Somos um Grupo que abraça 148 milhões de clientes em todo o mundo. Por esta razão, o nome Santander sustenta a responsabilidade de consciencializar para a urgência do combate às alterações climáticas e, sobretudo, de agir no sentido da progressão verde.

A mudança tem de ser estrutural. Tem de acontecer dentro das nossas casas, nos nossos negócios, nas nossas viagens, nas nossas vidas – e começa com simples gestos.

O Santander assume o compromisso de acrescentar valor na luta pela sustentabilidade. Para tal, o grupo apoia a transição para uma economia sustentável e consciente do panorama climático e ambiental. Assim, o Grupo Santander delineou a estratégia Net Zero, o compromisso de atingir as zero emissões líquidas de carbono até 2050 – o objetivo mais ambicioso a que alguma vez nos propusemos, pelo futuro de todos.

Esta missão implica que sejam restruturadas as políticas ambientais do banco. Neste sentido, estabelecemos três metas a cumprir:

Gerar energia elétrica de forma menos poluente

Gerar energia elétrica de forma menos poluente

Alinhar a produção de energia elétrica com os objetivos do Acordo de Paris, até 2030.

Apoiar projetos energéticos mais amigos do ambiente

Apoiar projetos energéticos mais amigos do ambiente

Deixar de prestar serviços a clientes do setor energético cujas receitas dependam do carvão térmico em mais de 10%.

Dizer “não” à exploração de recursos não renováveis

Dizer “não” à exploração de recursos não renováveis

Eliminar a exposição do Grupo Santander à mineração de carvão térmico em todo o mundo.

Admitimos que este é um enorme desafio para o Grupo, mas o que seria de um desafio, sem as oportunidades que também cria? O Santander torna-se um elemento profundamente relevante nesta época de mudança, reunindo esforços neste sentido, através de financiamento de grandes projetos sustentáveis e a oferta de produtos verdes aos nossos clientes, independentemente de serem pessoas, empresas ou governos.

Também as nossas instalações contribuem nesta luta. Atualmente, perto de 60% da energia elétrica consumida provém de fontes renováveis, e pretendemos que nos próximos quatro anos, este número chegue aos 100%. Em Portugal, temos orgulho de implementar o projeto #Plasticfree, cujo objetivo passa por eliminar os plásticos de utilização única nas instalações. Destacamos ainda a promoção da mobilidade sustentável dos nossos colaboradores, através da instalação de um parque para bicicletas e de duche gratuito para os colaboradores, e através da disposição de autocarros para os colaboradores nas cidades de Lisboa e do Porto.

Outros compromissos globais incluem iniciativas locais como o financiamento de parques nacionais no Reino Unido e o “Motor Verde”, para a replantação de três florestas em Espanha. No Brasil, unimos esforços com o Bradesco e o Itaú Unibanco para um projeto pioneiro de promoção do desenvolvimento sustentável na Amazónia.

Agora é o momento de acelerar o ritmo da mudança, de aumentar as nossas metas e de fazer muito mais.

O convite aos nossos clientes para se juntarem ao compromisso Net Zero

O cartão de débito é biodegradável e neutro em carbono. Pode entregá-lo para reciclar e, assim, ajudam-nos a plantar árvores.

A Cimeira do Clima 2021 (COP26), organizada pela Organização das Nações Unidas (ONU) centrou-se na necessidade de agir para reverter o degelo polar, o aumento do nível do mar, fenómenos de temperaturas extremas, aumento da pobreza, extinção de centenas de espécies de plantas e animais e outros fenómenos.

As alterações climáticas são um dos maiores desafios da humanidade. Já estamos a assistir à devastação do planeta e à amplificação de problemas como o acesso a alimentos e água potável. De acordo com a ONU, podem ser evitadas 250 000 mortes por ano, se forem tomadas medidas urgentes e necessárias de combate às alterações climáticas.

A COP26 reuniu empresas privadas, organizações públicas, líderes e oradores (incluindo o Santander) para falar sobre a ameaça das alterações climáticas.No âmbito da conferência, a nossa presidente executiva, Ana Botín, partilha uma mensagem de otimismo, ao mesmo tempo que chama a tenção para a necessidade de medidas económicas mais sustentáveis.

Todos temos de assumir compromissos específicos: estados, empresas, outros atores sociais e a população como um todo. O Santander já é um dos maiores financiadores verdes do mundo e vamos continuar a tomar medidas para dar mais apoio na mudança para um modelo energético sustentável e produtivo" - disse Ana Botín na cimeira COP26, onde anunciámos o nosso objetivo de nos tornarmos neutros em carbono, compensando as emissões das nossas operações diárias (que alcançámos em 2020).