bem-estar

Videojogos são bons para a saúde? Conheça os maiores benefícios

24 ago 2023 | 4 min de leitura

No vasto cenário da tecnologia moderna, os videojogos têm sido frequentemente retratados como vilões, suspeitos de afetar negativamente a saúde física e mental de quem os joga. Mas será mesmo assim?

Jogar videojogos é algo bastante comum e uma atividade que muitos gostam de fazer, seja por socialização, desafio ou mera diversão. Os malefícios deste tipo de atividade têm sido explorados ao longo dos anos, mas e os benefícios? Pesquisas mais recentes têm lançado luz sobre um aspecto pouco explorado: os videojogos podem, na verdade, ser aliados valiosos para a nossa saúde.

 

 

O que dizem os estudos?

Uma investigação publicada num jornal da American Psychological Association (APA), revela que nem tudo relacionado com o universo gaming é negativo. Através de estudos comportamentais e de imagiologia cerebral, os investigadores concluíram que a prática frequente desta atividade por parte de adolescentes e jovens adultos pode ser benéfica para o desenvolvimento de funções cognitivas e cerebrais. Estes eram, por exemplo, “mais capazes de alternar entre tarefas visuais, dividir atenção entre diferentes objetos em movimento e recordar a localização de objetos escondidos” do que aqueles que não jogavam.

 

Outro estudo, publicado na revista JAMA Network Open, analisou dados sobre o desenvolvimento cognitivo do cérebro. Este estudo, com quase 2.000 crianças, descobriu que aquelas que relataram jogar videojogos por três horas por dia ou mais, tiveram melhor desempenho em testes de habilidades cognitivas que envolviam o controlo de impulsos e memória de trabalho, em comparação com crianças que nunca jogaram videojogos. Os resultados do estudo mostram, ainda, que jogar pode ser um uso melhor do tempo em frente ao ecrã, em comparação a assistir vídeos no YouTube, por exemplo, que não tem efeitos cognitivos detetáveis.

 

Ainda, um estudo publicado na revista académica International Journal of Environmental Research and Public Health descobriu que os jovens adultos que jogam videojogos de forma consistente tendem a melhorar o seu funcionamento executivo - a função cerebral que nos permite planear e executar planos . Este estudo comparou o desempenho dos jogadores frequentes (11 horas por semana em média) e dos jogadores casuais (1,5 horas por semana em média).

 

 

Os 5 maiores benefícios dos videojogos

Enquanto a era digital avança, marcas icónicas como a Nintendo - com a sua popular Nintendo Switch -, ou a Microsoft - com a Xbox -, tornam-se sinónimos de entretenimento interativo. No entanto, além da diversão que proporcionam, estas plataformas também têm o poder de oferecer alguns surpreendentes benefícios para a saúde.

 

Melhoria das habilidades cognitivas

Os videojogos frequentemente exigem que os jogadores tomem decisões rápidas e estratégicas. Isto estimula o cérebro a trabalhar em alta velocidade, promovendo o desenvolvimento da memória, concentração e capacidade de raciocínio lógico. Jogos de quebra-cabeças, estratégia e simulação são particularmente eficazes nesse aspecto. Um estudo realizado pelo Instituto Max Planck, de Desenvolvimento Humano, revelou que jogar jogos de ação pode resultar em melhorias significativas na atenção seletiva e na memória de trabalho.

 

Estímulo à coordenação motora

Muitos jogos requerem movimentos precisos e rápidos, o que ajuda a aprimorar a coordenação motora e a destreza. Jogos que usam dispositivos de controlo por movimento, como jogos de realidade virtual, são notáveis exemplos dessa categoria. Essa melhoria na coordenação motora pode ser particularmente benéfica para crianças em fase de desenvolvimento.

 

Redução do stress e ansiedade

Embora os videojogos sejam frequentemente associados a um escape não muito saudável, estes também podem ser uma ferramenta eficaz para aliviar o stress e a ansiedade. A imersão em mundos virtuais pode proporcionar um espaço seguro para relaxar e distrair das preocupações do dia-a-dia. Adicionalmente, a interação com jogos de quebra-cabeças, aventura e exploração pode libertar endorfinas - neurotransmissores que induzem sentimentos de prazer e relaxamento.

 

Aprimoramento das habilidades sociais

A era dos jogos multijogador online trouxe uma nova dimensão social ao mundo gaming. Jogos competitivos e de cooperação incentivam a colaboração e a comunicação entre os jogadores. A necessidade de trabalhar em equipa, planear estratégias e resolver problemas em conjunto fortalece as habilidades sociais, promove o desenvolvimento de relacionamentos virtuais e, até mesmo, presenciais.

 

Desenvolvimento de habilidades de resolução de problemas

Os videojogos frequentemente apresentam desafios complexos que requerem raciocínio rápido e habilidades de resolução de problemas. Enfrentar obstáculos dentro desses ambientes virtuais ajuda os jogadores a desenvolver um pensamento crítico aguçado. Estas habilidades podem ser transferidas para situações da vida real, onde a capacidade de tomar decisões informadas e criativas é inestimável.

 

 

Alertas ao uso excessivo de videojogos

Enquanto exploramos os benefícios dos videojogos, não podemos ignorar também os potenciais desafios associados ao seu uso. Como referido, embora esta atividade possa dotar de capacidades valiosas, é importante utilizar os videojogos de maneira ponderada, para evitar excessos que possam prejudicar o bem-estar. Conheça alguns riscos do seu uso excessivo:

 

  • Riscos de dependência: o uso excessivo de videojogos pode levar à dependência, afetando responsabilidades e relações. Sinais incluem negligência de obrigações e isolamento social

 

  • Impacto na saúde física: a natureza sedentária dos jogos pode causar dores e contribuir para problemas cardiovasculares. Pausas regulares e movimentação são essenciais

 

  • Equilíbrio entre vida virtual e real: é crucial lembrar que os jogos são apenas uma parte da vida e que o seu uso excessivo pode afetar relacionamentos e o bem-estar. Estabelecer limites e reservar tempo para outras atividades é vital

 

  • Importância do autocuidado: monitorizar o tempo gasto nos jogos, definir horários específicos e cumprir responsabilidades são estratégias para evitar excessos. Os videojogos podem ser benéficos desde que usados com responsabilidade.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Salto Santander widget seguro de saúde

A sua saúde não pode esperar

Conheça as vantagens do nosso seguro de saúde

Seguro Saúde

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).