investimento de risco e retorno esperado

finanças

Tenho que assumir grandes riscos para obter uma remuneração atrativa?

14 mai 2021 | 2 min de leitura
Como avaliar o risco e algumas dicas de como calcular a taxa de retorno de um investimento. Maior o risco, maior o retorno.

Tem poupanças para aplicar e gostaria de obter taxas de retorno superiores às taxas dos depósitos a prazo? Neste artigo vamos focar-nos em perceber qual a alternativa que temos para rentabilizar o nosso dinheiro e os riscos associados.

 

Como prever a taxa de retorno de um investimento?

Quem investe terá necessariamente de assumir riscos para obter taxas de retorno mais elevadas. Investir implica aplicar o seu dinheiro num ou mais ativos nesta expetativa de retorno. No entanto, sabemos que o futuro é incerto. Acarreta riscos. E acabamos por ter receios que nos levam a não investir, especialmente em alturas de crise como a que atravessamos.

 

É impossível saber com certeza o retorno que teremos num investimento com risco. Podemos, contudo, procurar prever a evolução dos nossos investimentos através de alguns indicadores. Um destes indicadores é a taxa de retorno de obrigações emitidas para prazos mais alargados. Em abril de 2021, o retorno (yield) das obrigações a 10 anos estava em:

 

  • Alemanha – Taxa negativa de 0.28%
  • Inglaterra – 0.76%
  • Itália – 0.74%
  • Espanha – 0.38%
  • Portugal – 0.39%.

 

Como percebemos, as taxas de retorno anual de ativos tradicionalmente mais seguros não chegam a 1%. Daí percebermos que as taxas de retornos dos depósitos a prazo sejam atualmente próximas de zero. Logo, se quer rentabilizar as suas poupanças acima destas taxas terá de assumir outra estratégia.

 

Não esqueça da relação risco / retorno

Uma máxima que nunca poderemos esquecer é que existe uma relação direta e imediata entre o risco e o retorno que poderemos esperar. Dito de outro modo, se quer mais retorno terá de estar na disposição de assumir mais riscos. O que fazer?

 

Diversifique os seus riscos

A primeira etapa para procurar obter níveis de retorno superiores aos atuais retornos associados aos depósitos a prazo e restantes aplicações de capital garantido passa por construir uma carteira de investimento diversificada.

 

Na prática, ao procurar a diversificação estará a diluir o risco dos seus investimentos por diversos ativos, que poderão ser de diferentes classes de ativos, diferentes moedas ou geografias. Deste modo, poderá reduzir as oscilações da sua carteira de investimento sem comprometer as expetativas de retorno.

 

Quando falamos de diversificação, podemos falar da combinação de diferentes fundos de investimento ou seguros financeiros (já eles consistindo em carteiras diversificadas) ou escolher fundos mistos, fundos que englobam na sua carteira uma combinação dinâmica de ações e de obrigações.

 

Procure a gestão profissional

A segunda etapa para aumentar a probabilidade de ter sucesso na sua carteira de investimento passa por procurar o apoio de equipas de gestão profissional. Em momentos de incerteza, a gestão ativa e a gestão ativa de riscos são essenciais para preservar o valor das suas poupanças. Não é garantia de sucesso, mas confiar a gestão do seu dinheiro a profissionais ajudará certamente na diversificação de riscos e gestão de ativos.

 

O que concluir?

Do exposto podemos concluir que as expetativas de retorno deverão ser mais contidas dado o nível reduzido de taxas de juro. Neste contexto, sugere-se que o cliente analise a oferta de produtos de investimento mistos ou sejam produtos que investem em ações e obrigações de forma global e com gestão profissional.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Tem poupanças para aplicar e gostaria de obter taxas de retorno superiores às taxas dos depósitos a prazo? Neste artigo vamos focar-nos em perceber qual a alternativa que temos para rentabilizar o nosso dinheiro e os riscos associados.

 

Como prever a taxa de retorno de um investimento?

Quem investe terá necessariamente de assumir riscos para obter taxas de retorno mais elevadas. Investir implica aplicar o seu dinheiro num ou mais ativos nesta expetativa de retorno. No entanto, sabemos que o futuro é incerto. Acarreta riscos. E acabamos por ter receios que nos levam a não investir, especialmente em alturas de crise como a que atravessamos.

 

É impossível saber com certeza o retorno que teremos num investimento com risco. Podemos, contudo, procurar prever a evolução dos nossos investimentos através de alguns indicadores. Um destes indicadores é a taxa de retorno de obrigações emitidas para prazos mais alargados. Em abril de 2021, o retorno (yield) das obrigações a 10 anos estava em:

 

  • Alemanha – Taxa negativa de 0.28%
  • Inglaterra – 0.76%
  • Itália – 0.74%
  • Espanha – 0.38%
  • Portugal – 0.39%.

 

Como percebemos, as taxas de retorno anual de ativos tradicionalmente mais seguros não chegam a 1%. Daí percebermos que as taxas de retornos dos depósitos a prazo sejam atualmente próximas de zero. Logo, se quer rentabilizar as suas poupanças acima destas taxas terá de assumir outra estratégia.

 

Não esqueça da relação risco / retorno

Uma máxima que nunca poderemos esquecer é que existe uma relação direta e imediata entre o risco e o retorno que poderemos esperar. Dito de outro modo, se quer mais retorno terá de estar na disposição de assumir mais riscos. O que fazer?

 

Diversifique os seus riscos

A primeira etapa para procurar obter níveis de retorno superiores aos atuais retornos associados aos depósitos a prazo e restantes aplicações de capital garantido passa por construir uma carteira de investimento diversificada.

 

Na prática, ao procurar a diversificação estará a diluir o risco dos seus investimentos por diversos ativos, que poderão ser de diferentes classes de ativos, diferentes moedas ou geografias. Deste modo, poderá reduzir as oscilações da sua carteira de investimento sem comprometer as expetativas de retorno.

 

Quando falamos de diversificação, podemos falar da combinação de diferentes fundos de investimento ou seguros financeiros (já eles consistindo em carteiras diversificadas) ou escolher fundos mistos, fundos que englobam na sua carteira uma combinação dinâmica de ações e de obrigações.

 

Procure a gestão profissional

A segunda etapa para aumentar a probabilidade de ter sucesso na sua carteira de investimento passa por procurar o apoio de equipas de gestão profissional. Em momentos de incerteza, a gestão ativa e a gestão ativa de riscos são essenciais para preservar o valor das suas poupanças. Não é garantia de sucesso, mas confiar a gestão do seu dinheiro a profissionais ajudará certamente na diversificação de riscos e gestão de ativos.

 

O que concluir?

Do exposto podemos concluir que as expetativas de retorno deverão ser mais contidas dado o nível reduzido de taxas de juro. Neste contexto, sugere-se que o cliente analise a oferta de produtos de investimento mistos ou sejam produtos que investem em ações e obrigações de forma global e com gestão profissional.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Obrigado pelo seu feedback!