Melhores livros de educação financeira

bem-estar

Procura um filme ou livro de educação financeira? Estes são os melhores

02 jun 2022 | 8 min de leitura

Aprenda lições financeiras ao mesmo tempo que se diverte. Para ajudá-lo, recomendamos-lhe um filme ou livro de educação financeira que pode ensiná-lo a gerir o seu dinheiro. Vamos começar?

Os livros e os filmes estão repletos de ensinamentos que pode aplicar na sua vida. Através de histórias e casos reais, muitas obras podem ajudá-lo a encontrar novas perspetivas e ideias para lidar com os desafios económicos. Conheça a nossa seleção de filmes e livros de educação financeira.

 

 

Quais os melhores livros sobre dinheiro?

Reunimos sete exemplos de livros de onde pode tirar lições valiosas para aplicar na sua vida. O mais difícil será escolher o melhor livro de educação financeira para o seu caso.

 

 

1. “Segredos da Mente Milionária”, T. Harv Eker

T. Harv Eker – que não só estudou a forma de pensar das pessoas ricas, mas subiu do nada para o status de milionário – percebeu, desde cedo, que a diferença entre as pessoas ricas e as comuns é sobretudo mental.

 

Na sua juventude, T. Harv Eker perguntava-se porque não conseguia ser bem-sucedido nos negócios. Um dia, percebeu que o problema estava na forma como olhava o dinheiro. Desde então dedicou-se a estudar a mentalidade necessária para alcançar o sucesso. Neste livro, o autor explica o processo por detrás da forma de pensar das pessoas ricas. O objetivo? Ajudar os cidadãos comuns a imitá-lo e levá-los a atingir os objetivos financeiros.

 

  • A lição: Não basta ser um especialista e saber muito para se ter sucesso. É preciso ter a mentalidade certa para lá chegar.

 

 

2. “Pai Rico, Pai Pobre”, Robert T. Kiyosaki

Este livro de educação financeira é um dos mais conceituados. Quantas vezes ouviu o conselho: “Se estudares muito e tirares boas notas, vais encontrar um bom emprego”? Robert T. Kiyosaki desmistifica este preconceito e ilustra-o com a sua história. O autor cresceu com dois pais: um rico e um pobre. Um deles estudou numa das melhores universidades dos Estados Unidos, o outro não passou do 8.º ano.

 

Contra as expectativas, o pai pobre era o que tinha estudos universitários e o rico era aquele que não concluiu a escolaridade obrigatória.

 

A diferença estava na literacia financeira que o pai rico tinha - o dinheiro trabalhava para ele, e não o contrário. Este livro de educação financeira tem as seis lições passadas pelo pai rico ao filho para quem quiser incorporá-las no seu dia a dia.

 

  • A lição: Literacia financeira, conhecimento e exercício mental são essenciais para fazer o dinheiro crescer de forma eficiente e racional.

 

 

3. “Pense e fique rico”, Napoleon Hill

Nos anos 1930, em plena Depressão nos Estados Unidos, o jornalista norte-americano Napoleon Hill publicou o seu livro mais famoso sobre ser bem-sucedido. Depois de anos a estudar os hábitos de milionários, o autor reuniu 14 fatores que tornaram pessoas que nasceram pobres em milionários, donos de grandes negócios e empregadores de milhares de trabalhadores. São “as leis do sucesso”, como o autor lhes chama. Segundo Hill, tudo começa de forma simples: o desejo e a convicção firme de querer alcançar algo.

 

  • A lição: É possível ficar rico - ou concretizar os seus objetivos -, desde que acredite. A sua mente pode travá-lo ou impulsioná-lo a tornar-se a melhor versão de si mesmo.

 

 

4. “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos - Finanças para Casais”, Gustavo Cerbasi

Muitas vezes, o dinheiro é um fator de desentendimentos nos casais. Principalmente quando estes têm visões diferentes de como deve ser feita a gestão financeira familiar. Gustavo Cerbasi elenca, neste livro, um conjunto de sugestões para gerir as finanças a dois, adaptadas para diferentes tipos de relacionamentos.

 

  • A lição: Em conjunto, e com os objetivos alinhados, consegue-se chegar mais longe.

 

 

5. “The Millionaire Fast Lane”, de MJ DeMarco

Neste livro de educação financeira, o empreendedor norte-americano MJ DeMarco defende que para enriquecer, ou conseguir uma boa almofada financeira, não é necessário sacrificar os prazeres da vida, nem viver de salário em salário. Para o autor, esta é uma estratégia medíocre. Assim, propõe outras formas de atrair riqueza - como a criação do próprio negócio, suprindo uma necessidade do mercado, e trabalhando dia e noite em prol do seu próprio projeto.

 

  • A lição: Para enriquecer não basta separar 10% do salário para a conta-poupança todos os meses e jantar fora apenas uma vez por mês. É preciso criar outras formas de rendimento.

 

 

6. Ponha o seu dinheiro a trabalhar para si, livro de educação financeira de Bárbara Barroso

Gostava de ganhar mais dinheiro, mas não sabe como? Ou, quem sabe, alcançar a liberdade financeira? Não é a trabalhar mais que consegue atingir este objetivo, defende, neste livro, a especialista em finanças pessoais Bárbara Barroso. Para chegar a este lugar, é preciso investir o seu dinheiro. No entanto, a maior parte das pessoas está mais focada em poupar e colocar o dinheiro num produto seguro, com pouco retorno financeiro, em vez de arriscar. Neste livro de educação financeira, a autora portuguesa explica como fazer um fundo de emergência, o que são os juros compostos, como investir em ações e a importância de ter um PPR para preparar a reforma.

 

  • Lição: Para conseguir alcançar a liberdade financeira, não deve ter o dinheiro parado numa conta à ordem. É preciso aplicá-lo e investi-lo. Ou seja, pôr o seu dinheiro a trabalhar para os seus objetivos.

 

 

7. Contas-Poupança - Poupe ainda Mais, Invista Melhor, de Pedro Andersson

Pedro Andersson é bem conhecido dos portugueses como o apresentador da rubrica “Contas-poupança”, na SIC, e já tem várias obras publicadas. Neste livro, o jornalista dá dicas para comprar um carro em segunda mão, escolher o melhor crédito habitação ou pagar menos pelo que já possui, baixar as mensalidades do cartão de crédito, saber se uma promoção é falsa e a sempre importante lição de como preparar a reforma.

 

  • Lição: A segurança financeira é algo que se trabalha ao longo do tempo. Se não é possível prevenir uma crise económica ou doméstica, pode minimizar-se o impacto que tem no orçamento familiar. Basta, para isso, fazer melhores escolhas no que diz respeito à forma como gasta o dinheiro.

 

 

Não lhe apetece ler um livro sobre finanças? Eis 5 filmes sobre educação financeira

 

1. “A Queda de Wall Street” (2015), Adam McKay

Se procura informação sobre a crise de 2008, este é o filme certo. A recessão de 2008 significou o fim de um período de crédito fácil, que culminou na falência de inúmeras empresas. Como consequência, milhões de americanos perderam os empregos ou a casa. Mas, antes da bolha explodir, um grupo de investidores conseguiu prever o que iria acontecer: a concessão de crédito em excesso levaria a uma catástrofe financeira. O filme conta três histórias de quem lucrou muito a apostar, através de produtos financeiros derivados, no rebentar da bolha. O segredo: terem todos percebido antecipadamente o que iria acontecer a breve prazo.

 

  • A lição: Pode ser tentador assumir riscos financeiros, para obter retornos superiores. Mas é importante saber no que se investe e proteger-se do risco, investindo também em oportunidades seguras.

 

 

2. “O Lobo de Wall Street” (2013), Martin Scorsese

Baseado em factos verídicos, o filme retrata o mundo das finanças em Nova Iorque, no final dos anos 80 e 90, com sexo, drogas e muita fraude financeira à mistura. Um corretor aprende a fazer dinheiro através de movimentações na bolsa que custam fortunas aos investidores mais ingénuos, enquanto goza uma vida de luxo desregrado. Quando o FBI se apercebe que Jordan Belfort promove um esquema ilegal, torna-se cada vez mais difícil escapar a um ajuste de contas.

 

  • A lição: Quando investe na bolsa, todos os cuidados são poucos. Siga a máxima: “Se parece ser bom demais para verdade, talvez seja”. Não acredite em quem promete lucros inacreditáveis, uma vez que podem estar associados a riscos demasiado elevados ou a operações pouco lícitas. Prefira fazer os seus investimentos de forma segura, investir em ações de empresas que conhece e recorrer a especialistas de confiança.

 

 

3. “Enron: Os Mais Espertos da Sala” (2005), Alex Gibney

A Enron foi um dos maiores escândalos financeiros de sempre nos Estados Unidos. A empresa da área energética, fundada em 1985, tornou-se, nos anos 1990, numa locomotiva em constante crescimento. Contudo, em 2001, tudo colapsou quando se descobriu que a empresa escondia os seus verdadeiros resultados através de práticas contabilísticas que ocultavam milhões de dólares em dívidas. Com a Enron afundou-se também a Arthur Andersen, uma das cinco maiores auditoras do mundo, depois de se provar que destruiu documentos e ajudou na falsificação das contas da empresa. Foi a maior insolvência alguma vez registada nos Estados Unidos.

 

  • A lição: A mentira tem perna curta. Não vale a pena ocultar o que vai, mais tarde ou mais cedo, ser descoberto. Neste caso, dívidas avultadas e maus investimentos.

 

 

4. “Freakonomics: O Estranho Mundo da Economia” (2010), Heidi Ewing, Alex Gibney, Seth Gordon, Rachel Grady, Eugene Jarecki, e Morgan Spurlock

Este documentário é adaptado do livro “Freakonomics: O Estranho Mundo da Economia”, de Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner e segue a mesma lógica. São quatro segmentos que exploram factos curiosos, como, por exemplo, perceber qual a correlação entre os nomes das crianças e suas perspetivas de futuro ou a ligação entre a legalização do aborto nos Estados Unidos e a queda da criminalidade dos anos 1980.

 

  • A lição: O filme, que analisa as motivações psicológicas ocultas que impulsionam a economia, pode mudar a forma como pensa nas suas decisões financeiras.

 

 

5. “Moneyball: Jogada de Risco” (2011), Bennett Miller

Uma equipa de basebol que está a perder jogadores para outros clubes, aliciados por melhores salários, é salva pela abordagem de um economista. O especialista, recorrendo a um modelo estatístico criado por si para avaliar o potencial dos jogadores, consegue pegar em atletas subvalorizados, e mais baratos, e criar uma equipa vencedora. O filme baseia-se na história verídica dos Oakland Athletics que, na temporada de 2002, contratou jogadores de segunda linha e conseguiu vencer 20 jogos seguidos. O método acabaria por ser aplicado a outra equipa, os Red Sox, que venceram o campeonato anual da Major League Baseball (MJL), a maior liga de basebol do continente americano, conhecida também por World Series.

 

  • A lição: Nos negócios, nos investimentos e na gestão das finanças pessoais, às vezes é preciso fazer escolhas e deixar as emoções de lado. Pensar diferente e tentar abordagens que vão contra a corrente podem abrir caminho para um bom negócio ou investimento. E quando criatividade e razão se juntam, são imparáveis.
     

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Os livros e os filmes estão repletos de ensinamentos que pode aplicar na sua vida. Através de histórias e casos reais, muitas obras podem ajudá-lo a encontrar novas perspetivas e ideias para lidar com os desafios económicos. Conheça a nossa seleção de filmes e livros de educação financeira.

 

 

Quais os melhores livros sobre dinheiro?

Reunimos sete exemplos de livros de onde pode tirar lições valiosas para aplicar na sua vida. O mais difícil será escolher o melhor livro de educação financeira para o seu caso.

 

 

1. “Segredos da Mente Milionária”, T. Harv Eker

T. Harv Eker – que não só estudou a forma de pensar das pessoas ricas, mas subiu do nada para o status de milionário – percebeu, desde cedo, que a diferença entre as pessoas ricas e as comuns é sobretudo mental.

 

Na sua juventude, T. Harv Eker perguntava-se porque não conseguia ser bem-sucedido nos negócios. Um dia, percebeu que o problema estava na forma como olhava o dinheiro. Desde então dedicou-se a estudar a mentalidade necessária para alcançar o sucesso. Neste livro, o autor explica o processo por detrás da forma de pensar das pessoas ricas. O objetivo? Ajudar os cidadãos comuns a imitá-lo e levá-los a atingir os objetivos financeiros.

 

  • A lição: Não basta ser um especialista e saber muito para se ter sucesso. É preciso ter a mentalidade certa para lá chegar.

 

 

2. “Pai Rico, Pai Pobre”, Robert T. Kiyosaki

Este livro de educação financeira é um dos mais conceituados. Quantas vezes ouviu o conselho: “Se estudares muito e tirares boas notas, vais encontrar um bom emprego”? Robert T. Kiyosaki desmistifica este preconceito e ilustra-o com a sua história. O autor cresceu com dois pais: um rico e um pobre. Um deles estudou numa das melhores universidades dos Estados Unidos, o outro não passou do 8.º ano.

 

Contra as expectativas, o pai pobre era o que tinha estudos universitários e o rico era aquele que não concluiu a escolaridade obrigatória.

 

A diferença estava na literacia financeira que o pai rico tinha - o dinheiro trabalhava para ele, e não o contrário. Este livro de educação financeira tem as seis lições passadas pelo pai rico ao filho para quem quiser incorporá-las no seu dia a dia.

 

  • A lição: Literacia financeira, conhecimento e exercício mental são essenciais para fazer o dinheiro crescer de forma eficiente e racional.

 

 

3. “Pense e fique rico”, Napoleon Hill

Nos anos 1930, em plena Depressão nos Estados Unidos, o jornalista norte-americano Napoleon Hill publicou o seu livro mais famoso sobre ser bem-sucedido. Depois de anos a estudar os hábitos de milionários, o autor reuniu 14 fatores que tornaram pessoas que nasceram pobres em milionários, donos de grandes negócios e empregadores de milhares de trabalhadores. São “as leis do sucesso”, como o autor lhes chama. Segundo Hill, tudo começa de forma simples: o desejo e a convicção firme de querer alcançar algo.

 

  • A lição: É possível ficar rico - ou concretizar os seus objetivos -, desde que acredite. A sua mente pode travá-lo ou impulsioná-lo a tornar-se a melhor versão de si mesmo.

 

 

4. “Casais Inteligentes Enriquecem Juntos - Finanças para Casais”, Gustavo Cerbasi

Muitas vezes, o dinheiro é um fator de desentendimentos nos casais. Principalmente quando estes têm visões diferentes de como deve ser feita a gestão financeira familiar. Gustavo Cerbasi elenca, neste livro, um conjunto de sugestões para gerir as finanças a dois, adaptadas para diferentes tipos de relacionamentos.

 

  • A lição: Em conjunto, e com os objetivos alinhados, consegue-se chegar mais longe.

 

 

5. “The Millionaire Fast Lane”, de MJ DeMarco

Neste livro de educação financeira, o empreendedor norte-americano MJ DeMarco defende que para enriquecer, ou conseguir uma boa almofada financeira, não é necessário sacrificar os prazeres da vida, nem viver de salário em salário. Para o autor, esta é uma estratégia medíocre. Assim, propõe outras formas de atrair riqueza - como a criação do próprio negócio, suprindo uma necessidade do mercado, e trabalhando dia e noite em prol do seu próprio projeto.

 

  • A lição: Para enriquecer não basta separar 10% do salário para a conta-poupança todos os meses e jantar fora apenas uma vez por mês. É preciso criar outras formas de rendimento.

 

 

6. Ponha o seu dinheiro a trabalhar para si, livro de educação financeira de Bárbara Barroso

Gostava de ganhar mais dinheiro, mas não sabe como? Ou, quem sabe, alcançar a liberdade financeira? Não é a trabalhar mais que consegue atingir este objetivo, defende, neste livro, a especialista em finanças pessoais Bárbara Barroso. Para chegar a este lugar, é preciso investir o seu dinheiro. No entanto, a maior parte das pessoas está mais focada em poupar e colocar o dinheiro num produto seguro, com pouco retorno financeiro, em vez de arriscar. Neste livro de educação financeira, a autora portuguesa explica como fazer um fundo de emergência, o que são os juros compostos, como investir em ações e a importância de ter um PPR para preparar a reforma.

 

  • Lição: Para conseguir alcançar a liberdade financeira, não deve ter o dinheiro parado numa conta à ordem. É preciso aplicá-lo e investi-lo. Ou seja, pôr o seu dinheiro a trabalhar para os seus objetivos.

 

 

7. Contas-Poupança - Poupe ainda Mais, Invista Melhor, de Pedro Andersson

Pedro Andersson é bem conhecido dos portugueses como o apresentador da rubrica “Contas-poupança”, na SIC, e já tem várias obras publicadas. Neste livro, o jornalista dá dicas para comprar um carro em segunda mão, escolher o melhor crédito habitação ou pagar menos pelo que já possui, baixar as mensalidades do cartão de crédito, saber se uma promoção é falsa e a sempre importante lição de como preparar a reforma.

 

  • Lição: A segurança financeira é algo que se trabalha ao longo do tempo. Se não é possível prevenir uma crise económica ou doméstica, pode minimizar-se o impacto que tem no orçamento familiar. Basta, para isso, fazer melhores escolhas no que diz respeito à forma como gasta o dinheiro.

 

 

Não lhe apetece ler um livro sobre finanças? Eis 5 filmes sobre educação financeira

 

1. “A Queda de Wall Street” (2015), Adam McKay

Se procura informação sobre a crise de 2008, este é o filme certo. A recessão de 2008 significou o fim de um período de crédito fácil, que culminou na falência de inúmeras empresas. Como consequência, milhões de americanos perderam os empregos ou a casa. Mas, antes da bolha explodir, um grupo de investidores conseguiu prever o que iria acontecer: a concessão de crédito em excesso levaria a uma catástrofe financeira. O filme conta três histórias de quem lucrou muito a apostar, através de produtos financeiros derivados, no rebentar da bolha. O segredo: terem todos percebido antecipadamente o que iria acontecer a breve prazo.

 

  • A lição: Pode ser tentador assumir riscos financeiros, para obter retornos superiores. Mas é importante saber no que se investe e proteger-se do risco, investindo também em oportunidades seguras.

 

 

2. “O Lobo de Wall Street” (2013), Martin Scorsese

Baseado em factos verídicos, o filme retrata o mundo das finanças em Nova Iorque, no final dos anos 80 e 90, com sexo, drogas e muita fraude financeira à mistura. Um corretor aprende a fazer dinheiro através de movimentações na bolsa que custam fortunas aos investidores mais ingénuos, enquanto goza uma vida de luxo desregrado. Quando o FBI se apercebe que Jordan Belfort promove um esquema ilegal, torna-se cada vez mais difícil escapar a um ajuste de contas.

 

  • A lição: Quando investe na bolsa, todos os cuidados são poucos. Siga a máxima: “Se parece ser bom demais para verdade, talvez seja”. Não acredite em quem promete lucros inacreditáveis, uma vez que podem estar associados a riscos demasiado elevados ou a operações pouco lícitas. Prefira fazer os seus investimentos de forma segura, investir em ações de empresas que conhece e recorrer a especialistas de confiança.

 

 

3. “Enron: Os Mais Espertos da Sala” (2005), Alex Gibney

A Enron foi um dos maiores escândalos financeiros de sempre nos Estados Unidos. A empresa da área energética, fundada em 1985, tornou-se, nos anos 1990, numa locomotiva em constante crescimento. Contudo, em 2001, tudo colapsou quando se descobriu que a empresa escondia os seus verdadeiros resultados através de práticas contabilísticas que ocultavam milhões de dólares em dívidas. Com a Enron afundou-se também a Arthur Andersen, uma das cinco maiores auditoras do mundo, depois de se provar que destruiu documentos e ajudou na falsificação das contas da empresa. Foi a maior insolvência alguma vez registada nos Estados Unidos.

 

  • A lição: A mentira tem perna curta. Não vale a pena ocultar o que vai, mais tarde ou mais cedo, ser descoberto. Neste caso, dívidas avultadas e maus investimentos.

 

 

4. “Freakonomics: O Estranho Mundo da Economia” (2010), Heidi Ewing, Alex Gibney, Seth Gordon, Rachel Grady, Eugene Jarecki, e Morgan Spurlock

Este documentário é adaptado do livro “Freakonomics: O Estranho Mundo da Economia”, de Steven D. Levitt e Stephen J. Dubner e segue a mesma lógica. São quatro segmentos que exploram factos curiosos, como, por exemplo, perceber qual a correlação entre os nomes das crianças e suas perspetivas de futuro ou a ligação entre a legalização do aborto nos Estados Unidos e a queda da criminalidade dos anos 1980.

 

  • A lição: O filme, que analisa as motivações psicológicas ocultas que impulsionam a economia, pode mudar a forma como pensa nas suas decisões financeiras.

 

 

5. “Moneyball: Jogada de Risco” (2011), Bennett Miller

Uma equipa de basebol que está a perder jogadores para outros clubes, aliciados por melhores salários, é salva pela abordagem de um economista. O especialista, recorrendo a um modelo estatístico criado por si para avaliar o potencial dos jogadores, consegue pegar em atletas subvalorizados, e mais baratos, e criar uma equipa vencedora. O filme baseia-se na história verídica dos Oakland Athletics que, na temporada de 2002, contratou jogadores de segunda linha e conseguiu vencer 20 jogos seguidos. O método acabaria por ser aplicado a outra equipa, os Red Sox, que venceram o campeonato anual da Major League Baseball (MJL), a maior liga de basebol do continente americano, conhecida também por World Series.

 

  • A lição: Nos negócios, nos investimentos e na gestão das finanças pessoais, às vezes é preciso fazer escolhas e deixar as emoções de lado. Pensar diferente e tentar abordagens que vão contra a corrente podem abrir caminho para um bom negócio ou investimento. E quando criatividade e razão se juntam, são imparáveis.
     

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!