bem-estar

Como ultrapassar a ansiedade social

09 fev 2024 | 4 min de leitura

Costuma suar, tremer e ficar com vontade de fugir em situações sociais? Saiba o que é a ansiedade social e como ultrapassá-la.

Muitas pessoas sentem stress em determinados momentos, por exemplo durante uma entrevista de emprego ou quando têm de falar em público. Esta é uma reação normal do corpo a um estímulo ou situação de mudança. Mas a ansiedade social é mais do que apenas a timidez ou o nervosismo ocasional.

 

Neste artigo, iremos explicar quais as suas características, sintomas e qual o tratamento disponível.

 

 

O que é a ansiedade social?

O Transtorno de Ansiedade Social, também conhecido como fobia social, é uma condição caracterizada pelo medo excessivo e persistente de situações sociais em que pode ser avaliado ou julgado por outras pessoas, como falar em público, conhecer novas pessoas, ir a entrevistas de emprego ou, simplesmente, fazer perguntas a um funcionário de uma loja.

 

O medo de enfrentar situações sociais pode ser tão intenso que afeta o trabalho, a escola ou as atividades quotidianas e pode levar as pessoas, em casos extremos, a evitar locais ou acontecimentos que causam angústia ou geram sentimentos de constrangimento.

 

 

Características principais

Segundo o DSM-5 - Manual de Diagnóstico e Estatística das Perturbações Mentais, da American Psychiatric Association (manual internacional pelo qual a comunidade médica se rege para diagnóstico de doenças e perturbações da saúde mental), estas são as características de uma pessoa com Transtorno de Ansiedade Social:

 

  • As situações sociais provocam medo ou ansiedade, preferindo, em muitos casos, evitá-las

 

  • O medo ou ansiedade são desproporcionais à ameaça real apresentada pela situação social e o contexto sociocultural

 

  • O medo, ansiedade ou esquiva são persistentes, geralmente durando mais de seis meses

 

  • O medo, ansiedade ou esquiva causam sofrimento significativo ou prejuízo no funcionamento social, profissional ou noutras áreas importantes da vida

 

  • O medo, ansiedade ou esquiva não são consequência dos efeitos fisiológicos de uma substância (drogas ou medicamentos) ou de outra condição médica

 

  • O medo, ansiedade ou esquiva não são explicado por outro transtorno mental

 

  • A ansiedade, medo ou esquiva não podem ser explicados por outra patologia.

 

 

Quais os sintomas?

Além dos constrangimentos da vida pessoal, o transtorno de ansiedade social pode envolver sintomas físicos, tais como:

 

  • Rubor
  • Batimento cardíaco rápido
  • Tremores
  • Suores
  • Palpitações
  • Boca seca
  • Transpiração / suores
  • Perturbações gastro-intestinais
  • Sensação de dormência ou formigueiro nos dedos das mãos / pés.

 

 

Diferença entre a ansiedade social e a timidez

A timidez refere-se a uma característica pessoal, que não requer tratamento, em que a pessoa sente-se desconfortável em situações sociais.

 

Muitas vezes, um tímido pode sentir-se pouco à vontade em determinados momentos, mas consegue atuar quando necessário. A ansiedade social, por sua vez, é um transtorno de ansiedade que pode afetar a qualidade de vida de uma pessoa.

 

 

Quais as causas?

Tal como outros transtornos psicológicos, a ansiedade social resulta de uma interação entre fatores genéticos e ambientais.

 

De acordo com o artigo “A perturbação de ansiedade social, o evitamento em situações sociais”, da autoria de Vera Alexandra Barbosa Ramos, publicado no portal psicologia.pt, os fatores genéticos podem desempenhar um papel relevante no desenvolvimento de ansiedade no geral, e não apenas da ansiedade social. No entanto, alguns eventos sociais, como, por exemplo, sofrer bullying, abuso familiar em criança ou um episódio social traumático são frequentemente relatados por pessoas com ansiedade social. A ansiedade social também pode ser causada por um episódio traumático.

 

Da mesma forma, uma educação parental demasiado protetora pode fomentar o desenvolvimento de ansiedade social, pois frequentemente são transmitidas crenças de um mundo hostil, perigoso e ameaçador, que podem originar sentimentos de insegurança e baixa autoestima.

 

 

Qual o tratamento?

Sem tratamento, a ansiedade social pode piorar com o tempo e, em casos extremos, levar ao isolamento e à depressão, pelo que procurar ajuda é essencial. Assim, o primeiro passo é consultar o seu médico assistente para que este o possa ajudar. O tratamento pode passar por:

 

1. Terapia cognitivo-comportamental

 

Através desta terapia é possível aprender a reconhecer e a mudar pensamentos negativos, a controlar os sintomas físicos da ansiedade através de técnicas de relaxamento e exercícios de respiração, aprender a gerir e a aceitar as emoções negativas e a transformá-las em emoções mais positivas e motivadoras.

 

2. Tratamento farmacológico

 

Em algumas situações, o médico pode prescrever medicamentos para tratar o transtorno de ansiedade social. Diferentes tipos de medicamentos podem ser eficazes no tratamento deste distúrbio, tais como antidepressivos, betabloqueadores ou benzodiazepinas, mas devem ser receitados pelo médico assistente.

 

 

Como controlar a ansiedade social?

Além do apoio médico e do tratamento, algumas medidas poderão ajudar a controlar a fobia social:

 

1. Informe-se

 

Se desconfia que poderá ter ansiedade social, o primeiro passo será procurar informação sobre o tema. Educar-se sobre a ansiedade social ajuda-o a compreender que se trata de uma resposta natural do corpo a situações sociais percebidas como ameaçadoras.

 

2. Conte ao seu sistema de apoio

 

Converse sobre a ansiedade social com amigos e familiares - ou junte-se a um grupo de apoio. Seja honesto, para que estas pessoas possam ser um apoio emocional e incentivá-lo a contornar a condição. O apoio é essencial para reduzir o sentimento de isolamento e aumentar a sua autoconfiança.

 

3. Delineie um plano para as situações sociais

 

Antes de participar num evento social, pense em todos os gatilhos ou situações que podem desencadear ansiedade e elabore um plano que o ajude a contornar esses momentos. Ter um plano pode ajudá-lo a sentir-se mais confiante e sob controlo, reduzindo a probabilidade de ficar ansioso.

 

4. Aprenda técnicas de relaxamento

 

Uma estratégia eficaz para lidar com a ansiedade social é usar técnicas calmantes. Existem vários métodos para se acalmar, tais como a respiração profunda, a meditação, o relaxamento muscular progressivo, a visualização e a prática de ioga.

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Salto Santander widget seguro de saúde

A sua saúde não pode esperar

Conheça as vantagens do nosso seguro de saúde

Seguro Saúde

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).