Como separar despesas pessoais das contas da empresa

finanças

Como separar despesas pessoais das contas da empresa

17 ago 2022 | 4 min de leitura

Se gostava de saber como separar despesas pessoais das contas da empresa, fique a conhecer seis dicas que vão ajudá-lo a poupar dinheiro e a manter as contas organizadas.

Ser proprietário de um pequeno negócio tem inúmeros desafios e um deles é manter as suas finanças pessoais e empresariais separadas. Esta é uma decisão fundamental desde o primeiro momento, pois acreditar que podemos corrigir as contas do negócio aplicando dinheiro próprio ou, em outros casos, retirar dinheiro da empresa para utilizá-lo na vida pessoal, pode criar dificuldades para o negócio e para o orçamento familiar.

 

 

Vantagens de separar o dinheiro da empresa do pessoal

Se tem um negócio próprio, pode sentir a tentação de utilizar o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais ou fazer compras, mesmo que de pequeno valor. A mistura de contas pessoais e empresariais pode prejudicar bastante a saúde do seu negócio e a sua perceção do fluxo de caixa (dinheiro que entra e sai da conta da empresa).

 

Separar as finanças pessoais da empresa é benéfico para:

 

  • Manter as finanças da empresa e da sua casa de boa saúde
  • Saber exatamente quanto dinheiro entra e sai da conta da empresa
  • Calcular de forma precisa qual é a margem de lucro da empresa
  • Definir o custo do seu produto ou serviço
  • Ter maior controlo financeiro
  • Estar mais longe de uma situação de falência.

 

6 passos para separar as despesas pessoais das contas da empresa

Passo 1: Separar as contas

Costuma utilizar a mesma conta bancária para pagar as contas da casa e os seus compromissos comerciais? É uma má ideia. Se tiver uma conta bancária para a empresa e para as suas despesas pessoais, as hipóteses de gastar dinheiro que não devia e perder o controlo financeiro da empresa são grandes.

 

O ideal é ter uma conta bancária só da empresa e, assim, distinguir o que é da empresa e o que é pessoal. Além disso, ter uma conta para empresas pode trazer benefícios que não teria na sua conta pessoal, como transferências gratuitas, utilizar a aplicação para fazer o pagamentos a fornecedores e ter acesso a financiamento para empresas.

 

Ainda que tenha que suportar despesas de manutenção de duas contas e serviços bancários, é uma iniciativa que traz frutos a médio/longo prazo.

 

Passo 2: Registar as entradas e saídas de dinheiro da empresa

Controlar o fluxo de caixa, isto é, os valores que entram e saem da conta bancária é fundamental para qualquer negócio, principalmente se for de pequena dimensão. Isto significa que, todos os meses, tem que registar as despesas (pagamentos de salários, fornecedores, impostos ou investimentos que faça no seu negócio, por exemplo) e os rendimentos (valores recebidos de produtos vendidos ou apoios do estado, por exemplo).

 

Pode utilizar um programa de contabilidade, fazer uma lista de Excel ou anotar tudo num caderno, o importante é que controle todo o dinheiro que entra e sai da conta bancária da empresa.

 

Passo 3: Fazer o orçamento familiar

Se o seu negócio for a sua única fonte de rendimento, é importante que tenha o hábito de registar todas as suas despesas pessoais. Desde o valor que paga de renda ou crédito habitação, às despesas com a conta da eletricidade, água, gás e telecomunicações, os passeios com a família, compra de roupa, presentes ou despesas supermercado.

 

Quanto mais rigoroso for neste registo, maior controlo terá no dinheiro que gasta e menores as probabilidades de ter de mexer no dinheiro da empresa.

 

Passo 4: Definir o seu salário

Depois de conhecer os gastos fixos e variáveis da empresa, assim como as suas despesas pessoais, é possível definir um salário para si e para os seus sócios, caso os tenha.

 

Este valor entra como custo fixo do negócio e, todos os meses, deve transferir esse dinheiro da empresa para a conta pessoal. Desta forma, evita ter de utilizar dinheiro da empresa, sem o registo adequado, para as suas despesas pessoais.

 

Passo 5: Criar um fundo de maneio para a empresa

Tal como é importante ter um fundo de emergência para as suas contas pessoais, deve criar um fundo de maneio para a sua empresa. Assim, evita ter que recorrer à sua conta pessoal ou às suas poupanças para pagar despesas fixas da empresa, num mês em que, por exemplo, os clientes se atrasem a fazer o pagamento ou tenha despesas inesperadas.

 

Passo 6: Manter o que é da empresa… em nome da empresa

Cada macaco no seu galho, como diz o ditado popular, e isso também se aplica aos serviços que necessita para manter a sua empresa a funcionar, como a água, eletricidade ou as telecomunicações.

 

Isto significa que deve ter estes serviços em nome da sua empresa. Por dois motivos. Em primeiro lugar, porque ajuda a separar as contas da empresa das pessoais e, em segundo, porque podem existir condições especiais para empresas.

 

Agora que já sabe como separar despesas pessoais das contas da empresa, está na hora de encontrar a melhor conta bancária para a sua empresa. A Conta 123 Negócios é ideal para pequenos negócios ou empresários em nome individual, oferece isenções em alguns serviços e permite aceder a crédito com uma taxa de juro vantajosa para o seu negócio, através da Conta Corrente 123 Negócios.

Ser proprietário de um pequeno negócio tem inúmeros desafios e um deles é manter as suas finanças pessoais e empresariais separadas. Esta é uma decisão fundamental desde o primeiro momento, pois acreditar que podemos corrigir as contas do negócio aplicando dinheiro próprio ou, em outros casos, retirar dinheiro da empresa para utilizá-lo na vida pessoal, pode criar dificuldades para o negócio e para o orçamento familiar.

 

 

Vantagens de separar o dinheiro da empresa do pessoal

Se tem um negócio próprio, pode sentir a tentação de utilizar o dinheiro da empresa para pagar contas pessoais ou fazer compras, mesmo que de pequeno valor. A mistura de contas pessoais e empresariais pode prejudicar bastante a saúde do seu negócio e a sua perceção do fluxo de caixa (dinheiro que entra e sai da conta da empresa).

 

Separar as finanças pessoais da empresa é benéfico para:

 

  • Manter as finanças da empresa e da sua casa de boa saúde
  • Saber exatamente quanto dinheiro entra e sai da conta da empresa
  • Calcular de forma precisa qual é a margem de lucro da empresa
  • Definir o custo do seu produto ou serviço
  • Ter maior controlo financeiro
  • Estar mais longe de uma situação de falência.

 

6 passos para separar as despesas pessoais das contas da empresa

Passo 1: Separar as contas

Costuma utilizar a mesma conta bancária para pagar as contas da casa e os seus compromissos comerciais? É uma má ideia. Se tiver uma conta bancária para a empresa e para as suas despesas pessoais, as hipóteses de gastar dinheiro que não devia e perder o controlo financeiro da empresa são grandes.

 

O ideal é ter uma conta bancária só da empresa e, assim, distinguir o que é da empresa e o que é pessoal. Além disso, ter uma conta para empresas pode trazer benefícios que não teria na sua conta pessoal, como transferências gratuitas, utilizar a aplicação para fazer o pagamentos a fornecedores e ter acesso a financiamento para empresas.

 

Ainda que tenha que suportar despesas de manutenção de duas contas e serviços bancários, é uma iniciativa que traz frutos a médio/longo prazo.

 

Passo 2: Registar as entradas e saídas de dinheiro da empresa

Controlar o fluxo de caixa, isto é, os valores que entram e saem da conta bancária é fundamental para qualquer negócio, principalmente se for de pequena dimensão. Isto significa que, todos os meses, tem que registar as despesas (pagamentos de salários, fornecedores, impostos ou investimentos que faça no seu negócio, por exemplo) e os rendimentos (valores recebidos de produtos vendidos ou apoios do estado, por exemplo).

 

Pode utilizar um programa de contabilidade, fazer uma lista de Excel ou anotar tudo num caderno, o importante é que controle todo o dinheiro que entra e sai da conta bancária da empresa.

 

Passo 3: Fazer o orçamento familiar

Se o seu negócio for a sua única fonte de rendimento, é importante que tenha o hábito de registar todas as suas despesas pessoais. Desde o valor que paga de renda ou crédito habitação, às despesas com a conta da eletricidade, água, gás e telecomunicações, os passeios com a família, compra de roupa, presentes ou despesas supermercado.

 

Quanto mais rigoroso for neste registo, maior controlo terá no dinheiro que gasta e menores as probabilidades de ter de mexer no dinheiro da empresa.

 

Passo 4: Definir o seu salário

Depois de conhecer os gastos fixos e variáveis da empresa, assim como as suas despesas pessoais, é possível definir um salário para si e para os seus sócios, caso os tenha.

 

Este valor entra como custo fixo do negócio e, todos os meses, deve transferir esse dinheiro da empresa para a conta pessoal. Desta forma, evita ter de utilizar dinheiro da empresa, sem o registo adequado, para as suas despesas pessoais.

 

Passo 5: Criar um fundo de maneio para a empresa

Tal como é importante ter um fundo de emergência para as suas contas pessoais, deve criar um fundo de maneio para a sua empresa. Assim, evita ter que recorrer à sua conta pessoal ou às suas poupanças para pagar despesas fixas da empresa, num mês em que, por exemplo, os clientes se atrasem a fazer o pagamento ou tenha despesas inesperadas.

 

Passo 6: Manter o que é da empresa… em nome da empresa

Cada macaco no seu galho, como diz o ditado popular, e isso também se aplica aos serviços que necessita para manter a sua empresa a funcionar, como a água, eletricidade ou as telecomunicações.

 

Isto significa que deve ter estes serviços em nome da sua empresa. Por dois motivos. Em primeiro lugar, porque ajuda a separar as contas da empresa das pessoais e, em segundo, porque podem existir condições especiais para empresas.

 

Agora que já sabe como separar despesas pessoais das contas da empresa, está na hora de encontrar a melhor conta bancária para a sua empresa. A Conta 123 Negócios é ideal para pequenos negócios ou empresários em nome individual, oferece isenções em alguns serviços e permite aceder a crédito com uma taxa de juro vantajosa para o seu negócio, através da Conta Corrente 123 Negócios.

 

 

 

Os conteúdos apresentados não dispensam a consulta das entidades públicas ou privadas especialistas em cada matéria.

Achou este artigo útil?

Queremos continuar a trazer-lhe artigos úteis.

Obrigado pela sua opinião!

A sua ajuda é importante.

Salto Santander

Obrigado pela sua opinião!

Informação de tratamento de dados

O Banco Santander Totta, S.A. é o responsável pelo tratamento dos dados pessoais recolhidos.

O Banco pode ser contactado na Rua da Mesquita, 6, Centro Totta, 1070-238 Lisboa.

O Encarregado de Proteção de Dados do Banco poderá ser contactado na referida morada e através do seguinte endereço de correio eletrónico: privacidade@santander.pt.

Os dados pessoais recolhidos neste fluxo destinam-se a ser tratados para a finalidade envio de comunicações comerciais e/ou informativas pelo Santander.

O fundamento jurídico deste tratamento assenta no consentimento.

Os dados pessoais serão conservados durante 5 anos, ou por prazo mais alargado, se tal for exigido por lei ou regulamento ou se a conservação for necessária para acautelar o exercício de direitos, designadamente em sede de eventuais processos judiciais, sendo posteriormente eliminados.

Assiste, ao titular dos dados pessoais, os direitos previstos no Regulamento Geral de Proteção de Dados, nomeadamente o direito de solicitar ao Banco o acesso aos dados pessoais transmitidos e que lhe digam respeito, à sua retificação e, nos casos em que a lei o permita, o direito de se opor ao tratamento, à limitação do tratamento e ao seu apagamento, direitos estes que podem ser exercidos junto do responsável pelo tratamento para os contactos indicados em cima. O titular dos dados goza ainda do direito de retirar o consentimento prestado, sem que tal comprometa a licitude dos tratamentos efetuados até então.

Ao titular dos dados assiste ainda o direito de apresentar reclamações relacionadas com o incumprimento destas obrigações à Comissão Nacional da Proteção de Dados, por correio postal, para a morada Av. D. Carlos I, 134 - 1.º, 1200-651 Lisboa, ou, por correio eletrónico, para geral@cnpd.pt (mais informações em https://www.cnpd.pt/).

Para mais informação pode consultar a nossa política de privacidade (https://www.santander.pt/politica-privacidade).