Solidariamente com todos os Portugueses, o Santander em Portugal está comprometido em vencer o surto COVID-19, sendo o apoio às empresas parte desta missão. No atual contexto, e porque situações excecionais exigem medidas excecionais, o Banco colocou em prática soluções, pré-aprovadas, para regularização e redução dos encargos mensais.


Como vamos ajudar as pequenas e médias empresas em Portugal?


Para redução das necessidades de liquidez imediatas da sua empresa:

No contexto da pandemia COVID-19, em que muitas empresas veem o seu negócio afetado de forma temporária, o Governo criou a Moratória do Estado que permite adiar a amortização de capital dos empréstimos, ou até o pagamento de juros, bem como a prorrogação dos limites de crédito. Esta iniciativa tem como objetivo apoiar as empresas em Portugal a lidarem com este período mais difícil da sua atividade.

A Moratória do Estado contempla um conjunto de medidas de proteção e apoio à liquidez e tesouraria, e tem como finalidade o diferimento do cumprimento de obrigações dos beneficiários perante o sistema financeiro


Para satisfação de necessidades adicionais de tesouraria de curto prazo:

Vamos manter inalterados todos os limites de crédito contratualizados, quer com caráter revogável, quer com caráter irrevogável. Assim, de uma forma simples e imediata, podem aceder a cerca de 4 mil milhões de euros de crédito adicional sem qualquer alteração das condições de spread ou de outras comissões associadas.

O Santander encontra-se a dinamizar junto das empresas nacionais os mais de 3 mil milhões de euros de linhas de apoio anunciadas pelo Estado Português, estando pronto a efetuar a sua disponibilização logo que as instituições nacionais o permitam. Caso tal seja também autorizado, o Banco está disponível para proceder desde já a adiantamentos de 20% do montante aprovado pelo Banco aos seus Clientes ao abrigo destas linhas. Desta forma, os nossos Clientes poderão receber de imediato injeções de liquidez sem ter que esperar pela aprovação das entidades públicas.


Para facilitar a utilização de meios digitais e reduzir o seu custo de utilização:

Para todos os comerciantes, o Santander suspendeu a cobrança da mensalidade dos POS e da Tarifa Fixa por Operação, quando aplicável, e isentou a aplicação de um valor mínimo sobre as transações efetuadas. Para apoiar as transações sem contacto (contactless), o Santander suspendeu também a cobrança de todas as comissões do serviço MB WAY no POS. Esta medida está em vigor até 30 de abril de 2020;

Flexibilizámos a operativa de adesão aos canais digitais por parte das empresas para que, sem deslocação a qualquer agência bancária, seja possível essa adesão.


Como vamos ajudar as empresas em Portugal no acesso aos serviços bancários?

Sabemos que, para a economia funcionar, os Bancos e serviços financeiros têm que estar disponíveis. Por isso, mantemos aberta a vasta maioria das nossas agências bancárias, mesmo que em horário reduzido e com condicionamento à entrada.

Reforçámos a capacidade dos nossos meios digitais para que um maior número de Clientes possa, em simultâneo, aceder aos serviços do Banco. Nesta fase, este deve ser o meio preferencial de interação com os serviços do Banco.


Conheça também as medidas do Santander para apoio às famílias