Incumprimento de crédito

finanças

Incumprimento de crédito. Uma questão atual e importante

19 set 2022 | 3 min de leitura

A subida da Euribor e o aumento das prestações do crédito habitação vão mexer no seu orçamento pessoal e familiar. Queremos que fique a saber como pode antecipar problemas com o seu crédito, seja ele pessoal, habitação ou de outra natureza.

A inflação em Portugal continua a aumentar e em agosto atingiu os 8,9%. Este valor é um dos mais altos dos últimos 30 anos e tem influência em vários setores da nossa vida.

 

A subida da Euribor e o aumento das prestações do crédito habitação vão mexer no seu orçamento pessoal e familiar.

 

O que posso fazer para repensar a minha situação financeira? Quantas prestações posso ter em atraso? O que é a recuperação de crédito em atraso

 

Estas questões preocupam muitos de nós. Queremos que fique a saber como pode antecipar problemas com o seu crédito, seja ele pessoal, habitação ou de outra natureza.

 

 

Prestações em atraso

Quando pedimos um empréstimo pensamos a médio/longo prazo. As alterações das taxas de juro, mudanças pessoais ou profissionais ou outras situações podem fazer com que se torne mais difícil cumprir o pagamento das prestações dos seus créditos.

 

Quando fez o seu empréstimo com o banco ficou determinada uma data para a saída do dinheiro da prestação da sua conta. Se não cumprir essa data considera-se que tem prestações em atraso e encontra-se em risco de incumprimento.

 

Segundo o Banco de Portugal, se deixar de pagar as prestações do crédito, o banco deve contactá-lo para negociar soluções de pagamento. O objetivo é ajudá-lo a resolver as situações que possa ter de incumprimento de contratos de crédito.

 

Para que as suas prestações em atraso não se acumulem e os juros e complicações se tornem numa bola de neve sempre a crescer, é importante traçar um plano de ação.

 

 

Recuperação de crédito em atraso - o que é e que despesas tem associadas?

Se não pagar as suas prestações na data acordada fica sujeito:

 

  • ao pagamento de juros de mora
  • às comissões e outros encargos que acrescem à dívida
  • à comunicação da situação de incumprimento à Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal
  • a uma possível ação judicial para a recuperação do crédito. Essa ação judicial pode originar uma penhora aos seus bens

 

É importante que saiba que os bancos podem exigir o pagamento de uma comissão relativa à recuperação dos valores em dívida. Esta comissão só pode ser cobrada uma vez, por cada prestação em atraso e só pode ser, no máximo, 4% do valor da prestação. A comissão pode ter um valor mínimo de 12 euros e um valor máximo de 150 euros.

 

 

Traçar um plano de ação para o risco de incumprimento

Para que não falhe o pagamento das suas prestações nada como pensar em medidas preventivas de risco de incumprimento.

 

Se já estiver em incumprimento um plano de ação também é importante para ajudar a gerir e resolver a situação.

 

Antes de chegar ao seu limite financeiro e entrar em situação de incumprimento no seu crédito pessoal, no crédito habitação, ou em qualquer outro, antecipe possíveis problemas e situações mais difíceis. Atualmente a situação económica do país está complicada e acreditamos que a sua preocupação com as despesas esteja a aumentar.

 

Como pode criar o seu plano de ação caso ainda não esteja em incumprimento:

 

  • não aumente as suas dívidas com novos créditos
  • gaste apenas no que é importante e tente poupar
  • planeie a longo prazo
  • verifique as condições dos seus créditos
  • alerte o seu banco para o risco de vir a incumprir, devido, por exemplo, a uma situação de desemprego ou de doença
  • procure informar-se dos seus direitos e deveres
  • encontre soluções adequadas à sua situação financeira, objetivos e necessidades

 

Se já está em incumpromento:

 

 

O Banco de Portugal tem disponível online o documento “Incumprimento de contratos de crédito: Prevenção e regularização do incumprimento por clientes bancários particulares” onde pode encontrar toda a informação sobre a situação de incumprimento.

 

Consulte e mantenha-se informado. Previna uma situação de incumprimento e conheça como pode solucionar o problema.

A inflação em Portugal continua a aumentar e em agosto atingiu os 8,9%. Este valor é um dos mais altos dos últimos 30 anos e tem influência em vários setores da nossa vida.

 

A subida da Euribor e o aumento das prestações do crédito habitação vão mexer no seu orçamento pessoal e familiar.

 

O que posso fazer para repensar a minha situação financeira? Quantas prestações posso ter em atraso? O que é a recuperação de crédito em atraso

 

Estas questões preocupam muitos de nós. Queremos que fique a saber como pode antecipar problemas com o seu crédito, seja ele pessoal, habitação ou de outra natureza.

 

 

Prestações em atraso

Quando pedimos um empréstimo pensamos a médio/longo prazo. As alterações das taxas de juro, mudanças pessoais ou profissionais ou outras situações podem fazer com que se torne mais difícil cumprir o pagamento das prestações dos seus créditos.

 

Quando fez o seu empréstimo com o banco ficou determinada uma data para a saída do dinheiro da prestação da sua conta. Se não cumprir essa data considera-se que tem prestações em atraso e encontra-se em risco de incumprimento.

 

Segundo o Banco de Portugal, se deixar de pagar as prestações do crédito, o banco deve contactá-lo para negociar soluções de pagamento. O objetivo é ajudá-lo a resolver as situações que possa ter de incumprimento de contratos de crédito.

 

Para que as suas prestações em atraso não se acumulem e os juros e complicações se tornem numa bola de neve sempre a crescer, é importante traçar um plano de ação.

 

 

Recuperação de crédito em atraso - o que é e que despesas tem associadas?

Se não pagar as suas prestações na data acordada fica sujeito:

 

  • ao pagamento de juros de mora
  • às comissões e outros encargos que acrescem à dívida
  • à comunicação da situação de incumprimento à Central de Responsabilidades de Crédito do Banco de Portugal
  • a uma possível ação judicial para a recuperação do crédito. Essa ação judicial pode originar uma penhora aos seus bens

 

É importante que saiba que os bancos podem exigir o pagamento de uma comissão relativa à recuperação dos valores em dívida. Esta comissão só pode ser cobrada uma vez, por cada prestação em atraso e só pode ser, no máximo, 4% do valor da prestação. A comissão pode ter um valor mínimo de 12 euros e um valor máximo de 150 euros.

 

 

Traçar um plano de ação para o risco de incumprimento

Para que não falhe o pagamento das suas prestações nada como pensar em medidas preventivas de risco de incumprimento.

 

Se já estiver em incumprimento um plano de ação também é importante para ajudar a gerir e resolver a situação.

 

Antes de chegar ao seu limite financeiro e entrar em situação de incumprimento no seu crédito pessoal, no crédito habitação, ou em qualquer outro, antecipe possíveis problemas e situações mais difíceis. Atualmente a situação económica do país está complicada e acreditamos que a sua preocupação com as despesas esteja a aumentar.

 

Como pode criar o seu plano de ação caso ainda não esteja em incumprimento:

 

  • não aumente as suas dívidas com novos créditos
  • gaste apenas no que é importante e tente poupar
  • planeie a longo prazo
  • verifique as condições dos seus créditos
  • alerte o seu banco para o risco de vir a incumprir, devido, por exemplo, a uma situação de desemprego ou de doença
  • procure informar-se dos seus direitos e deveres
  • encontre soluções adequadas à sua situação financeira, objetivos e necessidades

 

Se já está em incumpromento:

 

 

O Banco de Portugal tem disponível online o documento “Incumprimento de contratos de crédito: Prevenção e regularização do incumprimento por clientes bancários particulares” onde pode encontrar toda a informação sobre a situação de incumprimento.

 

Consulte e mantenha-se informado. Previna uma situação de incumprimento e conheça como pode solucionar o problema.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).