Dador de sangue: quais os benefícios?

bem-estar

Dador de sangue: conheça os benefícios e como fazê-lo

06 jun 2022 | 5 min de leitura

Posso doar sangue? Quais os benefícios de ser dador? É um gesto simples, mas que pode salvar a vida de alguém. Se gostava de experimentar, conheça as informações principais.

Um adulto tem cerca de 4,5 a 5,5 litros de sangue a circular no seu organismo. Este precioso líquido vermelho desempenha várias funções: transporta oxigénio e nutrientes pelo corpo, remove resíduos dos órgãos para serem eliminados, combate infeções e regula os níveis de acidez (pH) e a temperatura corporal.

 

Mas nem sempre consegue desempenhar as suas funções. Por vezes algo não está a funcionar como devia ou a quantidade existente no corpo é insuficiente. Em qualquer destes cenários, é possível receber uma transfusão de sangue, desde que o grupo sanguíneo seja compatível. Mas, para isso, é essencial que haja sangue em stock.

 

 

Vantagens de doar sangue

Ao doar sangue, está a fornecer um bem essencial para a sobrevivência de outra pessoa. É um gesto simples e que não traz repercussões negativas para a sua saúde, mas pode fazer a diferença na vida de alguém que tenha sido submetido a uma operação, sido vítima de um acidente grave ou que padeça de uma doença crónica, que requeira transfusões.

 

Além disso, também tem outros benefícios, como, por exemplo, permitir que fique isento do pagamento de taxas moderadoras.

 

 

Quem pode doar sangue

Os requisitos para doar sangue são os seguintes:

 

  • Estar em bom estado de saúde
  • Ter hábitos de vida saudáveis
  • Ter peso igual ou superior a 50 kg
  • Ter idade compreendida entre os 18 e os 65 anos. Para uma primeira dádiva, o limite de idade é 60 anos.

 

 

Quem não pode doar sangue

Em alguns casos poderão pedir-lhe para não doar sangue, por dois motivos: caso ponha em causa a sua saúde (do dador) ou do recetor. Para avaliar a existência de potenciais riscos, antes da dádiva será realizada uma avaliação por um profissional de saúde. No entanto, é proibida a discriminação devido a identidade de género ou orientação sexual.

 

Não deve dar sangue se:

 

  • Estiver grávida
  • Testou positivo para o VIH/SIDA
  • Tomou ou está a tomar medicação para tratar uma doença potencialmente transmissível pelo sangue (ex.: VIH/SIDA, Hepatites B ou C, Sífilis)
  • Consome ou alguma vez consumiu drogas injetáveis não prescritas pelo médico
  • Alguma vez teve contactos sexuais mediante o recebimento de contrapartidas financeiras ou equivalentes (dinheiro, drogas ou outras)
  • Fez transplante de origem humana nos últimos seis meses
  • Fez tratamento com gonadotrofina humana (por exemplo, hormona de crescimento)
  • Recebeu alguma transfusão de sangue depois de 1980.

 

 

Até que idade posso doar sangue?

Não há limite de idade para a dádiva de sangue. Os dadores com mais de 65 anos poderão doar sangue, desde que tenham autorização do médico do serviço de sangue.

 

 

De quanto em quanto tempo posso doar sangue?

A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens.

 

 

Quem tem tatuagem pode doar sangue?

Sim, desde que já tenham passado quatro meses após a realização da tatuagem.

 

 

O que comer antes de doar sangue?

Não existe uma regra definida, no entanto, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação recomenda que tome o pequeno-almoço. No entanto, deve evitar fazer uma refeição abundante previamente à dádiva. Deve ainda:

 

  • Reforçar a hidratação no dia anterior e no próprio dia, de preferência com água ou chá
  • Evitar grandes períodos de exposição solar.

 

 

Cuidados ter depois da dádiva?

Na dádiva são colhidos aproximadamente 450 ml de sangue. Depois de dar sangue deve continuar a manter-se hidratado, evitar grandes períodos de exposição solar e evitar o exercício físico no próprio dia.

 

 

Quais os benefícios do dador de sangue?

De acordo com o Estatuto do Dador de Sangue, quem realiza este ato tem direito a:

 

  • Respeito e salvaguarda da sua integridade física e mental
  • Receber informação precisa, compreensível e completa sobre todos os aspetos relevantes relacionados com a dádiva de sangue
  • Não ser objeto de discriminação
  • Confidencialidade e à proteção dos seus dados pessoais
  • Reconhecimento público
  • Isenção das taxas moderadoras no acesso às prestações do Serviço Nacional de Saúde (SNS)
  • Ausentar-se das suas atividades profissionais para dar sangue, pelo tempo considerado necessário, sem perder direitos ou regalias
  • Seguro do dador
  • Acessibilidade gratuita ao estacionamento dos estabelecimentos do SNS.

 

Além de benefícios, o dador também tem obrigações. Deve formalizar o seu consentimento por escrito e responder com verdade, consciência e responsabilidade às questões que lhe são colocadas.

 

 

Como doar sangue?

Se quer dar sangue, pode consultar os locais de colheita na plataforma dador.pt. O processo demora, em média, 30 minutos:

 

Dirija-se a qualquer Centro Regional de Sangue ou Hospital com serviço de colheita, onde será atendido por um profissional dos serviços administrativos que preencherá a sua ficha. Lembre-se de levar o Cartão de Cidadão para que os seus dados pessoais sejam preenchidos corretamente e para que, mais tarde, receba o Cartão Nacional de Dador de Sangue.

 

 

O que é o seguro do dador?

É um seguro para dadores, que cobre complicações de saúde relacionadas com a dádiva de sangue, mesmo que não sejam da responsabilidade dos serviços de saúde. Prevê, ainda, a cobertura dos acidentes ocorridos no local da colheita e no trajeto de ida e de regresso. A contratação do seguro cabe às entidades que gerem a dádiva e a colheita de sangue.

 

Nem todas as situações estão cobertas pelo seguro. Por exemplo, se ocorrerem danos devido à prestação de informações falsas ou se os danos estiverem cobertos por outro seguro obrigatório.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Um adulto tem cerca de 4,5 a 5,5 litros de sangue a circular no seu organismo. Este precioso líquido vermelho desempenha várias funções: transporta oxigénio e nutrientes pelo corpo, remove resíduos dos órgãos para serem eliminados, combate infeções e regula os níveis de acidez (pH) e a temperatura corporal.

 

Mas nem sempre consegue desempenhar as suas funções. Por vezes algo não está a funcionar como devia ou a quantidade existente no corpo é insuficiente. Em qualquer destes cenários, é possível receber uma transfusão de sangue, desde que o grupo sanguíneo seja compatível. Mas, para isso, é essencial que haja sangue em stock.

 

 

Vantagens de doar sangue

Ao doar sangue, está a fornecer um bem essencial para a sobrevivência de outra pessoa. É um gesto simples e que não traz repercussões negativas para a sua saúde, mas pode fazer a diferença na vida de alguém que tenha sido submetido a uma operação, sido vítima de um acidente grave ou que padeça de uma doença crónica, que requeira transfusões.

 

Além disso, também tem outros benefícios, como, por exemplo, permitir que fique isento do pagamento de taxas moderadoras.

 

 

Quem pode doar sangue

Os requisitos para doar sangue são os seguintes:

 

  • Estar em bom estado de saúde
  • Ter hábitos de vida saudáveis
  • Ter peso igual ou superior a 50 kg
  • Ter idade compreendida entre os 18 e os 65 anos. Para uma primeira dádiva, o limite de idade é 60 anos.

 

 

Quem não pode doar sangue

Em alguns casos poderão pedir-lhe para não doar sangue, por dois motivos: caso ponha em causa a sua saúde (do dador) ou do recetor. Para avaliar a existência de potenciais riscos, antes da dádiva será realizada uma avaliação por um profissional de saúde. No entanto, é proibida a discriminação devido a identidade de género ou orientação sexual.

 

Não deve dar sangue se:

 

  • Estiver grávida
  • Testou positivo para o VIH/SIDA
  • Tomou ou está a tomar medicação para tratar uma doença potencialmente transmissível pelo sangue (ex.: VIH/SIDA, Hepatites B ou C, Sífilis)
  • Consome ou alguma vez consumiu drogas injetáveis não prescritas pelo médico
  • Alguma vez teve contactos sexuais mediante o recebimento de contrapartidas financeiras ou equivalentes (dinheiro, drogas ou outras)
  • Fez transplante de origem humana nos últimos seis meses
  • Fez tratamento com gonadotrofina humana (por exemplo, hormona de crescimento)
  • Recebeu alguma transfusão de sangue depois de 1980.

 

 

Até que idade posso doar sangue?

Não há limite de idade para a dádiva de sangue. Os dadores com mais de 65 anos poderão doar sangue, desde que tenham autorização do médico do serviço de sangue.

 

 

De quanto em quanto tempo posso doar sangue?

A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens.

 

 

Quem tem tatuagem pode doar sangue?

Sim, desde que já tenham passado quatro meses após a realização da tatuagem.

 

 

O que comer antes de doar sangue?

Não existe uma regra definida, no entanto, o Instituto Português do Sangue e da Transplantação recomenda que tome o pequeno-almoço. No entanto, deve evitar fazer uma refeição abundante previamente à dádiva. Deve ainda:

 

  • Reforçar a hidratação no dia anterior e no próprio dia, de preferência com água ou chá
  • Evitar grandes períodos de exposição solar.

 

 

Cuidados ter depois da dádiva?

Na dádiva são colhidos aproximadamente 450 ml de sangue. Depois de dar sangue deve continuar a manter-se hidratado, evitar grandes períodos de exposição solar e evitar o exercício físico no próprio dia.

 

 

Quais os benefícios do dador de sangue?

De acordo com o Estatuto do Dador de Sangue, quem realiza este ato tem direito a:

 

  • Respeito e salvaguarda da sua integridade física e mental
  • Receber informação precisa, compreensível e completa sobre todos os aspetos relevantes relacionados com a dádiva de sangue
  • Não ser objeto de discriminação
  • Confidencialidade e à proteção dos seus dados pessoais
  • Reconhecimento público
  • Isenção das taxas moderadoras no acesso às prestações do Serviço Nacional de Saúde (SNS)
  • Ausentar-se das suas atividades profissionais para dar sangue, pelo tempo considerado necessário, sem perder direitos ou regalias
  • Seguro do dador
  • Acessibilidade gratuita ao estacionamento dos estabelecimentos do SNS.

 

Além de benefícios, o dador também tem obrigações. Deve formalizar o seu consentimento por escrito e responder com verdade, consciência e responsabilidade às questões que lhe são colocadas.

 

 

Como doar sangue?

Se quer dar sangue, pode consultar os locais de colheita na plataforma dador.pt. O processo demora, em média, 30 minutos:

 

Dirija-se a qualquer Centro Regional de Sangue ou Hospital com serviço de colheita, onde será atendido por um profissional dos serviços administrativos que preencherá a sua ficha. Lembre-se de levar o Cartão de Cidadão para que os seus dados pessoais sejam preenchidos corretamente e para que, mais tarde, receba o Cartão Nacional de Dador de Sangue.

 

 

O que é o seguro do dador?

É um seguro para dadores, que cobre complicações de saúde relacionadas com a dádiva de sangue, mesmo que não sejam da responsabilidade dos serviços de saúde. Prevê, ainda, a cobertura dos acidentes ocorridos no local da colheita e no trajeto de ida e de regresso. A contratação do seguro cabe às entidades que gerem a dádiva e a colheita de sangue.

 

Nem todas as situações estão cobertas pelo seguro. Por exemplo, se ocorrerem danos devido à prestação de informações falsas ou se os danos estiverem cobertos por outro seguro obrigatório.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!