finanças

Seguro de vida do crédito habitação: como funciona

26 jul 2022 | 6 min de leitura

Vai comprar casa com recurso a empréstimo? Se tem de subscrever um seguro de vida associado ao crédito habitação, saiba como funciona.

Seguro de vida crédito habitação: como funciona

Se foi apanhado de surpresa, fique a saber que é normal que os bancos lhe peçam para subscrever este seguro aquando da contratação de um empréstimo para comprar casa. Saiba como funciona o seguro de vida associado ao crédito habitação.

 

 

Qual a importância de ter um seguro de vida de crédito habitação?

Se tem um crédito habitação, é provável que esta seja a maior despesa no seu orçamento. Assim, embora não seja obrigatório por lei, a maioria das entidades bancárias irá solicitar que contrate um seguro para salvaguardar a sua capacidade de pagar esta despesa. Mas, mais do que isso, o seguro de vida do crédito habitação é uma segurança para si e para a sua família.

 

Ninguém quer deixar os seus entes queridos desamparados. A contratação de um seguro de vida de crédito habitação garante que, em caso de morte, o imóvel fica pago e os seus familiares herdam uma casa em vez de uma dívida.

 

Além disso, o seguro de vida do crédito habitação assegura a sua subsistência em caso de doença ou acidente que condicionem a sua capacidade de obter rendimentos ou em caso de desemprego. Afinal, em caso de invalidez, continua a necessitar de uma casa para morar e pode não ter rendimentos suficientes para continuar a pagar o empréstimo.

 

 

Quais as coberturas dos seguros de vida no crédito habitação

Os seguros de vida associados ao crédito habitação não são todos iguais. Variam consoante o banco e a modalidade escolhida. Fique a conhecer as principais coberturas:

 

Cobertura por morte

É a principal cobertura de um seguro de vida de crédito à habitação. Em caso de morte de um dos mutuários, a seguradora garante o pagamento do crédito à habitação ao banco.

 

Cobertura em caso de invalidez

Além da morte, o seguro de vida deve cobrir situações de invalidez e existem duas coberturas que deve conhecer bem para tomar uma decisão informada: Invalidez Absoluta e Definitiva (IAD) e Invalidez Definitiva para a Profissão ou Atividade Compatível (ITP). Vamos explicar, de seguida, o que cada uma significa:

 

  • IAD. Garante uma indemnização caso fique impossibilitado de realizar atividades básicas do dia a dia, como lavar-se ou vestir-se, e fique dependente de terceiros.

 

  • ITP. Assegura o pagamento do crédito, caso fique impossibilitado de desenvolver a sua profissão ou uma atividade compatível com as suas capacidades, conhecimentos e aptidões. Para poder acionar esta cobertura, é necessário que lhe seja atribuído um grau de invalidez. No caso do Santander, é necessário que seja igual ou superior a 66%. Esta última é a cobertura mais abrangente, por isso é a mais recomendada.

 

O que distingue estas coberturas? É o grau de incapacidade e o nível de proteção. Para tomar uma decisão mais informada, conheça melhor as diferenças entre IAD e ITP.

 

Cobertura em caso de desemprego

É uma cobertura opcional que alguns seguros de vida ligados ao crédito habitação oferecem e que garante o pagamento das prestações do empréstimo, durante determinado período, em dois cenários:

 

  • Desemprego involuntário ou incapacidade temporária absoluta para o trabalho, devido a acidente ou doença, no caso de trabalhadores por conta de outrem

 

  • Hospitalização ou incapacidade temporária absoluta para o trabalho, devido a acidente ou doença, no caso de trabalhadores por conta própria.

 

Cobertura em caso de dupla orfandade

É uma cobertura gratuita, no caso do Santander, e que deve equacionar se tiver descendência. Esta garante que o pagamento de um capital adicional aos filhos - igual ao capital pago em caso de morte - caso ambos os progenitores faleçam com um intervalo mínimo de cinco anos. Conheça melhor esta cobertura.

 

 

Que fatores influenciam o prémio?

O prémio (valor que paga todos os meses) difere consoante vários fatores, nomeadamente:

 

  • O capital seguro
  • A idade das pessoas seguras
  • As coberturas e modalidades escolhidas
  • O número de pessoas seguras
  • Os fatores de risco, como, por exemplo, a profissão ou doenças.

 

 

Como funcionam os seguros de vida no crédito habitação

Quando contrata um crédito habitação, o banco irá solicitar que subscreva um seguro de vida. Nesse momento, terá que indicar o capital seguro, que corresponde ao valor que pediu emprestado ao banco. Mensalmente, paga o prémio correspondente ao seguro de vida e, se o infortúnio bater à sua porta, é possível acioná-lo, contribuindo para a sua estabilidade financeira, assim como a da sua família.

 

Mas como evolui o seguro de vida no crédito habitação? Quando inicia o crédito à habitação, o capital segurado é igual ao montante que pediu emprestado. No entanto, com o passar dos anos há dois fatores que podem influenciar o prémio que paga:

 

  • O capital em dívida diminui. O valor que paga todos os meses é calculado sobre o valor em dívida e como este diminui ao longo do tempo, irá pagar um prémio inferior com o passar dos anos. Ou seja, o valor segurado acompanha o montante em dívida.

 

  • A sua idade aumenta. O que faz com que o risco para a seguradora também se agrave e, como consequência, o prémio que paga também aumenta ao longo dos anos.

 

Ou seja, se por um lado, o prémio reduz por ter uma dívida inferior, também aumenta pela via da sua idade.

 

 

Que modalidades de adesão existem?

Quando a apólice tem apenas uma pessoa segura, só está disponível a opção de 100% do capital seguro.

 

Porém, se o crédito tiver dois titulares é possível optar por duas modalidades:

 

  • Modalidade Multititular. Permite a adesão de vários titulares com cobertura parcial do crédito. Cada titular pode escolher uma percentagem de cobertura, mas, no mínimo, a soma das coberturas tem que dar 100%. Isto significa que, em caso de morte ou invalidez de um dos segurados, o capital é pago apenas na percentagem escolhida por essa pessoa e o seguro mantém-se para a outra pessoa segura na percentagem do crédito que fica por pagar.

 

  • Modalidade Dois Titulares. Inclui duas pessoas seguras e ambas encontram-se protegidas por 100% do capital seguro. Isto significa que, em caso de morte ou invalidez de um dos segurados, o capital é pago na totalidade e o seguro/crédito deixam de existir.

 

Exemplo

O Pedro e a Joana têm um crédito à habitação no valor de 200.000 euros e escolheram a opção multititular. O Pedro segurou 40% do capital em dívida (80.000 euros) e a Joana os restantes 60% (120.000 euros). Em caso de morte do Pedro, a seguradora pagará ao banco 80.000 euros e a Joana terá de continuar a pagar a prestação do crédito à habitação, no montante de 120.000 euros.

 

Caso tivessem optado pela modalidade dois titulares, o banco receberia os 200.000 euros, a Joana ficaria com a casa paga e não teria que se preocupar com a mensalidade.

 

Embora a segunda possibilidade seja mais dispendiosa, garante mais proteção para a sua família e, no caso, do Santander pode obter um desconto no prémio.

 

Tem que subscrever o seguro de vida no banco onde contratou o crédito habitação?

Pode contratar a apólice em qualquer seguradora. No entanto, tenha em consideração a proposta apresentada pelo banco onde faz o crédito.

 

 

Como escolher o seguro de vida no crédito habitação

Agora que sabe como funciona o seguro de vida crédito habitação, é importante saber como escolher o melhor para si.

 

Mais do que o valor que paga mensalmente, é importante definir quais as suas prioridades. Se está à procura do melhor seguro de vida para crédito habitação, lembre-se: só é possível comparar preços entre produtos se as coberturas forem semelhantes.

 

Lembre-se que mais barato nem sempre é melhor

Um seguro de vida barato pode significar uma despesa mensal inferior, mas também menos proteção. É importante que olhe para este produto como um aliado e esteja consciente de que, se não escolher as coberturas necessárias, pode não receber a ajuda de que necessita num momento menos positivo da sua vida.

 

É certo que quanto mais coberturas tiver, mais elevado será o preço, mas também maior será a sua proteção e a da sua família.

 

Pondere a melhor proteção em caso de invalidez

Muitas famílias fazem este seguro porque o banco o solicitou, mas não se preocupam com o grau de cobertura, focando-se apenas no preço e não na proteção a longo prazo. Por exemplo, se optar por apenas ter as coberturas obrigatórias (morte e invalidez absoluta e definitiva), terá um nível de proteção mais básico em caso de invalidez.

 

Poderá dar por si numa situação em que não consegue trabalhar devido a um acidente ou doença incapacitante, mas não está dependente de terceiros para as tarefas básicas. Neste caso, se apenas tiver optado pelas coberturas essenciais, não terá direito a receber o capital em dívida.

 

Se, no presente, não for viável contratar todas as coberturas que gostaria, comece com as mais básicas e aumente à medida que a sua situação financeira estabilize.

 

Pense em situações menos óbvias (como o desemprego)

Já sabemos que, em caso de morte e invalidez, o banco recebe o valor que tem em dívida. Mas o que acontece às suas finanças em caso de incapacidade temporária para o trabalho ou se ficar desempregado? Será que consegue pagar as suas dívidas?

 

Esta cobertura de desemprego poderá ser a sua tábua de salvação num momento menos positivo da sua vida e deve cobrir, no mínimo, o valor da sua prestação caso não consiga trabalhar ou fique desempregado.

 

Escolha a modalidade mais adequada

Escolher entre a modalidade multititular ou duas pessoas pode influenciar o prémio que paga, no entanto, fará muita diferença caso um dos titulares faleça ou fique inválido. Se não escolher a segunda opção, pense se conseguirá pagar a prestação sozinho, caso o seu parceiro já não o consiga fazer.

 

O Seguro associado ao Crédito Habitação, protege-o a si e à sua família em caso de morte ou invalidez. Disponibiliza, ainda, a cobertura de Dupla Orfandade gratuita, para que os seus filhos fiquem seguros. Pode também optar por uma cobertura que o permita cumprir os compromissos financeiros em caso de desemprego.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Salto Santander widget crédito habitação

Há sonhos que não podem esperar

Conheça as nossas soluções de crédito habitação.

Crédito Habitação

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).