados mais rápidos. Assim, e em vez de passar a noite na urgência, em pouco tempo estará de regresso a casa e com o tratamento adequado.



Como funcionam os seguros de saúde para emergências médicas?

Para ter acesso a este tipo de cuidado deverá contratar este tipo de cobertura. Se ainda não tem, informe-se junto da seguradora das condições para a poder adicionar já que, como vimos, é bastante útil.

 

Depois, e em caso de emergência médica, basta escolher um hospital. Se o seu seguro de saúde tiver um sistema de rede convencionada, pagará menos do que qualquer utente que não tenha seguro. Se funcionar num sistema de reembolso, terá de enviar a fatura para poder depois receber uma parte do que gastou.

 

Isto é, ao ter um seguro de saúde para emergências médicas poupa sempre dinheiro. Já para não falar do tempo e das preocupações.


O que fazer em caso de acidente ou doença?

Se precisar de acionar o seu seguro de saúde numa emergência médica, deverá cumprir certos deveres:

 

  • Informar a seguradora sobre as circunstâncias e consequências do acidente ou doença;
  • Cumprir as indicações do médico assistente;
  • Sujeitar-se, se for necessário, a ser examinado por um médico indicado pela seguradora;
  • Apresentar os comprovativos das despesas com os cuidados de saúde prescritos e necessários;
  • Sempre que possível, solicitar uma autorização prévia do segurador para internamento hospitalar.

 

Como funciona seguro para emergências médicas em viagem?

Nem todos os seguros de saúde são válidos no estrangeiro, pelo que o primeiro passo é saber se está abrangido por essa cobertura. Caso esteja, poderá receber, no país onde estiver, os mesmos cuidados que receberia em Portugal.

 

Existem casos em que a seguradora tem protocolos com hospitais e clínicas fora do país, pelo que pode recorrer a esses serviços.

 

Assim, antes de viajar, informe-se sobre as condições do seu seguro de saúde e pondere adicionar esta cobertura, caso não a tenha.


Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria

Quer receber o ''Guia completo sobre seguros de saúde''?

Insira o seu e-mail para subscrever a newsletter e descarregar o e-book

Já pode ler o e-book ''Guia seguros de saúde''

O e-book foi descarregado. Vai também passar a receber os artigos do Salto no seu e-mail

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).