Calcular idade biologica

bem-estar

A idade é só um número? Saiba o que é a idade biológica e como se reflete na sua saúde

06 dez 2021 | 7 min de leitura

Tome nota do que precisa de saber para calcular a sua idade biológica e saiba em que difere da idade cronológica.

 

Há quem diga que a idade é um posto, quem acredite que é só um número e quem não queira ouvir falar no assunto. Mas a idade é mais do que os números que aparecem nas velas do seu bolo de aniversário.

 

A idade biológica não vem no Cartão de Cidadão, nem é calculada com base no ano em que nascemos. Ela indica o estado funcional do nosso corpo e baseia-se no estado das células, dos tecidos, dos órgãos e de todos os sistemas do organismo.

 

O que é a idade biológica?

A idade biológica é um indicador do estado geral de saúde e mede o grau de envelhecimento do nosso corpo, assente em fatores genéticos e em fatores externos.

 

Envelhecer é inevitável, mas nem todos envelhecemos da mesma forma. Quantas vezes já ouviu dizer que alguém que conhece “envelheceu bem” ou “está muito bem para a idade que tem”?

 

Algumas pessoas não aparentam a idade cronológica que têm – podem parecer mais velhas ou mais novas, o que significa que terão mais ou menos idade biológica, respetivamente.

 

Diferenças entre idade cronológica e idade biológica

Para calcular a idade cronológica, só precisa de saber duas coisas: o ano em que nasceu e o ano em que está. É um número que conhece bem e que refere quando lhe perguntam que idade tem. Mas é comum a idade biológica diferir da idade cronológica em 5 anos ou mais.

 

Sabia que a idade biológica é um melhor indicador da expectativa de vida do que a idade cronológica? Há especialistas que defendem que este pode até ser um bom argumento para ter alguns benefícios ao contratar um seguro de saúde.

 

E se não pode controlar a sua idade cronológica, o mesmo não se aplica à idade biológica. Em relação à genética ou a doenças crónicas há pouco que possa fazer. A boa notícia é que estes fatores só determinam 30% da idade biológica, ficando os restantes 70% a cargo de fatores externos que pode controlar, como:

 

  • Tipo de alimentação
  • Hábitos de sono
  • Consumo de álcool e tabaco
  • Estilo de vida ativo ou sedentário
  • Ansiedade e stress.


O que precisa de saber para calcular a idade biológica

Calcular a idade biológica não é tão imediato como saber quantos anos já viveu, mas é possível. Já há exames de sangue (ou até de saliva) que lhe dizem se o seu corpo está a envelhecer de forma precoce ou não.

 

Segundo um estudo da Universidade de Stanford, os órgãos e indicadores biológicos mais importantes para determinar a idade biológica são:

 

  • O coração e a função cardiovascular
  • Os pulmões e a capacidade respiratória
  • O cérebro e a capacidade cognitiva
  • A elasticidade e firmeza da pele
  • O sistema imunitário
  • O comprimento dos telómeros (uma espécie de cápsula que protege os cromossomas e que vai diminuindo à medida que as células envelhecem).

 

Há vários fatores a ter em conta para ter uma estimativa sobre a sua idade biológica – ou, pelo menos, para entender se esta poderá ser maior ou menor do que a sua idade cronológica. Avalie como se sente, física e psicologicamente, tendo em conta:

 

  • O histórico de doenças na sua família
  • A sua saúde cardíaca (níveis de colesterol, tensão arterial, etc.)
  • O seu nível de cansaço
  • A sua saúde mental (níveis de ansiedade, stress, tristeza, etc.)
  • Se tem ou não dores nas articulações
  • Se vê bem ou tem perda de acuidade visual.

 

Para calcular a idade biológica com rigor, deve aconselhar-se com profissionais de saúde, consultar o seu médico e seguir as suas recomendações.

 

Como melhorar a sua idade biológica

Há coisas que pode fazer para evitar o envelhecimento precoce do seu corpo. Mudar alguns hábitos e adotar rotinas mais saudáveis pode ajudá-lo a melhorar a sua idade biológica e fazer maravilhas pela sua saúde.

 

Faça uma alimentação equilibrada

Inclua legumes, frutas e vegetais na sua dieta diária. Consuma menos açúcar, sal, gorduras e alimentos processados. Prefira carnes brancas e peixe a carnes vermelhas. E, claro, beba muita água.

 

Comer de forma saudável diminui o risco de doenças que contribuem para o aumento da sua idade biológica. Diabetes, obesidade e problemas cardiovasculares são apenas alguns exemplos.

 

Mas não se esqueça que ser saudável é manter o equilíbrio. Não deixe de comer o que gosta, mas controle a frequência e a quantidade de escolhas alimentares menos saudáveis.

 

Modere o consumo de bebidas alcoólicas

O consumo excessivo de álcool é um fator de risco para várias doenças e pode ter um impacto grave e irreversível na saúde. Beber de forma moderada ajuda a retardar o envelhecimento do seu organismo.

 

Mas, tal como na alimentação, importa o equilíbrio. Se gosta de bebidas alcoólicas, não tem de as eliminar por completo da sua vida – pode reservá-las para momentos mais festivos e de celebração.

 

Não fume

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabaco é uma das maiores ameaças à saúde pública e uma das principais causas evitáveis de morte.

 

As suas consequências são bem conhecidas: do risco de cancro à infertilidade, passando por doenças respiratórias e cardiovasculares. O vício do tabaco é um dos fatores que mais contribui para o aumento da idade biológica.

 

Se é fumador, quebrar esse hábito é o passo mais importante que pode dar pela sua saúde. Por ser um processo difícil – mas muito importante – há um programa do Serviço Nacional de Saúde que o ajuda a deixar de fumar.

 

Pratique exercício físico

Para além de ajudar a melhorar o humor, praticar desporto tem muitas vantagens para a sua saúde mental e física. Umas das mais importantes é a melhoria da capacidade cardíaca e redução do risco de doenças cardiovasculares.

 

Mexer o corpo através do exercício é um dos melhores aliados para melhorar a idade biológica.

 

Se ainda não aceitou o desafio dos seus amigos para começar a correr, para se inscrever no ginásio ou experimentar aquela aula de cycling ou de pilates, este é um bom motivo para o fazer.

 

Durma bem e leve o descanso a sério

Dormir bem é indispensável à saúde: melhora o humor, a qualidade de vida e aumenta a longevidade. Sabia que é durante o sono que se produz a hormona do crescimento? É por isso que as sestas são tão importantes para bebés e crianças.

 

Enquanto dormimos, o corpo recupera energia para enfrentar um novo dia – e este é um dos casos em que quantidade e qualidade são igualmente importantes.

 

Tente dormir, pelo menos, 7 a 8 horas por noite. Encare o descanso como uma tarefa e leve-a muito a sério. Reserve tempo na agenda para descansar: é legítimo, importante e uma questão de saúde.

 

Reforce as suas defesas

O sistema imunitário defende o corpo de ameaças, evitando que adoeça e combatendo infeções. Um sistema imunitário forte é fundamental para que se mantenha saudável.

 

Um estilo de vida equilibrado, com uma boa alimentação e atividade física regular, contribuem para o bom funcionamento do sistema imunitário.

 

Em fases mais críticas – como no outono, no inverno e em períodos de maior stress – pode reforçar as defesas do seu organismo com suplementos alimentares. Consulte sempre o seu médico ou nutricionista para conhecer as suas necessidades específicas e fazer escolhas adequadas.

 

Esteja atento à sua saúde mental

Os períodos de isolamento social e de maior incerteza, que vivemos nos últimos tempos, despertaram a atenção para a importância de cuidar da saúde mental durante a pandemia. E estamos cada vez mais conscientes do impacto da saúde mental na saúde em geral.

 

O ritmo acelerado em que vivemos, a cultura da produtividade constante e as exigências da vida podem ter consequências profundas no nosso bem-estar físico e mental.

 

Esteja atento a períodos de mais ansiedade, stress, tristeza ou irritação, e não desvalorize o impacto que podem ter na sua vida. Se for preciso, procure ajuda profissional. A saúde mental também é saúde – não se esqueça de cuidar da sua.


 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

 

Há quem diga que a idade é um posto, quem acredite que é só um número e quem não queira ouvir falar no assunto. Mas a idade é mais do que os números que aparecem nas velas do seu bolo de aniversário.

 

A idade biológica não vem no Cartão de Cidadão, nem é calculada com base no ano em que nascemos. Ela indica o estado funcional do nosso corpo e baseia-se no estado das células, dos tecidos, dos órgãos e de todos os sistemas do organismo.

 

O que é a idade biológica?

A idade biológica é um indicador do estado geral de saúde e mede o grau de envelhecimento do nosso corpo, assente em fatores genéticos e em fatores externos.

 

Envelhecer é inevitável, mas nem todos envelhecemos da mesma forma. Quantas vezes já ouviu dizer que alguém que conhece “envelheceu bem” ou “está muito bem para a idade que tem”?

 

Algumas pessoas não aparentam a idade cronológica que têm – podem parecer mais velhas ou mais novas, o que significa que terão mais ou menos idade biológica, respetivamente.

 

Diferenças entre idade cronológica e idade biológica

Para calcular a idade cronológica, só precisa de saber duas coisas: o ano em que nasceu e o ano em que está. É um número que conhece bem e que refere quando lhe perguntam que idade tem. Mas é comum a idade biológica diferir da idade cronológica em 5 anos ou mais.

 

Sabia que a idade biológica é um melhor indicador da expectativa de vida do que a idade cronológica? Há especialistas que defendem que este pode até ser um bom argumento para ter alguns benefícios ao contratar um seguro de saúde.

 

E se não pode controlar a sua idade cronológica, o mesmo não se aplica à idade biológica. Em relação à genética ou a doenças crónicas há pouco que possa fazer. A boa notícia é que estes fatores só determinam 30% da idade biológica, ficando os restantes 70% a cargo de fatores externos que pode controlar, como:

 

  • Tipo de alimentação
  • Hábitos de sono
  • Consumo de álcool e tabaco
  • Estilo de vida ativo ou sedentário
  • Ansiedade e stress.


O que precisa de saber para calcular a idade biológica

Calcular a idade biológica não é tão imediato como saber quantos anos já viveu, mas é possível. Já há exames de sangue (ou até de saliva) que lhe dizem se o seu corpo está a envelhecer de forma precoce ou não.

 

Segundo um estudo da Universidade de Stanford, os órgãos e indicadores biológicos mais importantes para determinar a idade biológica são:

 

  • O coração e a função cardiovascular
  • Os pulmões e a capacidade respiratória
  • O cérebro e a capacidade cognitiva
  • A elasticidade e firmeza da pele
  • O sistema imunitário
  • O comprimento dos telómeros (uma espécie de cápsula que protege os cromossomas e que vai diminuindo à medida que as células envelhecem).

 

Há vários fatores a ter em conta para ter uma estimativa sobre a sua idade biológica – ou, pelo menos, para entender se esta poderá ser maior ou menor do que a sua idade cronológica. Avalie como se sente, física e psicologicamente, tendo em conta:

 

  • O histórico de doenças na sua família
  • A sua saúde cardíaca (níveis de colesterol, tensão arterial, etc.)
  • O seu nível de cansaço
  • A sua saúde mental (níveis de ansiedade, stress, tristeza, etc.)
  • Se tem ou não dores nas articulações
  • Se vê bem ou tem perda de acuidade visual.

 

Para calcular a idade biológica com rigor, deve aconselhar-se com profissionais de saúde, consultar o seu médico e seguir as suas recomendações.

 

Como melhorar a sua idade biológica

Há coisas que pode fazer para evitar o envelhecimento precoce do seu corpo. Mudar alguns hábitos e adotar rotinas mais saudáveis pode ajudá-lo a melhorar a sua idade biológica e fazer maravilhas pela sua saúde.

 

Faça uma alimentação equilibrada

Inclua legumes, frutas e vegetais na sua dieta diária. Consuma menos açúcar, sal, gorduras e alimentos processados. Prefira carnes brancas e peixe a carnes vermelhas. E, claro, beba muita água.

 

Comer de forma saudável diminui o risco de doenças que contribuem para o aumento da sua idade biológica. Diabetes, obesidade e problemas cardiovasculares são apenas alguns exemplos.

 

Mas não se esqueça que ser saudável é manter o equilíbrio. Não deixe de comer o que gosta, mas controle a frequência e a quantidade de escolhas alimentares menos saudáveis.

 

Modere o consumo de bebidas alcoólicas

O consumo excessivo de álcool é um fator de risco para várias doenças e pode ter um impacto grave e irreversível na saúde. Beber de forma moderada ajuda a retardar o envelhecimento do seu organismo.

 

Mas, tal como na alimentação, importa o equilíbrio. Se gosta de bebidas alcoólicas, não tem de as eliminar por completo da sua vida – pode reservá-las para momentos mais festivos e de celebração.

 

Não fume

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o tabaco é uma das maiores ameaças à saúde pública e uma das principais causas evitáveis de morte.

 

As suas consequências são bem conhecidas: do risco de cancro à infertilidade, passando por doenças respiratórias e cardiovasculares. O vício do tabaco é um dos fatores que mais contribui para o aumento da idade biológica.

 

Se é fumador, quebrar esse hábito é o passo mais importante que pode dar pela sua saúde. Por ser um processo difícil – mas muito importante – há um programa do Serviço Nacional de Saúde que o ajuda a deixar de fumar.

 

Pratique exercício físico

Para além de ajudar a melhorar o humor, praticar desporto tem muitas vantagens para a sua saúde mental e física. Umas das mais importantes é a melhoria da capacidade cardíaca e redução do risco de doenças cardiovasculares.

 

Mexer o corpo através do exercício é um dos melhores aliados para melhorar a idade biológica.

 

Se ainda não aceitou o desafio dos seus amigos para começar a correr, para se inscrever no ginásio ou experimentar aquela aula de cycling ou de pilates, este é um bom motivo para o fazer.

 

Durma bem e leve o descanso a sério

Dormir bem é indispensável à saúde: melhora o humor, a qualidade de vida e aumenta a longevidade. Sabia que é durante o sono que se produz a hormona do crescimento? É por isso que as sestas são tão importantes para bebés e crianças.

 

Enquanto dormimos, o corpo recupera energia para enfrentar um novo dia – e este é um dos casos em que quantidade e qualidade são igualmente importantes.

 

Tente dormir, pelo menos, 7 a 8 horas por noite. Encare o descanso como uma tarefa e leve-a muito a sério. Reserve tempo na agenda para descansar: é legítimo, importante e uma questão de saúde.

 

Reforce as suas defesas

O sistema imunitário defende o corpo de ameaças, evitando que adoeça e combatendo infeções. Um sistema imunitário forte é fundamental para que se mantenha saudável.

 

Um estilo de vida equilibrado, com uma boa alimentação e atividade física regular, contribuem para o bom funcionamento do sistema imunitário.

 

Em fases mais críticas – como no outono, no inverno e em períodos de maior stress – pode reforçar as defesas do seu organismo com suplementos alimentares. Consulte sempre o seu médico ou nutricionista para conhecer as suas necessidades específicas e fazer escolhas adequadas.

 

Esteja atento à sua saúde mental

Os períodos de isolamento social e de maior incerteza, que vivemos nos últimos tempos, despertaram a atenção para a importância de cuidar da saúde mental durante a pandemia. E estamos cada vez mais conscientes do impacto da saúde mental na saúde em geral.

 

O ritmo acelerado em que vivemos, a cultura da produtividade constante e as exigências da vida podem ter consequências profundas no nosso bem-estar físico e mental.

 

Esteja atento a períodos de mais ansiedade, stress, tristeza ou irritação, e não desvalorize o impacto que podem ter na sua vida. Se for preciso, procure ajuda profissional. A saúde mental também é saúde – não se esqueça de cuidar da sua.


 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!