bem-estar

A importância da reciclagem e como fazê-lo corretamente

02 jun 2023 | 5 min de leitura

E se o lixo que produz em casa pudesse dar vida a outros objetos? No Dia Mundial do Ambiente, que se celebra a dia 5 de junho, fique a conhecer a importância da reciclagem e os benefícios que traz para o ambiente e sociedade.

Reciclar é muito mais do que uma forma para reduzir a quantidade de lixo enviado para o aterro. Existe uma longa lista de benefícios que não se limitam ao meio ambiente, tais como as vantagens económicas e sociais, que iremos explorar neste artigo.

 

 

O que é a reciclagem?

A reciclagem é o processo de conversão de materiais usados em objetos reutilizáveis para evitar o desperdício. Através deste processo, materiais que seriam destinados ao lixo podem ser reaproveitados, tais como vidro, plástico, papel ou alumínio.

 

 

Qual a importância da reciclagem?

Os benefícios são muitos e todos ganham quando as pessoas adotam a reciclagem como um hábito quotidiano.

 

1. Preserva os recursos naturais

Ao reciclar materiais evita a extração de matérias-primas virgens e prolonga o seu ciclo de vida útil. Exemplo: reciclar plástico diminui o consumo de petróleo, reciclar latas de alumínio evita a extração de minérios, reciclar vidro evita a extração de areias e poupa o leito dos rios e reciclar papel reduz o abate de árvores

 

2. Reduz o consumo de energia e água

A reciclagem poupa energia ao reduzir ou eliminar a necessidade de produzir materiais do zero. Fazer produtos com matéria-prima virgem é mais difícil e dispendioso, afinal é necessário recolher, tratar e transportar os recursos. Ao usar materiais reciclados em vez de extrair novos recursos naturais, os fabricantes podem produzir os mesmos produtos com menos energia e gastos, pois os materiais reciclados já foram tratados e processados uma vez e, na segunda vez, consomem menos energia do que na primeira.

 

3. Diminui a quantidade de resíduos nos aterros sanitários

Um aterro sanitário é um espaço destinado à deposição final de resíduos gerados pela atividade humana. No entanto, para estas estruturas apenas deve seguir o lixo que não puder ser valorizado, pois ficam à espera de se decompor até desaparecer. Se separar e colocar nos contentores o seu lixo doméstico, está a evitar que os aterros fiquem sobrelotados e seja necessário construir mais estruturas destas.

 

4. Cria postos de trabalho

A gestão e a reciclagem de resíduos podem contribuir para o crescimento económico, através da criação de emprego nas áreas da recolha seletiva, triagem e tratamento biológico de resíduos urbanos.

 

5. Promove a economia circular

A economia circular é um modelo de produção e de consumo que envolve a partilha, o aluguer, a reutilização, a reparação, a renovação e a reciclagem de materiais e produtos existentes. Desta forma, quando um produto chega ao fim do ciclo de vida, os seus materiais são mantidos dentro da economia graças à reciclagem, aumentando, assim, o ciclo de vida dos materiais.

 

 

Como fazer reciclagem corretamente?

O primeiro passo para uma reciclagem correta começa em casa, com a separação do lixo. Por isso, é bastante importante saber o que pode seguir para cada um dos ecopontos. Assim:

 

Contentor amarelo

Este é o contentor que gera mais dúvidas na população. Aqui podem entrar três tipos de materiais de embalagens: plástico, metal e pacotes de bebidas. As ECAL (Embalagens de Cartão para Alimentos Líquidos) são compostas por vários materiais – plástico, alumínio e cartão, por isso seguem para o contentor amarelo, uma vez que depois de recolhido ainda vai para uma linha de triagem para se poderem separar os diferentes tipos de materiais de embalagem.

 

Além destes, ainda pode colocar:

 

  • Cabides de plástico e metálicos
  • Vasos de plástico
  • Sacos de plástico
  • Caixas de esferovite
  • Bandejas de alumínio
  • Embalagem de alumínio das velas
  • Chapa de metal da garrafa de champanhe
  • Invólucro das garrafas de vinho.

 

O que não deve colocar no contentor amarelo:

 

  • Baldes
  • Borracha
  • Cassetes, CDs e DVD
  • Equipamentos elétricos e eletrónicos
  • Plásticos que não sejam embalagens
  • Pilhas e baterias
  • Cortiça.

 

Contentor azul

Neste ecoponto deve colocar cartão e papel, tais como:

 

  • Caixas de cartão, de cereais, de bolachas, de chocolates, de detergentes
  • Invólucros de cartão dos packs de iogurtes e cervejas
  • Sacos de papel e papel de embrulho
  • Jornais, revistas e folhetos publicitários
  • Envelopes sem janela, papel de carta, papel de impressora, bilhetes de transportes
  • Lista telefónicas
  • Caixas de cartão de ovos
  • Caixas de fósforos
  • Brochuras de instruções de montagem ou utilização de equipamentos, por exemplo
  • Folhetos publicitários
  • Caixas de jogos
  • Caixas de pizza (se não tiverem gordura)
  • Rolo interior do papel higiénico e do papel de cozinha
  • Sacos de comida para animais
  • Revistas e jornais
  • Caixas para ovos
  • Invólucros de cartão de packs garrafas ou iogurtes, por exemplo
  • Bilhetes – de transportes, de espetáculos.

 

O que não deve colocar no contentor azul:

 

  • Papel sujo
  • Caixas de cartão com gordura
  • Lenços, papel de cozinha e guardanapos de papel
  • Papel plastificado
  • Papel autocolante
  • Papel de alumínio
  • Papel de lustro
  • Sacos de cimento
  • Embalagens de produtos químicos
  • Toalhetes e fraldas.

 

Ecoponto verde

Sabia que as embalagens de vidro, como as garrafas, os frascos e os boiões são feitos de forma a serem 100% reciclados de forma infinita. Por isso, deve colocar no contentor azul:

 

  • Garrafas de vidro de vinho, água, sumos e azeite
  • Frascos, boiões e garrafões de vidro.

 

Não deve colocar no contentor verde:

 

  • Copos de vidro
  • Loiça
  • Pirex
  • Cristal
  • Janelas, vidraças, vidros de automóveis
  • Lâmpadas.

 

 

Regras da reciclagem:

 

  • Separe os seus resíduos em recicláveis e não recicláveis. Dentro dos recicláveis tente separar papel, vidro, plástico e metal

 

  • Espalme as embalagens vazias, de forma a ocuparem menos espaço em sua casa e nos contentores

 

  • Escorra as embalagens, para que os restos dos produtos não criem maus odores em casa
 
  • Deposite os sacos nos respetivos contentores

 

  • Deposite os óleos domésticos num oleão perto de si

 

  • Entregue os medicamentos na farmácia

 

  • Coloque as pilhas usadas no pilhão

 

  • Entregue pneus usados na oficina

 

 

O que fazer aos Resíduos elétricos e eletrónicos?

Os resíduos elétricos e eletrónicos (REE) são equipamentos eletrónicos descartados ou obsoletos. Estes resíduos são muitas vezes compostos por metais perigosos de difícil degradação, que podem causar danos ambientais e de saúde caso sejam descartados de modo incorreto.

 

Por isso, sempre que trocar um aparelho antigo por um novo, evite deixá-lo em casa ou colocá-lo na rua. Em alternativa pode colocá-los em sítios próprios. Saiba, neste artigo, onde colocar o lixo eletrónico.

 

Sabia que pode reciclar o seu cartão Santander expirado? Pode fazê-lo ao inserir o cartão na caixa multibanco ou, em alternativa, pode devolvê-lo ao Santander. Posteriormente, servirão para produzir mobiliário urbano, tais como as rampas de acesso à praia.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).