finanças

5 dicas para ganhar dinheiro nas aplicações financeiras

11 set 2020 | 4 min leitura
Conheça 5 dicas essenciais para ganhar dinheiro nas aplicações financeiras e atingir os seus objetivos de poupança.
como ganhar dinheiro em aplicações financeiras

O mundo dos investimentos não é tão complexo como se pode pensar. Na realidade, existem algumas dicas que podem facilitar o seu caminho nos mercados financeiros. Conheça 5 dicas essenciais para ganhar dinheiro nas aplicações financeiras e atingir os seus objetivos de poupança.

 

Comece a poupar hoje

Pode parecer impossível, mas sugerimos que analise o seu orçamento familiar e que destine uma quantia de poupança todos os meses. Existem programas de reforços programados que permitem poupar com regularidade e confortavelmente. Depois, comece a poupar o quanto antes para beneficiar do efeito dos retornos compostos.

 

Invista para o longo prazo

Investir dinheiro é colocar o dinheiro a trabalhar para nós. É impossível prever o retorno de uma carteira de investimentos, mas diz-nos a experiência que ao investir para prazos mais alargados está a aumentar a probabilidade de obter os retornos que estava à espera.

 

Siga uma estratégia de reforços periódicos

Ter uma estratégia de poupança programada tem um conjunto de vantagens muito interessante:

 

  • Permite poupar com tranquilidade e conforto;
  • Alisa o momento de compra das suas aplicações.

 

Diversifique os seus riscos

A diversificação é uma estratégia amiga da maioria dos investidores particulares. Ao diversificar os seus riscos, optando por diversas aplicações financeiras (escolha de diferentes ativos, diferentes geografias, diferentes moedas), está a reduzir o risco que corre na sua carteira de investimento, ao mesmo tempo que melhora a relação entre o risco e o retorno.

 

Procure estabilidade

Um ingrediente fundamental em qualquer estratégia de investimento para o longo prazo consiste na estabilidade da sua carteira. A procura por estabilidade tem algumas vantagens, podendo-se destacar a estabilidade emocional.

 

Na realidade, saber que apenas precisará do dinheiro dentro de vários anos permite olhar para as oscilações de preço de forma mais descontraída (e sabemos o impacto nocivo que as emoções podem ter nos investimentos).

 

Como escolher as suas aplicações financeiras

Se reparar, é possível tipificar todos os ativos nestas três características distintivas. Depois, estará em condições de fazer uma carteira adequada aos seus objetivos e ao seu horizonte de investimento.

 

Retorno esperado

Quem coloca dinheiro de parte certamente que gosta que o dinheiro cresça. Ao colocar o dinheiro numa aplicação financeira, sabe que poderá usar esse dinheiro no futuro, mas com toda a certeza que gostaria que esse dinheiro gerasse ainda mais dinheiro.

 

Ao investir o seu dinheiro em qualquer ativo, espera ter um determinado nível de retorno. De outro modo, que lógica teria estar a emprestar o seu dinheiro se não fosse compensado por isso?

 

Quando falamos de retorno esperado, estamos a falar de futuro e de incerteza. O retorno não é garantido (exceto nas aplicações que o referem expressamente) e nunca poderemos assumir que os retornos passados são garantia de retornos futuros. O que podemos referir é o facto de o nível de retorno esperado ter de ser relacionado com os níveis de risco que incorremos e devemos ser premiados pelo risco.

 

Em qualquer dos casos, é importante não esquecer que aplicações com mais risco têm maior probabilidade de perda de capital.

 

Risco

É fundamental nunca esquecer a relação imediata entre o retorno e o risco. Assim, nunca é demais referir que:

 

  • Mais risco implica necessariamente que exija um retorno superior;
  • Se queremos mais retorno vamos ter de assumir mais risco.
  • Mais risco implica maior probabilidade de perder dinheiro.

 

O risco e o retorno andam sempre de mãos dadas. Quem se esquecer desta máxima acabará por ter más experiências a prazo.

 

Liquidez

Uma última característica de qualquer investimento é a sua liquidez. Na prática, liquidez é a facilidade (maior ou menor) que temos em transformar um ativo em dinheiro. Existem ativos muito líquidos (algumas ações, por exemplo) e outros muito pouco líquidos (o imobiliário, por exemplo).

 

É importante considerar o nível de liquidez de um investimento, pois esta estará intimamente relacionada com o horizonte temporal de investimento e poderá implicar que escolha um ativo em detrimento de outro.

 

Pode acontecer que precisa de aplicar o seu dinheiro durante três meses e nesse caso seria imprudente investir em imobiliário. Pode também ser o caso em que irá investir para a reforma, e aí poderá escolher produtos específicos para o efeito, como os Planos Poupança Reforma ou os Seguros Financeiros.

 

E agora?

Tendo conhecido as três características distintivas de qualquer ativo financeiro, está já em condições de analisar vários ativos. Não ignore estas três características antes de efetuar qualquer investimento.

 

Aliás, numa estratégia de diversificação das suas aplicações, deverá combinar ativos com diferentes características para melhorar as possibilidades de atingir os seus objetivos, garantindo que não coloca os “ovos todos no mesmo cesto”. Em caso de dúvidas, consulte a documentação pré-contratual e, se necessário, dirija-se ao balcão ou consulte o site do banco.

 

Informe-se e comece desde já a rentabilizar as suas poupanças.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Salto Santander Poupança no Santander

Investir no futuro

Investimentos na construção do seu futuro. Veja como construir o seu.

Investir no futuro

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).