Comprar pela internet é seguro?

finanças

Comprar pela internet é seguro? Saiba como proteger-se

26 jul 2023 | 6 min de leitura

Tem medo de ceder os seus dados financeiros para fazer compras online? Não é o único. Mas comprar pela internet é seguro, desde que siga alguns passos importantes. Saiba como fazer pagamentos online mais seguros.

Ao contrário de quando fazemos compras presencialmente, quase não temos contacto com as pessoas que estão por trás das lojas online. No entanto, cabe à plataforma assegurar que os seus dados estão seguros e que pode sentir-se confiante a fornecer a informação necessária para fazer a transação. Se duvida que comprar pela internet é seguro, saiba a que pormenores deve prestar atenção e como proteger-se.

 

 

Antes da compra pela internet: alerta fraude!

Antes de escolher um método de pagamento online seguro, deve precaver-se para que não seja vítima de burla. Comprar pela internet é seguro, desde que esteja atento aos pormenores:

 

1. A maior parte das vezes, o banco irá enviar um código para autorizar o pagamento

Por SMS ou notificação push poderá receber no seu telemóvel um código único para autorizar cada pagamento.

 

Em caso algum, revele esse código a terceiros. Ele é secreto, pessoal e intransmissível por um motivo: quando o usar, o dinheiro muito provavelmente irá saír da sua conta a seguir.

 

2. Certifique-se do URL antes de realizar qualquer pagamento

Tendo conhecimento que muitos utilizadores online não prestam atenção aos pequenos detalhes, alguns criminosos mimetizam o nome e o aspeto dos websites mais conhecidos para roubarem informação dos utilizadores.


Nos esquemas mais bem-sucedidos, a diferença entre uma página verdadeira e uma falsa é ténue: uma pequena mudança no nome apenas visível na hiperligação, uma letra em falta, um erro ortográfico ou uma pequena mudança que passa despercebida aos mais desatentos. Um exemplo: a mudança de um “o” para um zero (amaz0n.com ou w0ok.com).

 

Por este motivo, verifique sempre que o nome que aparece na hiperligação é o correto e evite aceder às lojas online através de links enviados por e-mails ou mensagens de pessoas ou entidades que desconhece. A forma mais segura é introduzir manualmente o endereço no browser.

 

3. Leia comentários de outros utilizadores

Antes de realizar qualquer compra num website novo, leia os comentários de outros utilizadores sobre a experiência.

 

Plataformas como o Portal da Queixa, Trustpilot ou até mesmo os comentários disponibilizados pela Google sobre o website são boas ferramentas para averiguar se pode realizar compras na loja online pretendida com total segurança.

 

Se encontrar indicações de burla ou roubo de informações, opte por comprar noutra página da Internet em que possa confiar.

 

4. Desconfie de sites com preços muito abaixo do mercado

O preço de um produto é influenciado por diversos fatores, como o custo de fabrico, impostos e logística. Logo, se a loja online vender o produto por um preço muito inferior ao da concorrência desconfie logo, porque ninguém vende o pão mais barato que a farinha.

 

Por isso, se o preço for demasiado bom para ser verdade, é possível que seja um esquema. Pode acabar por comprar um produto falso, de procedência ilegal, sem garantia ou apoio do fabricante. Além disso, pode ser vítima de fraude ao, nunca receber o produto e ainda ver os seus dados financeiros roubados ou vendidos a terceiros para que o ataquem a seguir de outras formas.

 

Além dos conselhos acima referidos, procure no site um número de telefone fixo para contacto, morada e informações sobre a sua política de privacidade e de segurança.

 

 

Durante a compra: Como pagar de forma segura pela internet

Comprar pela internet é seguro, mas deve ter atenção redobrada no momento de pagar…

 

Referência Multibanco

Este método é frequentemente utilizado em lojas nacionais e é um dos mais seguros, por não disponibilizar dados diretamente à loja. O comerciante disponibiliza a entidade, referência e montante e o comprador só tem de inserir estes dados numa caixa automática ou na plataforma de homebanking do seu banco (no NetBanco Particulares, no caso do Santander). O Santander vai informá-lo do nome da entidade de pagamento antes de pagar – certifique-se que é a entidade (número de 5 dígitos) correspondente a quem está a comprar.

 

Cartões

O comércio eletrónico é ainda dominado pelo pagamento com cartão. Sempre que possível, evite introduzir os dados do seu cartão nos formulários de pagamento dos vendedores: numero completo do cartão, data de validade, nome gravado no cartão e o CVV (aquele código de 3 digitos no verso do cartão). Não é que introduzir os dados não seja seguro, mas também pode não ser…

 

Várias plataformas possibilitam a criação de cartões de crédito virtuais, isto é, cartões que são gerados num contexto eletrónico e que têm um limite de montante e de validade. Tal como na solução acima, dados do cartão real não são divulgados, pelo que garante maior segurança à operação. O MB WAY, por exemplo, permite gerar cartões virtuais através da aplicação mobile.

 

Plataformas online

O PayPal, entre outros operadores de pagamentos, é outra alternativa para fazer pagamentos online seguros. Esta plataforma foi desenvolvida especificamente para garantir que os utilizadores têm uma forma de pagamento segura e fiável através da Internet sem terem de introduzir os seus dados de pagamento junto das entidades a quem estão a pagar. Basta criar uma conta, carregá-la através de transferência bancária, multibanco ou cartão de crédito ou débito, e fazer as suas compras sem nunca ter de partilhar dados pessoais.

 

Independentemente do método de pagamento que optar por utilizar, é importante acompanhar com frequência as transações realizadas na sua conta bancária ou cartão de crédito através da aplicação de homebanking ou do saldo bancário.

 

 

Depois da compra: guarde todas as informações

Após fazer uma compra pela internet, o vendedor deve enviar imediatamente a fatura em formato digital para o seu email. Guarde-a no desktop, smartphone ou, simplesmente, não elimine o email. Uma boa prática é ter uma conta de email para várias finalidades. Porque não ter a sua conta de email só para compras?

 

No limite, para garantir que fica com a informação da transação, faça uma captura de ecrã (printscreen) com os dados da operação antes de sair do site onde fez a compra.

 

Depois, é importante estar atento ao extrato bancário. Se detetar que transmitiu a terceiros dados do número do seu cartão de crédito ou se constatou um débito suspeito no seu cartão, contacte imediatamente o seu banco.

 

Caso o seu negócio particular corra mal é aconselhável que tente resolver o problema junto do vendedor. No limite, apresente queixa junto das autoridades, por burla informática.

 

E agora, ainda tem dúvidas que comprar pela internet é seguro?

Ao contrário de quando fazemos compras presencialmente, quase não temos contacto com as pessoas que estão por trás das lojas online. No entanto, cabe à plataforma assegurar que os seus dados estão seguros e que pode sentir-se confiante a fornecer a informação necessária para fazer a transação. Se duvida que comprar pela internet é seguro, saiba a que pormenores deve prestar atenção e como proteger-se.

 

 

Antes da compra pela internet: alerta fraude!

Antes de escolher um método de pagamento online seguro, deve precaver-se para que não seja vítima de burla. Comprar pela internet é seguro, desde que esteja atento aos pormenores:

 

1. A maior parte das vezes, o banco irá enviar um código para autorizar o pagamento

Por SMS ou notificação push poderá receber no seu telemóvel um código único para autorizar cada pagamento.

 

Em caso algum, revele esse código a terceiros. Ele é secreto, pessoal e intransmissível por um motivo: quando o usar, o dinheiro muito provavelmente irá saír da sua conta a seguir.

 

2. Certifique-se do URL antes de realizar qualquer pagamento

Tendo conhecimento que muitos utilizadores online não prestam atenção aos pequenos detalhes, alguns criminosos mimetizam o nome e o aspeto dos websites mais conhecidos para roubarem informação dos utilizadores.


Nos esquemas mais bem-sucedidos, a diferença entre uma página verdadeira e uma falsa é ténue: uma pequena mudança no nome apenas visível na hiperligação, uma letra em falta, um erro ortográfico ou uma pequena mudança que passa despercebida aos mais desatentos. Um exemplo: a mudança de um “o” para um zero (amaz0n.com ou w0ok.com).

 

Por este motivo, verifique sempre que o nome que aparece na hiperligação é o correto e evite aceder às lojas online através de links enviados por e-mails ou mensagens de pessoas ou entidades que desconhece. A forma mais segura é introduzir manualmente o endereço no browser.

 

3. Leia comentários de outros utilizadores

Antes de realizar qualquer compra num website novo, leia os comentários de outros utilizadores sobre a experiência.

 

Plataformas como o Portal da Queixa, Trustpilot ou até mesmo os comentários disponibilizados pela Google sobre o website são boas ferramentas para averiguar se pode realizar compras na loja online pretendida com total segurança.

 

Se encontrar indicações de burla ou roubo de informações, opte por comprar noutra página da Internet em que possa confiar.

 

4. Desconfie de sites com preços muito abaixo do mercado

O preço de um produto é influenciado por diversos fatores, como o custo de fabrico, impostos e logística. Logo, se a loja online vender o produto por um preço muito inferior ao da concorrência desconfie logo, porque ninguém vende o pão mais barato que a farinha.

 

Por isso, se o preço for demasiado bom para ser verdade, é possível que seja um esquema. Pode acabar por comprar um produto falso, de procedência ilegal, sem garantia ou apoio do fabricante. Além disso, pode ser vítima de fraude ao, nunca receber o produto e ainda ver os seus dados financeiros roubados ou vendidos a terceiros para que o ataquem a seguir de outras formas.

 

Além dos conselhos acima referidos, procure no site um número de telefone fixo para contacto, morada e informações sobre a sua política de privacidade e de segurança.

 

 

Durante a compra: Como pagar de forma segura pela internet

Comprar pela internet é seguro, mas deve ter atenção redobrada no momento de pagar…

 

Referência Multibanco

Este método é frequentemente utilizado em lojas nacionais e é um dos mais seguros, por não disponibilizar dados diretamente à loja. O comerciante disponibiliza a entidade, referência e montante e o comprador só tem de inserir estes dados numa caixa automática ou na plataforma de homebanking do seu banco (no NetBanco Particulares, no caso do Santander). O Santander vai informá-lo do nome da entidade de pagamento antes de pagar – certifique-se que é a entidade (número de 5 dígitos) correspondente a quem está a comprar.

 

Cartões

O comércio eletrónico é ainda dominado pelo pagamento com cartão. Sempre que possível, evite introduzir os dados do seu cartão nos formulários de pagamento dos vendedores: numero completo do cartão, data de validade, nome gravado no cartão e o CVV (aquele código de 3 digitos no verso do cartão). Não é que introduzir os dados não seja seguro, mas também pode não ser…

 

Várias plataformas possibilitam a criação de cartões de crédito virtuais, isto é, cartões que são gerados num contexto eletrónico e que têm um limite de montante e de validade. Tal como na solução acima, dados do cartão real não são divulgados, pelo que garante maior segurança à operação. O MB WAY, por exemplo, permite gerar cartões virtuais através da aplicação mobile.

 

Plataformas online

O PayPal, entre outros operadores de pagamentos, é outra alternativa para fazer pagamentos online seguros. Esta plataforma foi desenvolvida especificamente para garantir que os utilizadores têm uma forma de pagamento segura e fiável através da Internet sem terem de introduzir os seus dados de pagamento junto das entidades a quem estão a pagar. Basta criar uma conta, carregá-la através de transferência bancária, multibanco ou cartão de crédito ou débito, e fazer as suas compras sem nunca ter de partilhar dados pessoais.

 

Independentemente do método de pagamento que optar por utilizar, é importante acompanhar com frequência as transações realizadas na sua conta bancária ou cartão de crédito através da aplicação de homebanking ou do saldo bancário.

 

 

Depois da compra: guarde todas as informações

Após fazer uma compra pela internet, o vendedor deve enviar imediatamente a fatura em formato digital para o seu email. Guarde-a no desktop, smartphone ou, simplesmente, não elimine o email. Uma boa prática é ter uma conta de email para várias finalidades. Porque não ter a sua conta de email só para compras?

 

No limite, para garantir que fica com a informação da transação, faça uma captura de ecrã (printscreen) com os dados da operação antes de sair do site onde fez a compra.

 

Depois, é importante estar atento ao extrato bancário. Se detetar que transmitiu a terceiros dados do número do seu cartão de crédito ou se constatou um débito suspeito no seu cartão, contacte imediatamente o seu banco.

 

Caso o seu negócio particular corra mal é aconselhável que tente resolver o problema junto do vendedor. No limite, apresente queixa junto das autoridades, por burla informática.

 

E agora, ainda tem dúvidas que comprar pela internet é seguro?

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).