Conheça a importância da medicina preventiva

bem-estar

Mais vale prevenir que remediar: a importância da medicina preventiva

08 fev 2022 | 5 min de leitura

Já fez o seu check up anual de saúde? Tem algum exame de rotina por marcar? Saiba o que é a medicina preventiva, porque é importante e que tipos de prevenção existem.

Há muito que a medicina deixou de se focar apenas no tratamento de sintomas, focando-se cada vez mais na prevenção de doenças e na promoção da saúde.

 

A probabilidade de tratar ou curar algumas doenças é tanto maior quanto mais cedo as detetar – mesmo em doenças graves.

 

O que é a medicina preventiva

A medicina preventiva é um dos ramos da medicina geral e familiar. Ao contrário da medicina curativa, cujo objetivo é tratar a doença, a medicina preventiva tem como fim promover a saúde, agindo para evitar doenças ou detetá-las numa fase precoce.

 

A medicina preventiva abrange várias vertentes: desde os exames de rotina, como análises ao sangue, aos rastreios periódicos de doenças específicas, passando ainda pelas campanhas de vacinação.

 

A medicina do trabalho, ou medicina ocupacional, também é um tipo de medicina preventiva. O seu objetivo é garantir a saúde das pessoas no seu local de trabalho e diminuir o risco de lesões ou doenças relacionadas com o contexto laboral. Esta prática é particularmente importante nas profissões que têm maiores riscos para a saúde.

 

A importância da medicina preventiva

Detetar uma doença na sua fase inicial aumenta muito as probabilidades de cura, especialmente em doenças graves. Ao prevenir e tratar precocemente, a medicina preventiva ajuda a diminuir a mortalidade e a melhorar a qualidade de vida.

 

É verdade que a idade cronológica não diz tudo sobre o nosso estado de saúde, mas é um fator de risco para algumas doenças. Por isso, alguns exames de rotina que devemos fazer estão associados a idades específicas. As mamografias, por exemplo, são recomendadas de 2 em 2 anos, para mulheres a partir dos 50 anos. Podem ser feitas em rastreios ao cancro da mama, que acontecem por todo o país.

 

Este é um dos tipos de cancro mais comuns em Portugal e os rastreios têm contribuído para diagnósticos cada vez mais precoces. Graças a esta medida preventiva, têm morrido cada vez menos pessoas de cancro da mama em Portugal e há cada vez mais sobreviventes com qualidade de vida.

 

Há muito que a medicina deixou de se focar apenas no tratamento de sintomas, focando-se cada vez mais na prevenção de doenças e na promoção da saúde.

 

A probabilidade de tratar ou curar algumas doenças é tanto maior quanto mais cedo as detetar – mesmo em doenças graves.

 

O que é a medicina preventiva

A medicina preventiva é um dos ramos da medicina geral e familiar. Ao contrário da medicina curativa, cujo objetivo é tratar a doença, a medicina preventiva tem como fim promover a saúde, agindo para evitar doenças ou detetá-las numa fase precoce.

 

A medicina preventiva abrange várias vertentes: desde os exames de rotina, como análises ao sangue, aos rastreios periódicos de doenças específicas, passando ainda pelas campanhas de vacinação.

 

A medicina do trabalho, ou medicina ocupacional, também é um tipo de medicina preventiva. O seu objetivo é garantir a saúde das pessoas no seu local de trabalho e diminuir o risco de lesões ou doenças relacionadas com o contexto laboral. Esta prática é particularmente importante nas profissões que têm maiores riscos para a saúde.

 

A importância da medicina preventiva

Detetar uma doença na sua fase inicial aumenta muito as probabilidades de cura, especialmente em doenças graves. Ao prevenir e tratar precocemente, a medicina preventiva ajuda a diminuir a mortalidade e a melhorar a qualidade de vida.

 

É verdade que a idade cronológica não diz tudo sobre o nosso estado de saúde, mas é um fator de risco para algumas doenças. Por isso, alguns exames de rotina que devemos fazer estão associados a idades específicas. As mamografias, por exemplo, são recomendadas de 2 em 2 anos, para mulheres a partir dos 50 anos. Podem ser feitas em rastreios ao cancro da mama, que acontecem por todo o país.

 

Este é um dos tipos de cancro mais comuns em Portugal e os rastreios têm contribuído para diagnósticos cada vez mais precoces. Graças a esta medida preventiva, têm morrido cada vez menos pessoas de cancro da mama em Portugal e há cada vez mais sobreviventes com qualidade de vida.

 

 

Podemos ainda tomar como exemplo a vacinação: uma estratégia de prevenção primária essencial para a saúde pública. As vacinas permitem diminuir drasticamente, ou até extinguir, a ocorrência de certas doenças numa população.

 

Para além das questões de saúde, a medicina preventiva também tem impacto na economia – tratar uma doença numa fase inicial tem muito menos custos para o sistema de saúde do que tratá-la numa fase mais avançada.

 

Os benefícios da prevenção em saúde são tantos que, em 2003, nasceu a Associação Portuguesa de Medicina Preventiva (APMP): uma organização sem fins lucrativos, criada por profissionais, que promove a saúde e o bem-estar físico e mental dos indivíduos e das comunidades.

 

A associação presta serviços como consultas médicas, programas clínicos residenciais e atividades de educação para a saúde, atuando também em projetos humanitários junto de comunidades desfavorecidas.

 

Tipos de medicina preventiva

Há vários níveis de prevenção em saúde. Cada nível envolve ações diferentes e atua em fases distintas, de acordo com os seus objetivos.

 

Prevenção primária

Começa antes de existir qualquer doença. O seu objetivo é, precisamente, evitar novos casos de doença. Este nível de prevenção foca-se nas pessoas saudáveis e pretende:

 

  • promover a saúde, incentivando comportamentos e hábitos saudáveis
  • proteger contra doenças específicas.

 

As ações de sensibilização para os efeitos negativos do tabaco e o plano nacional de vacinação, por exemplo, são estratégias de prevenção primária.

 

 

 Prevenção terciária

A prevenção terciária foca-se em ajudar o doente a recuperar e em reduzir o impacto negativo da doença. O objetivo é prevenir ou atenuar as sequelas ou limitações causadas pela doença.

 

Este nível de prevenção intervém depois da doença e inclui ações desde a fisioterapia e reabilitação depois de um acidente à adaptação do posto de trabalho às condições da pessoa, depois da doença.

 

Cuide da sua saúde – especialmente quando se sente bem

A evolução da medicina e da qualidade dos serviços de saúde permite-nos viver cada vez mais anos e com grande qualidade de vida. Quando adoecemos, há grande probabilidade de recebermos cuidados de saúde rapidamente e de recuperarmos bem.

 

Mas quantas vezes já disse “só quero saúde” numa passagem de ano, no seu aniversário ou noutra ocasião especial?

 

Sabemos que o melhor mesmo é não ficar doente. E, para isso, há que manter um estilo de vida saudável e os exames e consultas em dia.

 

O seu seguro de saúde pode ajudá-lo a manter-se atento – e também mais tranquilo. Consulte a rede de prestadores de saúde convencionados, marque o seu check up de saúde anual ou agende uma consulta online para saber o que é recomendado para si.

 

Lembre-se do provérbio, velhinho mas certeiro: mais vale prevenir que remediar (especialmente em saúde).

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Quer receber o ''Guia completo sobre seguros de saúde''?

Insira o seu e-mail para subscrever a newsletter e descarregar o e-book

Já pode ler o e-book ''Guia seguros de saúde''

O e-book foi descarregado. Vai também passar a receber os artigos do Salto no seu e-mail

blog-download-resource-success

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Que temas gostava de ler por aqui?

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

A sua saúde não pode esperar

Conheça as vantagens do nosso seguro de saúde

Seguro Saúde