finanças

Cálculo do salário líquido: tudo o que precisa de saber

20 dez 2023 | 6 min de leitura

Quer saber como calcular o salário líquido? Comece por conhecer as diferenças entre salário líquido e salário bruto e como pode fazer este cálculo para descobrir quanto deve receber ao final do mês.

Pessoa a mexer no computador portátil e a fazer cálculos no telemóvel

Conhecer o salário líquido é fundamental para uma boa gestão das suas finanças pessoais. Dá-lhe uma compreensão realista do valor que efetivamente recebe na sua conta bancária após todas as deduções obrigatórias e voluntárias.

 

Algumas razões pelas quais é importante conhecer o salário líquido:

  1. Planeamento financeiro
    Saber o seu salário líquido é fundamental para o seu planeamento financeiro. Permite-lhe avaliar com precisão quanto dinheiro terá disponível para despesas diárias, contas, poupança e investimentos.

  2. Orçamento pessoal
    Ao conhecer o seu salário líquido, é possível criar um orçamento pessoal realista. Isso ajuda a gerir as despesas de maneira eficaz, garantindo que pode cobrir todas as suas necessidades e ainda reservar dinheiro para objetivos específicos.

  3. Negociações salariais
    Ao negociar o salário com um empregador, é comum discutir o salário bruto desejado. No entanto, compreender o impacto das deduções no salário líquido pode ajudar na negociação de um pacote salarial mais alinhado com as suas necessidades e ambições.

  4. Tomada de decisões financeiras
    Conhecer o salário líquido é fundamental para tomar decisões financeiras importantes, como a compra de uma casa, a obtenção de um empréstimo ou a escolha de investimentos.

  5. Gestão de dívidas
    Saber o salário líquido é essencial para uma boa gestão de dívidas. Ajuda a avaliar a capacidade de fazer pagamentos mensais de empréstimos ou financiamentos, evitando dívidas excessivas que possam afetar negativamente as suas finanças.

  6. Compreensão das deduções
    Compreender as deduções do salário líquido, como impostos, contribuições para a segurança social e outros descontos, ajuda a ter clareza sobre para onde vai o dinheiro e a cumprir as obrigações legais.

  7. Planear para o futuro
    Conhecer o salário líquido é essencial para planear o futuro, incluindo educação, investimentos a longo prazo, reforma ou outras metas financeiras.

 

 

Qual a diferença entre salário líquido e salário bruto?

Para poder compreender o salário líquido, temos de falar em salário bruto. A diferença entre salário bruto e salário líquido está nas deduções que incidem sobre o montante total acordado entre empregador e empregado.


O salário bruto representa o valor antes de qualquer dedução, englobando não apenas o salário base, mas também benefícios, prémios e outros subsídios. É a base para o cálculo de contribuições para a Segurança Social e deduções fiscais, incluindo o Imposto sobre o Rendimento das Pessoas Singulares (IRS).


As deduções do salário bruto incluem, além do IRS, contribuições para a Segurança Social e outras deduções voluntárias, como planos de pensão e seguros de saúde. O IRS, em particular, varia conforme o rendimento do trabalhador e as deduções fiscais aplicáveis. Essas deduções são essenciais para financiar programas sociais, como pensões e assistência médica, bem como para atender às obrigações fiscais.
 

O salário líquido, por sua vez, é o montante real recebido pelo trabalhador após todas essas deduções obrigatórias e voluntárias. Reflete, assim, o poder de compra efetivo, sendo a referência crucial para o planeamento financeiro pessoal. É o valor disponível para despesas diárias, poupança e investimentos.

 

 

3 elementos fundamentais para o cálculo do salário líquido

  1. Contribuições para a Segurança Social
    Uma parte significativa dos descontos no salário bruto destina-se às contribuições para a Segurança Social. Estas contribuições, que podem variar com base nos rendimentos, financiam benefícios previdenciários (como subsídio de desemprego, reforma, entre outros).

  2. Retenção na fonte e a dedução de impostos
    A retenção na fonte é um componente vital no cálculo do salário líquido. Esta prática visa antecipar o pagamento de impostos, sendo descontada diretamente do salário bruto.

  3. Subsídios e benefícios tributáveis
    Apesar de serem frequentemente vistos como benefícios, subsídios de natal ou férias e benefícios também podem ser tributáveis.

 

 

O que precisa de saber para calcular o salário líquido?

Para calcular o valor final do seu salário líquido, é importante que saiba os seguintes dados:
 

  • Localização do agregado familiar (Continente ou Regiões Autónomas)
  • Situação matrimonial (solteiro, casado, um ou dois titulares)
  • Número de dependentes (e se têm alguma deficiência)
  • Qual o seu vencimento (valor do salário base)
  • Quais os valores de outros rendimentos que recebe e se desconta para a Segurança Social, IRS ou se está isento
  • Como recebe os subsídios de Natal e de Férias (duodécimos ou por inteiro)
  • Quanto e de que forma recebe o subsídio de refeição

 

 

Como calcular o salário líquido?

O cálculo do salário líquido em Portugal envolve diversos fatores, incluindo descontos para a Segurança Social e retenção na fonte de IRS.

 

Resumo passo a passo do processo:

  1. Determine o salário bruto
    Este é o valor total acordado com o empregador antes de quaisquer deduções.

  2. Calcule os descontos para a Segurança Social
    Atualmente, a taxa de desconto para a Segurança Social é de 11% do salário bruto. Se multiplicar o salário bruto por 0,11 dará o valor do desconto.
    Exemplo:
    Salário bruto: 1.500€
    Desconto para a Segurança Social: 0,11 x 1.500€ = 165€

  3. Determine a base tributável
    Base tributável = salário bruto - descontos para a Segurança Social
    Este é o valor usado para calcular a retenção na fonte de IRS.
    Exemplo:
    Base tributável = 1.500€ - 165€= 1.335€

  4. Calcule a retenção na fonte de IRS
    A taxa de retenção na fonte de IRS varia consoante o valor que recebe e o seu agregado familiar.

  5. Calcule o salário líquido
    Salário líquido = salário bruto - descontos para a Segurança Social - retenção na fonte de IRS

 

Este é um exemplo simplificado e é importante ter em mente que as taxas exatas podem variar consoante o que recebe por mês e o escalão de IRS em que se insere. Recomendamos que consulte as tabelas oficiais que se encontram no Portal das Finanças e que esteja ciente das mudanças legislativas para obter cálculos precisos e atualizados.
 

 

Cálculo de salário líquido: exemplo representativo

O Pedro começou a trabalhar com um salário bruto de 1.350€, com subsídio de alimentação de 9,20€ em cartão de refeição. É solteiro e não tem filhos.


Depois dos descontos, vai receber 1.219,70€ no final do mês.


O cenário muda se o subsídio de alimentação for pago em dinheiro, em vez de cartão refeição. Dos 9,22€ de subsídio diário, apenas uma parte é tributada. Sendo assim, o salário líquido diminui, passando para 1.187,99€.


É importante ter em conta como é que o Pedro recebe os subsídios de férias e de Natal – se por inteiro ou em duodécimos. Se receber a 100% em duodécimos, o seu salário mínimo aumenta para: 1.387,95€.

 

 

Mudanças nas tabelas de retenção na fonte em 2023

Em julho deste ano, o Governo implementou alterações significativas nas tabelas de retenção na fonte dos rendimentos de trabalho dependente (Categoria A) e para quem recebe pensões (Categoria H). O valor a partir do qual se começa a descontar IRS continua a ser 762€, mas a fórmula de cálculo do imposto sofreu alterações.

 

 

De forma simples e resumida, estas alterações têm dois objetivos:

  1. Assegurar que o trabalhador recebe mais ao final do mês
  2. Garantir que no final do ano não existem diferenças muito grandes entre o IRS que o contribuinte já entregou ao Estado e o IRS calculado quando entrega a declaração de IRS.
     

Saiba mais sobre este novo modelo de retenção na fonte no Ofício Circulado n.º 20257, de 20 de junho de 2023, da Autoridade Tributária e Aduaneira.

 

Outras mudanças importantes a destacar em 2024:

 

  • O salário mínimo nacional que é atualmente de 760€, irá subir para 820€, em janeiro de 2024
  • Tendo aumentando 443,20€ o indexante de apoios sociais durante 2023, voltará a subir para 509,26€ em 2024.

 

A compreensão detalhada das contribuições para a Segurança Social, retenção na fonte e outros benefícios tributáveis é essencial para uma gestão financeira eficiente.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Salto Santander domiciliar ordenado no santander

Pode receber até 500€ até 31/03

Se é um novo cliente, abra a sua conta à ordem com domiciliação de ordenado.

O seu ordenado no Santander dá mais

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).