o que é perfil de investidor

finanças

Como saber se investir é para mim?

14 mai 2021 | 2 min de leitura
Como saber se investir é para mim? A resposta é que investir é para todos, mas tenha em atenção alguns critérios.

Todas as pessoas querem ganhar mais dinheiro mas na altura de fazer por isso são poucas as pessoas que querem dar esse passo. O pior é que achamos que ganhar dinheiro é só para os outros e não sabemos que é possível termos a liberdade e o conforto financeiro que merecemos. Neste artigo queremos que conclua que investir é para toda a gente.

 

Quer ter conforto financeiro?

Quem não quer ter conforto financeiro? Quem não quer ter a segurança financeira para viver a sua vida de forma descansada? Ter uma postura de investidor ajuda a ter conforto financeiro. Pode não ser nos primeiros momentos, pois investir exige que assuma algum risco. No entanto, ter uma postura de investidor é sinónimo de criação de hábitos de poupança e conforto na gestão do risco.

 

Quer concretizar os seus sonhos?

Infelizmente, muitos dos sonhos que temos acabam por ter uma tradução em custos financeiros. Cada pessoa tem os seus sonhos e objetivos de vida. Uns querem ter uma casa de sonho. Outros querem fazer a viagem das suas vidas. Outros querem apenas a tranquilidade de não ter de pensar em dinheiro. O importante é definir os seus objetivos e tentar medi-los em termos de custos financeiros. Depois, temos de começar a poupar dinheiro para atingir esses objetivos.

 

Quer ter mais rendimentos?

Ao investir estamos a apostar em projetos criadores de valor, na expectativa que as suas operações se traduzam em receitas e lucros que sejam depois distribuídos aos credores ou aos acionistas. Aqui, podemos desejar investir para ganhar com a valorização (implicará que depois vamos vender o ativo) ou para obter rendimentos periódicos (na forma de juros, cupões ou dividendos). O certo é que investir irá representar um benefício potencial. Claro que para ganharmos mais temos de estar na disposição de perder, numa lógica de risco retorno que nunca podemos esquecer.

 

Percebemos claramente que para atingirmos outros patamares financeiros precisamos de investir. Precisamos de colocar o dinheiro a trabalhar para nós próprios. Mas temos também de seguir alguns passos:

  • Perceber os nossos objetivos – Saber quanto temos de poupar e como vamos poupar para os atingir
  • Perceber o nosso perfil de risco – Saber como lidamos com o risco é fundamental para definir o esforço de poupança mensal e escolher as aplicações financeiras que deveremos adquirir
  • Aplicar o dinheiro – Temos de ser consequentes com as nossas decisões. Se queremos definir um cabaz de poupança devemos analisar as aplicações ao nosso dispor, mas, mais importante, escolher e começar um programa de entregas programadas.

 

Será que investir é para mim?

Do exposto, terá ficado claro que investir é para toda a gente. Pode ter um perfil mais conservador ou mas agressivo, mas existem aplicações financeiras para todos os perfis e objetivos. Por exemplo, no curto prazo podemos ter os depósitos a prazo e no longo prazo podemos subscrever planos poupança reforma ou seguros financeiros. E existem aplicações desenhadas para que consiga melhorar o seu conforto financeiro com um esforço de poupança mensal adequado ao seu orçamento familiar. Contacte o seu gestor de conta e saiba as alternativas ao seu dispor.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

 

Todas as pessoas querem ganhar mais dinheiro mas na altura de fazer por isso são poucas as pessoas que querem dar esse passo. O pior é que achamos que ganhar dinheiro é só para os outros e não sabemos que é possível termos a liberdade e o conforto financeiro que merecemos. Neste artigo queremos que conclua que investir é para toda a gente.

 

Quer ter conforto financeiro?

Quem não quer ter conforto financeiro? Quem não quer ter a segurança financeira para viver a sua vida de forma descansada? Ter uma postura de investidor ajuda a ter conforto financeiro. Pode não ser nos primeiros momentos, pois investir exige que assuma algum risco. No entanto, ter uma postura de investidor é sinónimo de criação de hábitos de poupança e conforto na gestão do risco.

 

Quer concretizar os seus sonhos?

Infelizmente, muitos dos sonhos que temos acabam por ter uma tradução em custos financeiros. Cada pessoa tem os seus sonhos e objetivos de vida. Uns querem ter uma casa de sonho. Outros querem fazer a viagem das suas vidas. Outros querem apenas a tranquilidade de não ter de pensar em dinheiro. O importante é definir os seus objetivos e tentar medi-los em termos de custos financeiros. Depois, temos de começar a poupar dinheiro para atingir esses objetivos.

 

Quer ter mais rendimentos?

Ao investir estamos a apostar em projetos criadores de valor, na expectativa que as suas operações se traduzam em receitas e lucros que sejam depois distribuídos aos credores ou aos acionistas. Aqui, podemos desejar investir para ganhar com a valorização (implicará que depois vamos vender o ativo) ou para obter rendimentos periódicos (na forma de juros, cupões ou dividendos). O certo é que investir irá representar um benefício potencial. Claro que para ganharmos mais temos de estar na disposição de perder, numa lógica de risco retorno que nunca podemos esquecer.

 

Percebemos claramente que para atingirmos outros patamares financeiros precisamos de investir. Precisamos de colocar o dinheiro a trabalhar para nós próprios. Mas temos também de seguir alguns passos:

  • Perceber os nossos objetivos – Saber quanto temos de poupar e como vamos poupar para os atingir
  • Perceber o nosso perfil de risco – Saber como lidamos com o risco é fundamental para definir o esforço de poupança mensal e escolher as aplicações financeiras que deveremos adquirir
  • Aplicar o dinheiro – Temos de ser consequentes com as nossas decisões. Se queremos definir um cabaz de poupança devemos analisar as aplicações ao nosso dispor, mas, mais importante, escolher e começar um programa de entregas programadas.

 

Será que investir é para mim?

Do exposto, terá ficado claro que investir é para toda a gente. Pode ter um perfil mais conservador ou mas agressivo, mas existem aplicações financeiras para todos os perfis e objetivos. Por exemplo, no curto prazo podemos ter os depósitos a prazo e no longo prazo podemos subscrever planos poupança reforma ou seguros financeiros. E existem aplicações desenhadas para que consiga melhorar o seu conforto financeiro com um esforço de poupança mensal adequado ao seu orçamento familiar. Contacte o seu gestor de conta e saiba as alternativas ao seu dispor.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

 

Achou este artigo útil?

Obrigado pelo seu feedback!